18

Fazendo alguns testes em uma base de dados que em MySQL, percebi que:

SELECT * From client WHERE uuid = '1kvsg4oracxq'

retorna o mesmo resultado que:

SELECT * From client HAVING uuid = '1kvsg4oracxq'

Qual exatamente a real diferença entre where e having?

  • Link interessante HAVING especifica uma condição de busca para um grupo ou uma função agregada usada em uma consulta SQL – Artur Trapp 9/06/17 às 19:13

3 Respostas 3

19

Ambos funcionam como se fossem um if, ou seja, filtram linhas do banco de dados.

O WHERE funciona direto na linha, já o HAVING funciona em resultados de agregadores de linhas, o mais usado é com o GROUP BY.

Pesquisando concluí que realmente é esperado que o seu uso sem um agregador funciona como um WHERE, não é uma coincidência, apesar de ser uma liberalidade, não há nada na especificação que diga que deva ser assim. De acordo com o Jefferson Almeida em comentário abaixo, fazer assim não é portável entre o padrão SQL.

Tem quem prefira até evitá-lo, usando subquery e outros mecanismos, aplicando o WHERE nesse resultado.

É realmente importante perguntar já que esse é um dos casos que funcionar pode não ser o certo, embora eu não consiga imagina que problema possa causar nesse caso. Já usar WHERE quando quer filtrar o agregado não funciona.

  • Segundo o link que eu postei no comentário, quando Group By não está presente, Having se comporta como um Where, acho que é isso que acontece huahua – Artur Trapp 9/06/17 às 19:16
  • @ArturoTemplário sim, faz todo sentido, mas eu quero ter algo mais certo. – Maniero 9/06/17 às 19:18
  • No SQL Server, por exemplo, não funciona. – Jeferson Almeida 9/06/17 às 19:19
  • @JefersonAlmeida tem certeza? – Maniero 9/06/17 às 19:32
  • 1
    @Everson pode até ser, mas tem um sinais vermelhos nesse texto, não sei se a fonte é boa. – Maniero 9/06/17 às 19:57
7

A diferença é que o HAVING é utilizado juntamente com o GROUP BY, exemplo:

SELECT a.id, COUNT(a.id) qtde FROM sua_tabela a
WHERE a.um_campo_da_sua_tabela = 'um_valor_qualquer'
GROUP BY a.categoria
HAVING qtde > 5

Nessa consulta acima, o WHERE esta fazendo o papel normal dele, que é filtrar a consulta. O GROUP BY esta agrupando os resultados de acordo com a categoria. E o HAVING esta filtrando o campo qtde.

3

A diferença fundamental entre entre as duas cláusulas é que Where realiza a filtragem nas tabelas de origem como primeiro passo da consulta (query), enquanto Having realiza a filtragem na tabela resultante, como último passo da consulta. Dessa diferença fundamental, derivam as demais diferenças de especificação e de funcionalidade entre as duas cláusulas, em especial:

  1. Referências às variáveis;
  2. Utilização na junção de tabelas (join);
  3. Filtragem com base em agregadores;

1. Referências às variáveis:

Na cláusula Where os nomes das variáveis utilizadas como condições da filtragem devem ser iguais aos nomes da tabela de origem. Já na cláusula Having os nomes das variáveis devem ser iguais aos nomes da tabela resultante. No exemplo citado, suponha que você mude o nome da variável de uuid para usuario. Na cláusula Where você terá que utilizar o nome antigo; na cláusula Having você utilizará o nome novo:

SELECT uuid as usuario, password as senha  From client WHERE uuid = '1kvsg4oracxq';

SELECT uuid as usuario, password as senha From client HAVING usuario = '1kvsg4oracxq';

2. Junção de tabelas:

A cláusula Where é bastante útil na junção de tabelas. Ao filtrar diretamente na tabela de origem, ela torna mais ágil a junção de grandes bases de dados:

SELECT t1.*, t2.* From client as t1
LEFT JOIN company as t2 on t1.comp_id = t2.comp_id
WHERE t1.uuid = '1kvsg4oracxq';

Repare que caso a variável uuid esteja presente em mais de uma tabela de origem, você precisa fazer referência à tabela na qual será realizada a filtragem, no exemplo acima é a t1 (ou client).

Você ainda poderia obter o mesmo resultado com a cláusula Having, mas a um custo computacional muito maior. Nessa segunda opção, o software vai juntar todos os casos das duas tabelas primeiro e depois realizar a filtragem. Se suas tabelas forem grandes, levará muito mais tempo, além de estar sujeito a limitações de espaço de gravação dos arquivos temporários.

SELECT t1.*, t2.* From client 
LEFT JOIN company on t1.comp_id = t2.comp_id
HAVING uuid = '1kvsg4oracxq';

Quando utilizamos a cláusula Having, não faz sentido indicar a tabela de origem da variável, pois a filtragem é realizada na tabela final (resultante).

3. Filtragem com base em agregadores:

Por fim, a principal, e já citada, funcionalidade da cláusula Having é a filtragem com base em agregadores e novas variáveis produzidas na consulta. Uma vez que cláusula Where realiza a filtragem nas tabelas originais, ela não tem capacidade de fazer referência aos agregadores criados na própria query. Já a clausula Having, por filtrar na última etapa da consulta, tem a capacidade de interagir com elementos criados durante a consulta.

A cláusula Having em conjunto com Group by é muito útil para eliminar duplicatas condicionalmente. Por exemplo, se cada cliente de sua tabela tiver muitos registros e cada registro tem uma data diferente (por exemplo, na variável de data DT_LOG), você pode obter uma nova tabela apenas com o registro mais recente (ou o valor máximo de DT_LOG) para cada cliente:

CREATE TABLE LOG_MAIS_RECENTE as
SELECT DISTINCT * From client 
GROUP BY uuid
HAVING DT_LOG = MAX(DT_LOG);

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.