6

Suponha que temos uma tabela 'Vendas' com as seguintes colunas 'estado', 'cidade', 'vendedor', 'valor'.

'estado' e a 'cidade' seria onde a venda foi realizada e 'vendedor' seria o que fez essa venda. 'valor' seria o valor da venda.

Qual a melhor, mais barata, mais inteligente abordagem para acumular esses valores por 'estado' ou 'cidade' ou 'vendedor'?

Fazer 3 selects:

sql = "SELECT estado, sum(valor) 
       FROM vendas
       GROUP BY estado";

sql = "SELECT cidade, sum(valor) 
       FROM vendas
       GROUP BY cidade";

sql = "SELECT vendedor, sum(valor) 
       FROM vendas
       GROUP BY vendedor";

ou

Fazer 1 select só e fazer os cálculos com a linguagem de programação

sql = "SELECT * FROM vendas";

Deixar a cargo na linguagem de programação (no caso eu trabalho com Java) fazer esses cálculos, sendo que o trabalho braçal do programador seria mais pesado?

  • 1
    Se você pensar que a tabela vendas pode conter milhões de registros, fica claro que fazer os 3 selects é mais "barato". – NilsonUehara 7/06/17 às 18:08
  • Obrigado pela resposta, era como eu imaginava. Agora! Por favor. Mudei um pouco o cenário e fiz um comentário na resposta abaixo. Se possível, poderia comentar lá também? – Henrique Santiago 7/06/17 às 18:24
  • @HenriqueSantiago: SEMPRE que possível filtre no banco de dados. Geralmente o sgbd gera plano de execução otimizado para filtrar, principalmente se houver índice que atenda à consulta. // Além disso, diminui o tráfego na rede. // – José Diz 7/07/17 às 10:40
  • @HenriqueSantiago: Em alguns gerenciadores de banco de dados é possível fazer as 3 consultas em uma única leitura dos dados, usando GROUPING SETS. . O resultado retorna como um único conjunto de dados. – José Diz 7/07/17 às 10:48
  • desculpa mas não entendi, é uma pergunta com resposta "pré-definida" e escolhida, apenas para dar a recompensa? – Ricardo Pontual 27/05/20 às 17:31

4 Respostas 4

16
+50

Deixe o banco de dados trabalhar por você.

Não que isso seja uma verdade absoluta. Mas trazer um monte de dados para a aplicação filtrar quase sempre é um erro. Digo quase porque sempre pode ter um cenário que eu não sei que pode ser útil ou a única forma viável. Mas consigo lembrar de um assim de cabeça.

Trazer dados demais tem custo para o banco de dados, para a infraestrutura e para a aplicação, sem falar que terá um código a mais para lidar.

Esse caso claramente é melhor usar o SQL completo e trazer só o que precisa. Veja se pode fazer as três consultas em um query só. Provavelmente não pode, porque as tecnologias mais usadas dificultam isso, mas depende um pouco de como está tudo organizado.

Pode ter algum caso muito específico e esquisito que seria melhor trazer tudo, mesmo assim seria pouco ganho e acho algo tão fora da curva que duvido que aconteceria de verdade.

Claro que precisa arquitetar a aplicação para trabalhar bem, precisa ver se o banco de dados está devidamente configurado para suportar esse query adequadamente.

Há controvérsias de qual é o limite que deve passar para o banco de dados. Muitos problemas de escalabilidade ocorrem porque o desenvolvedor sobrecarrega o banco de dados com coisas que ficariam melhores na aplicação. Sempre haverá a discussão sobre o uso de Stored Procedures ou não.

Eu digo e repito, muitas das técnicas e ferramentas que existem hoje foram criadas para resolver um problema criado por outra técnica que era desnecessária ou pior do que a simples. Frequentemente as pessoas ignoram a Navalha de Occam. Claro que sempre haverá o argumento que o mais complexo está fazendo algo a mais. Há casos que é verdade, mas há casos que é só complicação por não avaliar o todo, ou por gostar daquilo, ou só saber fazer de um jeito.

A parte "boa" é que criou-se uma indústria enorme por causa de tanto problema novo. Parecemos hamsters na rodinha.

Hamster na rodinha

Relacionado: Por que usar "SELECT * FROM tabela" é ruim?.

