2

Contexto: estou desenvolvendo uma aplicação que consome várias APIs. Os JSON retornados por essas APIs possuem a sua estrutura própria, onde muitas vezes não é das mais intuitivas para o programador poder explora-las.

Exemplo: suponha que eu esteja utilizando uma API externa, e que que este é JSON retornado de uma rota qualquer.

{
  "arvore": {
    "avo": {
      "pai": {
        "eu": "pedro"
      }
    }
  }
}

Suponha também que a única informação que me interessa nesse JSON seja o valor da chave eu. Deste modo, todas as vezes que eu consumir esse recurso e obter esse JSON, terei que acessar minha informação de interesse assim: obj['arvore']['avo']['pai']['eu'] ou assim obj.arvore.avo.pai.eu, etc.

Problema/incômodo: o acesso a essa informação de interesse é muito verboso. E isso pode inibir um pouco a rapidez do processo de desenvolvimento em um cenário maior, enfim.


Eu estava pensando em criar uma espécie de wrapper para os JSON retornados - dos recursos que eu mais consumo-. Por exemplo, ao invés de acessar a chave através da sua estrutura real (obj['arvore']['avo']['pai']['eu']), eu simplesmente poderia dar um obj.eu e então teria exatamente o mesmo resultado. Porém, antes de implementar isso, quis levantar essa discussão aqui. No mais, desde já agradeço.

  • Faz um mixin com um objeto seu que tenha métodos de acesso rápido. Mixin é a palavra chave. – Renan 21/06/17 às 1:01
  • 2
    Faltou a linguagem do contexto. Apesar que pelo formato da sua explanação está parecendo python, é isso? Se for bastaria um classe que lesse o json e disponibilizasse o que vc quizesse, no formato desejado, apesar de que eu não perderia tempo com isso, se não fosse o objetivo principal. – Sidon 21/06/17 às 1:14
  • Conforme dito pelo colega @Sidon, seria bom deixar clara a linguagem em questão (se é JS mesmo, ou o quê). Creio que editar a questão para por a tag da linguagem desejada já é suficiente. Já adianto que o fato de ser verboso provavelmente não deveria ser um problema, visto que qualquer bom editor tem copy&paste e search/replace caso precise fazer uma alteração. Dependendo da linguagem bastaria algum #define, para simplificar a digitação ou centralizar o caminho em lugar específico. Ainda poderia criar alguma variável por referência, algo como eu = &obj['arvore']['avo']['pai']['eu'] – Bacco 21/06/17 às 1:16
  • Na verdade eu precisei disso em Python e em Javascript. Porém, pra ficar mais organizado, vou direcionar essa pergunta a Javascript. – Pedro Henrique Camargo 21/06/17 às 4:06
0

É um bocado rebuscado, mas podes fazer uma função recursiva que procura as entries do objecto e se a primeira key do retorno for igual à key que tu estás à procura, então retorna esse valor - caso contrário chama a função outra vez com o segundo valor do retorno:

const tree = {
  "arvore": {
    "avo": {
      "pai": {
        "eu": {
          "nome": "pedro",
          "familia": "dev"
        }
      }
    }
  }
}

function getObjectValueByKey(key, _pool) {
  const pool = Object.entries(_pool);
  let found = null;

  pool[0].forEach(entry => {
    if (entry === key) {
      found = pool[0][1];
    }
  });

  if (found) return found;
  else return getObjectValueByKey(key, pool[0][1]);
}


const value = getObjectValueByKey('eu', tree);
console.log('value?', value);
0

Encontrei uma solução simples utilizando métodos estáticos do ECMAScript 6, tal como se segue no código. Neles, eu defino como retorno o caminho para a minha informação de interesse, simples assim.

    var obj = {
        "arvore": {
            "avo": {
                "pai": {
                    "eu": "pedro"
                }
            }
        }
    }

    class Access {
        static getEu(obj) {
            return obj.arvore.avo.pai.eu;
        }
    }

    document.body.innerHTML = Access.getEu(obj);

  • Eu não recomendaria usar uma classe desse jeito somente para colocar um método estático nela, não faz muito sentido, se for assim, usar uma função era mais simples. – Gabriel Katakura 5/07/17 às 11:47
  • Então, eu utilizei as classes mais no sentido de criar grupos. Porque num contexto real, com dezenas de funções, as classes (ou grupos) ajudariam um pouco. – Pedro Henrique Camargo 6/07/17 às 23:28
  • Caso esteja usando ES6, imports/exports já resolvem esse problema... – Gabriel Katakura 6/07/17 às 23:51
0

Você pode criar uma função que crie um alias para o seu objeto, apontando sempre para o path definido pela função.

function get(source, path) {
  return path.split('.').reduce((currentValue, propertyName) => {
    return currentValue && currentValue[propertyName]
  }, source);
}

function alias(source, aliasName, path) {
  return Object.defineProperty(source, aliasName, {
    get() {
      return get(this, path);
    }
  });
}

const obj = {
  "arvore": {
    "avo": {
      "pai": {
        "eu": "pedro"
      }
    }
  }
};

const decorated = alias(obj, 'eu', 'arvore.avo.pai.eu');

decorated.eu; // "pedro"

decorated.arvore.avo.pai.eu = "joão";

decorated.eu; // "joão"

Caso queira múltiplos aliases:

function aliases(source, aliases) {
  return aliases.reduce((decorated, args) => {
    return alias(decorated, ...args)
  }, source);
}

const decorated = aliases(obj, [
  ['avo', 'arvore.avo'],
  ['pai', 'avo.pai'],
  ['eu', 'pai.eu']
]);

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.