0

Estou fazendo um trabalho da faculdade, fiz o código, ele está funcionando normalmente no windows. No Ubuntu ele está compilando, quando eu começo a usar a função Insere, ele dá esse erro que está no assunto.

Segue o meu código:

#define N 11
int tamanho = 1; //Numero de inserções

typedef struct pessoa{
int idadep;
char nomep[20];
char enderecop[20];
struct pessoa *prox;
}Pessoa;

void inicializa(Pessoa **p){
*p = NULL;
}

int iq(char Nome[]);

void insere(Pessoa **p, char nome[], int idade, char endereco[]){
Pessoa *ultimo,*aux,*penultimo;
int i = 0;
tamanho++;
// printf("inserindo %s no vetor de posicao %d\n",nome,iq(nome));

aux = (Pessoa*) malloc(sizeof(Pessoa));
ultimo = (Pessoa*) malloc(sizeof(Pessoa));
penultimo = (Pessoa*) malloc(sizeof(Pessoa));

if (*p == NULL){
//  printf("nulo\n");
strcpy(ultimo->nomep,nome);
ultimo->idadep = idade;
strcpy(ultimo->enderecop,endereco);
ultimo->prox = NULL;
*p = ultimo;

}
else{
penultimo = *p;
ultimo = *p;
while(ultimo != NULL){
if(strcmp(nome,ultimo->nomep) < 0){//nome tem que ficar antes de ultimo->nome
strcpy(aux->nomep,nome);
aux->idadep = idade;
strcpy(aux->enderecop,endereco);
aux->prox = ultimo;
if(i == 0)
*p = aux;
else{
penultimo->prox = aux;
}
break; //sai do while
}
else if(strcmp(nome, ultimo->nomep) == 0) //O nome a ser inserido já existe na lista
return;
else{ //nome tem que ficar depois de ultimo->nome
if(ultimo->prox == NULL){ //chegou ao final, então insere ele no final
strcpy(aux->nomep,nome);
aux->idadep = idade;
strcpy(aux->enderecop,endereco);
aux->prox = NULL;
ultimo->prox = aux;
break;
}
penultimo = ultimo;
ultimo = ultimo->prox;
}
i++;
}
}
}

void consulta(Pessoa **p, char nome[]){
Pessoa *aux;
aux = *p;
while(aux != NULL){
if (strcmp(aux->nomep, nome) == 0){
printf("%s\n", aux->nomep);
printf("%d\n", aux->idadep);
printf("%s\n", aux->enderecop);
}
aux = aux->prox;
}
}

void Remove(Pessoa** p, char nome[] ){
Pessoa* ant, * aux;
ant = NULL;
aux = *p;
while(aux != NULL && strcmp(aux->nomep, nome) !=0){
ant = aux;
aux = aux->prox;
}
if (aux == NULL || p == NULL){
return;
}
else if(ant == NULL && strcmp(aux->nomep, nome) ==0){ //tá no primeiro elemento
*p = aux->prox;
}
else if(aux->prox == NULL && strcmp(aux->nomep, nome) ==0){
ant->prox = NULL;
}
else{
ant->prox = aux->prox;
}
}

void print(Pessoa **p){
Pessoa *aux;
aux = *p;
while (aux != NULL){
printf("%s \n", aux->nomep);
//printf("%d \n", aux->idadep);
//printf("%s \n", aux->enderecop);
aux = aux->prox;
}
}


int ordc(char LetraNome){
int x;

if(LetraNome == ' ')
return 27;
else{
if(LetraNome >= 65 && LetraNome <= 90) //Entre A e Z
x = LetraNome - 64;
else //Entre a e z
x = LetraNome - 96;
}
return x;
}

int iq(char Nome[]){
int i, rordc = 0;

for(i = 0; i < strlen(Nome); i++){
rordc += ordc(Nome[i]);
}
return rordc%N;
}

void criaHeap(Pessoa *vet, int i, int f){
Pessoa aux = vet[i];
int j = i * 2 + 1;
while (j <= f){
if(j < f){
if(strcmp(vet[j].nomep,vet[j + 1].nomep) < 0){
j = j + 1;
}
}
if(strcmp(aux.nomep, vet[j].nomep) < 0 ){
vet[i] = vet[j];
i = j; //j é o novo pai
j = 2 * i + 1;
}else{
j = f + 1;
}
}
vet[i] = aux;
}

