4

O PHP 5.5 implementou uma nova funcionalidade, que consiste em obter o nome da classe através da palavra chave class:

Exemplo:

namespace testando;
class Teste{}

echo Teste::class; // testando\Teste;

Isso funciona corretamente, como esperado.

Agora, eu gostaria de entender por que, quando a classe não existe, obtemos a saída da mesma maneira.

Exemplo:

echo ClasseNaoDeclarada::class; //ClasseNaoDeclarada

Existe alguma razão especial para obter esse nome (sendo que a classe não foi declarada)?

  • 6
    O porquê exatamente acredito que apenas os envolvido no desenvolvimento do PHP 5.5 (ou que entenda de C) estariam aptos a responder mas, se eu tivesse que adivinhar, eu diria que é por causa do/da Late Static Binding que atrasaria a resolução até o operador :: (T_PAAMAYIM_NEKUDOTAYIM) assumindo a classe à ele associada. – Bruno Augusto 24/06/14 às 17:55
  • 2
    Eu não consegui descobrir o motivo, mas quem quiser pesquisar pode olhar a proposta desse recurso e o pull request no repositório. – bfavaretto 26/06/14 às 3:24
  • 1
    Então, pelo que eu entendi, a ideia seria apenas conseguir nomes de classes 'fully qualified' sem esforços e mais elegantemente utilizando aliases ao invés de strings gigantescas com possíveis erros. @bfavaretto boa dica, a proposito – Virgílio Santos 27/06/14 às 14:10
  • Eu ando procurando isso e não acho kkkkkkkk um hora a gente acha !!!! kkkkkk – user6026 27/06/14 às 16:11
  • 2
    Vamos ver se agora estimula o tópico ^_^ – Bruno Augusto 27/06/14 às 17:20
4

Finalmente uma resposta oficial... em termos. Ela me foi dada por alguém identificado por requinix@php.net a partir deste bug que eu mesmo reportei. Fica apenas a ressalva de que não sei exatamente o quão envolvida com o desenvolvimento da linguagem essa pessoa está.

TL;DR

O PHP não precisa da definição de uma classe para saber o nome completo dela. Tudo que ele precisa ele obtém em tempo de compilação e, por isso, não precisa carregá-la.

Versão do Diretor

Namespaces assim como os uses são resolvidos em tempo de compilação, isto é, quando o PHP compila o arquivo antes de sua execução. Por esse motivo que existem requerimentos específicos sobre como eles podem ser usados.

Por causa de todos esses requerimentos, quando o PHP encontra o nome de uma classe ele já sabe, de prontidão, o nome completo dela. Imaginando isso como um sistema de arquivos, o namespace seria como um diretório para os locais relativos e os use seriam links simbólicos (symlinks).

O nome da classe pode ser tanto absoluto ("\Testing\Test") ou relativo ("Test") e se for relativo pode ser um nome normal[carece de contexto].

namespace Testing {
    echo Test::class; // \Testing + Test = \Testing\Test
}

Ou um alias:

use Testing\Test as AliasedTest;
echo AliasedTest::class; // AliasedTest + use = \Testing\Test

Sem tudo isso o autoloading de classes não funcionaria!

::class é apenas uma nova forma de expor essas informações que o PHP já conhece.

  • Show de bola! muito obrigado pela resposta! – Wallace Maxters 30/06/14 às 19:43
  • Todo o crédito vai para seja ele ou ela quem se deu ao trabalho de proporcionar essa breve explicação através de um veículo impróprio para tanto. Foi realmente surpreendente a boa disposição dele(a) haja vista o pessoal do bugs sempre vir coma sapatada pra cima da gente. – Bruno Augusto 30/06/14 às 19:54
3

Então, a ideia seria apenas conseguir nomes de classes 'fully qualified' sem esforços e mais elegantemente utilizando aliases ao invés de strings gigantescas com possíveis erros.

O nome é dado de acordo com tipo de classe e o namespace e os tipos são ZEND_FETCH_CLASS_SELF, ZEND_FETCH_CLASS_PARENT, ZEND_FETCH_CLASS_STATIC, ZEND_FETCH_CLASS_DEFAULT.

No pull request pode-se ver o case: ZEND_FETCH_CLASS_DEFAULT que constrói o nome da classe independente da sua 'existencia' ou não. Nos casos de teste o primeiro teste é justamente de uma classe que não existe e nem foi criada em runtime.

  • Faz sentido, mas apenas como consideração, essas, ao que me constam, constantes estão presentes no pull request. Até o momento prevalece o fragmento removido, constante às linhas 2166-2172. O quê exatamente nesse fragmento indica o motivo de uma classe não declarada retornar algo ao invés de emitir um Fatal Error? Outra coisa... Esse switch é baseado numa função que eu imagino ser coisa da própria engine. Mas se existe um switch, existem condições a cumprir então, esse comportamento seria personalizável? – Bruno Augusto 27/06/14 às 17:49
  • 1
    Os commits (3, incluindo a resolução de um memory leak) aparentemente foram aceitos sim por essa mensagem e o código que eu vi do branch PHP-5.5.14 tá lá e o switch foi até melhorado. O comportamento a cumprir é ele cair nos class types self, parent... e caso não caia, vai pra o default e cola o namespace (se tiver definido) com o nome da classe e pronto – Virgílio Santos 27/06/14 às 18:03
  • Em tempo, no branch PHP-5.5 já tem, inclusive – Virgílio Santos 27/06/14 às 18:05

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.