16

Usar ? em uma query realmente evita o SQL injection? Evita 100%? Vi este código e ouvi muitas pessoas falando sobre isso, dizendo que ajuda neste caso e como usar? Alguém poderia dar um exemplo melhor?

$query = "SELECT * FROM tabela WHERE username = ? OR username = ?";
18

Este é um placeholder para uma consulta parametrizada (parameterized query).

É um parâmetro anônimo para a query. Ele é usado para evitar SQL Injection mesmo, mas não só. Com ele não dá para injetar partes de uma query dentro da sua query.

Seria algo como usar "SELECT * FROM tabela WHERE username = $par1 OR username = $par2" mas tem a vantagem que é controlado pelo banco de dados através da API do PHP ao invés de puramente pelo PHP, portanto é bem mais seguro. O banco de dados terá a query pronta esperando o parâmetro. Não é uma string com a query. O SQL injection ocorre por causa da manipulação de strings que, por acaso, contém queries.

Uma das formas de usar seria:

$stmt = $mysqli->prepare("SELECT * FROM tabela WHERE username = ? OR username = ?");
$stmt->bind_param('ss', $userName, $userName);

Desta forma há a vinculação da variável $userName do PHP para os dois parâmetros que a query SQL está esperando.

Este é um recurso disponível no banco de dados. Isto é chamado de prepared query. Originalmente é usado para agilizar a execução da query. Com ele uma query é cacheada pelo planejador do banco de dados permitindo algumas otimizações já que apenas os parâmetros são diferentes mas a execução segue o mesmo esquema sempre. Em alguns casos o ganho pode ser considerável.

Como consequência você ganha uma segurança maior contra SQL injection. Mas é importante notar que a segurança vem mais por um efeito colateral do recurso. Você evita que algo assim possa acontecer sem o programador perceber:

$query = "SELECT * FROM tabela WHERE username = $userName";

Suponha que alguém digite e $userName receba "" OR 1 = 1; DROP TABLE tabela;. Pronto, sua tabela foi para o espaço.

Este recurso de prepared query é disponibilizado pela API mysqli do PHP e é usado da forma indica acima.

Usei o exemplo do MySQL que é o banco de dados mais usado com PHP mas pode ser usado com qualquer outro banco de dados que forneça alguma forma de "consultas preparadas". Portanto não precisa usar apenas a mysqli. Se o banco de dados e a API do PHP que faz o acesso fornecerem o recurso, é possível usá-lo de forma padronizada. Portanto não é algo que o PHP faz por você, isto vem do banco de dados.

Só para complementar:

$stmt = $pdo->prepare("SELECT * FROM tabela WHERE username = :user OR username = :user");
$stmt->bindParam(':user', $userName);

Isto é o PDO onde você tem mais controle como o parâmetro é usado, você coloca mais significado do que está passando e onde ele é usado. Não estou dizendo que o PDO é necessariamente melhor. Em alguns casos a sintaxe pode ser um pouco diferente.

Referência.

Sintaxe do SQL do MySQL se for usar o recurso independente do PHP ou quiser entender melhor o recurso.

  • Interessante, não sabia desta questão de ser o banco de dados, ao invés do php.Também não sabia que agilizava a execução da query... – Rogers Corrêa 26/06/14 às 21:53
  • Me surgiu uma outra dúvida, mas vou colocar como pergunta, se der me responde lá também. Cara estou gostando disso. Receber conhecimento é algo impolgante. Valeu ai bigown! – Rogers Corrêa 26/06/14 às 21:59
  • Se não for relacionado, é melhor outra pergunta mesmo. Se eu souber e tiver tempo, eu respondo. Eu ainda vou melhorar algumas coisas na pergunta, mas vou fazer com calma agora. – Maniero 26/06/14 às 22:06
  • Se vale a sugestão, tecnicamente paramterized query é a técnica em si, a interrogação é um simples placeholder – Bruno Augusto 27/06/14 às 12:02
  • @BrunoAugusto Boa, fica melhor assim mesmo, editado. O crédito é seu. – Maniero 27/06/14 às 13:36
3

Problemas de injeção de código podem ocorrer sempre que você mistura duas linguagens separadas. Por exemplo, bugs de injeção de SQL ocorrem quando tratamos dados do usuário como código SQL e passamos para o banco de dados executar e defeitos de XSS (cross site scripting) surgem quando pegamos texto do usuário e passamos para o browser como se fosse HTML (e esse HTML pode conter tags script).

Num mundo ideal, ao invés de usar strings pra representar tanto a query quanto os dados do usuário (permitindo que dados e código sql sejam concatenados/interpolados de forma perigosa) usaríamos tipos separados para esses valores que proibissem misturar um com o outro.

Tudo bem, mas então, como programar para evitar problemas com injeção?

Uma primeira alternativa é oferecer uma função de "escape", que converta dados do usuário em código seguro. Por exemplo, em HTML convertemos todos os & em & e em SQL protegemos as aspas. Usar uma função de escapa é uma abordagem bastante simples e comum mas você tem que ter cuidado para não escapar algo duas vezes sem querer, já que essa operação normalmente não é não é idempotente.

A segunda alternativa no caso do SQL é parametrizar a query. Ao invés de sair concatenando as coisas na mão você diz (com os ? ou alguma sintaxe similar) onde estão as "lacunas" da query e o próprio banco preenche essas lacunas com os parâmetros, que são passados separadamente. Como os dados do usuário são passados para o banco como parâmetros, não há risco deles serem executados como código SQL.

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.