  • Obrigado pela resposta. Era como eu imaginava. – Henrique Santiago 7/06/17 às 18:19
  • Mudando um pouco o cenário. Se eu também necessitar fazer um "SELECT * FROM vendas" porque irei alimentar uma tabela com esses registros e também gerar três gráficos alimentados por aqueles outros 3 selects que eu já mencionei. Neste caso, ainda é melhor deixar a cargo do SQL? – Henrique Santiago 7/06/17 às 18:22
  • 1
    Aí já acho que pode começar compensar trazer isto e depois gerar as outras na aplicação. Mas tem, uma coisa. Se for pequeno, fará pouco diferença, se for grande talvez tenha problema em trazer tudo. Precisaria ver se compensa o esforço de um código extra pra manipular isso. Mas precisa saber fazer, pelo fato de não ter um índice a seu serviço pode fazer esse filtro ficar bem mais lento que pedir de novo para o banco de dados. É o que eu falei no começo da pergunta, se o cenário mudar um pouco já não dá para responder tão claramente. A regra básica é fazer todos cenários e medir. – Maniero 7/06/17 às 18:26
  • O que seria 'pequeno' pra ti? Hoje, o maior select desse cenário onde estou trabalhando está trazendo no máximo 500 registros. – Henrique Santiago 7/06/17 às 22:39
  • 1
    Não dá pra falar em números, tem que medir. – Maniero 7/06/17 às 22:59
-4

Acho que usar tanto o SELECT * FROM vendas quanto os 3 SELECT's bem estranho, talvez seria melhor fazer uma tabela que organize pelo menos uma coluna, como o nome do vendedor, por exemplo. Aí ficaria assim:

sql = "SELECT * FROM vendas
       GROUP BY vendedor";

o "vendedor" ali em cima pode ser substituído por cidade ou estado

  • 2
    Note um agregado na consulta sum(valor). Ciente disso veja que a pergunta é sobre se é mais vantajoso consultar todos os dados e então os somar dentro da linguagem de programação ou então somar dentro do banco de dados e da linguagem consultar apenas os resultados. – Augusto Vasques 25/05/20 às 2:53
-5

Desculpe-me por discordar do amigo Maniero quanto a "Deixe o banco de dados trabalhar por você...".

No meu ponto de vista, desacoplar a aplicação da tecnologia adotada no Banco de Dados é sempre a melhor estratégia, pois entrega portabilidade e facilita a migração entre versões de banco. Além disso, um programador que "deixa o banco trabalhar" precisa ser também um AD ou DBA de banco, caso contrário estará utilizando mal o BD e o "feitiço pode virar contra o feiticeiro". Se a aplicação é Java, cujos padrões JPA já estão muito mais do que maduros, é bem melhor entregar a responsabilidade pela construção dos 'selects' à QueryBuilder e deixar que ela leve em consideração todos os detalhes, tais como CHARSET e Dialect.

  • 7
    Caro Rogério, eu sinceramente acho q não entendi sua resposta, e acho q ninguém vai entender, você afirma algo na sua resposta q parece ser o mesmo que você esta discordando da outra resposta, até parece um paradoxo. Pessoalmente eu penso duas coisas sobre isto 1: você perdeu o contexto da primeira frase da resposta do Maneiro e talvez você não tenha entendido, fazendo uma confusão em sua própria resposta - 2: a sua resposta parece q foi baseada mais em um ambiente/ferramentas especificas que você conhece e não de fato no problema abordado na pergunta do Henrique. – Guilherme Nascimento 23/05/20 às 0:44
  • desculpe-me se não fui claro. Vou tentar melhorar da próxima vez. – Rogerio Fersan 28/05/20 às 17:39
  • O resumo do que tentei dizer é: "sempre coloque a regra do negócio na aplicação e use o banco de dados somente para armazenamento". – Rogerio Fersan 28/05/20 às 17:41
  • 2
    Agora parece que esta falando exatamente ao contrário da resposta, regras de negócio somente na aplicação, é como dizer que SGDBs não precisariam de IFs, muita coisa nem é regra de negócio, usando um ORM por exemplo estaria na aplicação mas seria passado pra query, e de qualquer forma a query é escrita na aplicação, mas é repassada como comando pro banco através da conexão, acho melhor ler a resposta do Maniero e tentar repensar, pois ainda sim me parece que você esta afirmando coisas da sua maneira, ambiente e ferramentas e não coisas técnicas de fato. – Guilherme Nascimento 28/05/20 às 20:08
-5

Cada caso é um caso.

Acredito que esteja falando que, na interface, o usuário poderá selecionar a visualização de um relatório de vendas, com opção por cidade, estado ou vendedor.

O exemplo passado usa o SQL ANSI, que é executado em qual quer banco de dados. Não faz sentido usar a linguagem de programação (java) com um laço para fazer a soma. Você pode utilizar o hibernate para abstrair o SQL, ou não.

Uma solução e usar uma estrutura de seleção (if), e de acordo com a opção selecionada na interface executa o SQL correspondente, apresentando a lista conforme a opção escolhida.

  • 1
    Me parece que um banco bem projetado e por alguém experiente sempre vai levar para o lado de resolver no proprio banco, somente (ou geralmente) ao contrário, quando não é bem feito que vai ser o caso de usar "cada caso como um caso", então digamos que para gambiarras assim em bancos do qual você não tem "controle" ou é legado e geralmente mal feito, sua resposta seria válida, agora se formos falar do que esta bem feito, planejado e por pessoas experientes (de ambos lados, quem projetou o banco e quem vai usa-lo) então isso de "caso a caso" seria errado. – Guilherme Nascimento 25/05/20 às 20:21

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.