void heapSort(Pessoa *vet, int n){
int i;
Pessoa aux;
for(i=(n - 1)/2; i >= 0; i--){
criaHeap(vet, i, n-1);
}
for (i = n-1; i >= 1; i--){
aux = vet[0];
vet [0] = vet [i];
vet [i] = aux;
criaHeap(vet, 0, i - 1);
}
}

int salvaLista(Pessoa* v, int tamV, Pessoa** p){
Pessoa *aux;
aux = *p;
int i = tamV;
while (aux != NULL){
strcpy(v[i].nomep,aux->nomep);
v[i].idadep = aux->idadep;
strcpy(v[i].enderecop,aux->enderecop);
aux = aux->prox;
i++;
}
return i;
}

void imprimeTudo(Pessoa **p){
Pessoa* copia = (Pessoa*) malloc(sizeof(Pessoa)*tamanho);
int tam = 0, in;
for(in = 0 ; in < N; in++)
tam = salvaLista(copia,tam,&p[in]);
heapSort(copia,tam);
for(in = 0 ; in < tam; in++)
printf("%s\n", copia[in].nomep);
}

int main(){
int indice, idade, qtd, in = 0;
char metodo, nome[20], endereco[20];
Pessoa **p = (Pessoa**) malloc(sizeof(Pessoa*)*N);
for(in = 0; in < N; in++)
inicializa(&p[in]);
while(metodo != 'e'){
scanf("%c", &metodo);
switch(metodo){
case 'i':
fflush(stdin);
scanf("%d", &qtd);
for(in = 0; in < qtd; in++){
fflush(stdin);
gets(nome);
fflush(stdin);
scanf("%d",&idade);
fflush(stdin);
gets(endereco);
fflush(stdin);
insere(&p[iq(nome)], nome, idade, endereco);
}
break;
case 'r':
fflush(stdin);
gets(nome);
Remove(&p[iq(nome)], nome);
break;
case 'c':
fflush(stdin);
gets(nome);
consulta(&p[iq(nome)], nome);
break;
case 'l':
fflush(stdin);
scanf("%d", &indice);
print(&p[indice]);
break;
case 'o':
fflush(stdin);
imprimeTudo(p);
break;
}

}

return 0;
}
  • C ou C++, qual é a linguagem? – gato 30/07/17 às 23:19
  • O trabalho deve ser em C – user86427 30/07/17 às 23:21
  • Onde exatamente esta dando erro? Aproveite e faça o tour para aprender a respeito do funcionamento e das regras do site. – gato 30/07/17 às 23:23
  • Peço desculpas, eu estava editando o título quando editaram pra mim, é que eu estou sofrendo com esse erro há 6 horas no mínimo, e nem prestei atenção... Então, o meu código compila, depois disso eu vou usar o insere, digito "i" e começo a inserir, por exemplo: i 4 Matheus 20 rua teste Quando dou enter no endereço, ele dá falha de segmentação – user86427 30/07/17 às 23:26
1

Você está esquecendo de inicializar um monte de variáveis locais, bem como verificar os tamanhos das entradas que você está recebendo, e isso pode gerar a falha de segmentação dependendo em que você escreve de entrada para o seu programa. Vamos seguir o chinês:

  1. Você entra em main(). Cria as variáveis locais:

    • indice (sem valor),
    • idade (sem valor),
    • qtd (sem valor),
    • in (0),
    • metodo (sem valor),
    • nome (vetor de 20 chars, com lixo),
    • endereco (vetor de 20 chars, com lixo),
    • p (array de N ponteiros para structs Pessoa).
  2. Reinicializa in com zero e usa-a para iterar sobre p, chamando inicializa() sobre cada elemento daquele vetor. inicializa(), por sua vez, meramente atribui a p[in] o valor NULL.

  3. entra num while esperando que metodo seja igual a 'e' — note que, como metodo não foi inicializado, existe 1 chance em 256 de que o espaço de memória de metodo contenha o byte 0x65, fazendo com que o programa misteriosamente termine o seu funcionamento imediatamente.

  4. Obtém-se uma informação do usuário (sem prompt) sobre qual a operação que se quer executar; o usuário aperta i [enter], e o sistema continua.

  5. O sistema faz um switch sobre o valor de metodo, e entra no ramo case 'i':, imediatamente descartando os valores restantes em stdin. Isso é ótimo para tratamento interativo, mas se o usuário resolver redirecionar stdin para automatizar sua digitação, aqui a entrada preparada em arquivo e redirecionada é jogada fora, e o programa chega em um impasse.

  6. O sistema preenche a variável nome usando gets() (novamente sem , o que significa que, se o usuário digitar um nome com mais de 19 caracteres, o sistema entrou em buffer overflow e vai começar a sobrescrever as outras variáveis locais na pilha.

  7. O sistema novamente descarta o resto de entrada em stdin usando fflush() e aguarda (sem prompt) o usuário entrar um número, cuja validade tampouco é verificada. Se o usuário não entrar um número aqui, a variável idade continuará contendo lixo e a execução seguirá.

  8. O sistema, mais uma vez, descarta o resto de entrada e aguarda (sem prompt) o usuário entrar um endereço; novamente, se o usuário entrar um endereço com mais de 19 caracteres, o sistema sobrescreverá as outras variáveis locais, o buffer de nome e possivelmente até mesmo o endereço de retorno de main().

  9. O sistema tenta fazer a inserção de (nome, idade, endereço) na célula iq(nome) de p:

    1. iq() itera sobre os elementos de nome, acumulando os valores de ordc(nome[i]) começando com 0.

      1. ordc(), por sua vez, retorna o valor alfabético de cada letra A-Z ou a-z maiúscula ou minúscula, ou retorna 27 para um espaço. Para caracteres acentuados como 'á' ou 'ç', ordc() retorna o valor não-inicializado de x.
    2. iq() finalmente retorna o resultado acumulado módulo o número de casas em p. No caso do nome de teste Matheus, ele retorna 13 + 1 + 20 + 8 + 5 + 21 + 19 = 87 mod 11 = 10.

  10. insere() começa a executar, recebendo o endereço de p[10], Matheus, 20 e Rua Teste em p, nome, idade e endereço, respectivamente. As seguintes variáveis locais são criadas:

    • ultimo, ponteiro para Pessoa (apontando para um segmento aleatório de memória);
    • aux, idem;
    • penultimo, ibidem;
    • i, inteiro (valor 0).
  11. A global tamanho, que foi inicializada na memória com 1, é incrementada para 2.

  12. aux, ultimo e penultimo cada um recebe um objeto na memória alocado via malloc().

  13. O sistema verifica se a posição de p está vazia. Como está, entramos no primeiro ramo.

  14. nome é copiado para ultimo->nomep usando strcpy(), que sobrescreverá o resto da estrutura caso nome tenha mais de 19 caracteres, mas neste caso concreto não.

  15. endereco é igualmente copiado para ultimo->enderecop usando strcpy(), abrindo a possibilidade de buffer overflow, e idade também é copiada para ultimo->idadep. A posição de p passa a apontar para ultimo e o sistema retorna, sem desalocar penultimo e aux que foram alocados inutilmente, gerando um vazamento de memória.

  16. O sistema sai de insere(), volta para o topo do for, elimina o resto da entrada e aguarda (sem prompt) a entrada do segundo nome. No entanto, antes disso você afirma que, no Ubuntu, o programa para com uma falha de segmentação, que quer dizer que ele está tentando escrever em memória não alocada. Isso pode ser devido a uma falha no malloc() de ultimo no Ubuntu, por exemplo, visto que você não verifica se a alocação foi bem-sucedida. Se não for, ultimo será NULL e o strcpy() gerará a falha de segmentação.

Em todo caso, procure corrigir esses problemas para que o seu código se torne mais robusto, e depois tente novamente. Se não funcionar, sugiro que compile com a flag -g e tente executar pelo gdb:

  • digite gdb meuexecutavel, depois que vir o prompt digite run[enter] e o seu programa estará executando.
  • digite os valores de entrada até o ponto que ocorrer o erro, quando o prompt do gdb voltará a aparecer. Aí você pode digitar list para ver a linha onde o erro ocorreu e digitar print [variável] para ver o valor de uma variável qualquer. Pelo menos uma delas vai estar com um valor inesperado, e a partir daí você pode determinar com mais precisão o que aconteceu.

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy