2

Esta pergunta já tem uma resposta aqui:

Como e porque utilizar o Reflection? Tem muita utilidade prática no dia a dia? Sua utilização oferece algum ganho para o sistema em si?

marcada como duplicata por Laerte, Filipe Oliveira, Fernando Leal, Filipe.Fonseca, Cigano Morrison Mendez 10/06/14 às 17:21

Esta pergunta foi feita antes e já tem uma resposta. Se essas respostas não abordarem completamente sua pergunta, faça uma nova pergunta.

  • Excelente pergunta (já favoritei). Acho que se aplica não apenas ao mundo .NET mas a outras plataformas como Java também. – Renan 10/06/14 às 16:48
4

Há outra questão que responde isso muito bem, com mais detalhes, mas o intuito desta resposta é ser um pouco mais rápida e sucinta que o link a seguir: O que é Reflection, por que é útil? Como usar?

Como e porque utilizar o Reflection?

O Reflection, no Framework .NET, é uma funcionalidade em que é possível ler os dados de um objeto quanto à sua classe, ou seja, obtendo informações sobre:

  • Propriedades da classe;
  • Métodos;
  • Outros valores.

Ele não é exclusivo do Framework .NET. Outras linguagens de programação, como o Java, por exemplo, também possuem a funcionalidade de Reflection.

Tem muita utilidade prática no dia a dia?

Muitas, eu diria. O Entity Framework, por exemplo, usa extensivamente Reflection para mapear dados de um banco de dados para objetos de um modelo.

Em um código que desenvolvi aqui, consigo ler as propriedades de um objeto em C# utilizando o seguinte:

    /// <summary>
    /// Extrai as propriedades de um objeto.
    /// </summary>
    /// <param name="objeto"></param>
    /// <returns></returns>
    private IEnumerable<PropertyInfo> ExtrairPropertiesDeObjeto(Object objeto)
    {
        return objeto.GetType().GetProperties(BindingFlags.Instance | BindingFlags.Static | BindingFlags.Public |
                               BindingFlags.NonPublic | BindingFlags.FlattenHierarchy);
    }

O retorno será de uma lista de PropertyInfo, em que eu posso obter o nome da propriedade, o valor dela, o nível de proteção, etc. No meu caso, utilizo para transformar o objeto em uma sentença SQL inteira preenchida com parâmetros. É apenas um código para todas as tabelas do sistema, sendo que as informações de cada tabela estão anotadas como propriedades e atributos de uma classe.

O código a seguir extrai as propriedades de um objeto cuja classe está com o attribute [Column]:

    /// <summary>
    /// Obter as colunas da tabela segundo as colunas anotadas com o Atrribute Column.
    /// </summary>
    /// <returns></returns>
    protected IEnumerable<String> ExtrairColunas()
    {
        foreach (var propertyInfo in ExtrairPropertiesDeObjeto(Activator.CreateInstance(typeof(T))))
        {
            var columnAttribute = (ColumnAttribute)propertyInfo.GetCustomAttributes(typeof(ColumnAttribute), true).FirstOrDefault();
            if (columnAttribute != null)
            {
                yield return columnAttribute.Name;
            }
        }
    }

E a seleção é feita da seguinte forma:

    /// <summary>
    /// 
    /// </summary>
    /// <param name="operadores"></param>
    /// <returns></returns>
    public override IEnumerable<T> Selecionar(IEnumerable<Operador> operadores)
    {
        try
        {
            using (var obj = new Database())
            {
                var sSql =
                    "SELECT ";

                foreach (var coluna in ExtrairColunas())
                {
                    sSql += VirgulaOuEspaco + " t." + coluna;
                }

                sSql += " from " + ExtrairNomeTabela() + " t ";

                foreach (var operador in operadores)
                {
                    sSql += WhereOuAnd + " t." + operador;
                }

                var parametros =
                    operadores.Where(o => o.GetType().IsAssignableFrom(typeof(Igual)))
                        .Select(o2 => ((Igual)o2).ParametroOracle)
                        .ToList();
                var dataTable = obj.ConsultarSQl(ConexaoBancoDados, sSql, parametros);

                return Transliterar(dataTable.Rows);
            }
        }
        finally
        {
            ReiniciarWhereEVirgula();
        }
    }

O sistema inteiro usa este método para montar SELECTS. A única coisa que passo para a classe de repositório é um objeto.

Sua utilização oferece algum ganho para o sistema em si?

Eu diria que é uma pergunta retórica. O Reflection oferece uma gama de funcionalidades e capacidades extras para a aplicação, em que a alternativa seria escrever muito mais código.

A base dos Frameworks atuais é sobretudo em cima de Reflection.

  • Essa pergunta foi feita, porque às vezes não vejo praticidade de saber propriedades de um objeto e seu tipo, pois o tenho declarado em meu código. – pnet 10/06/14 às 16:57
  • @pnet Bom, se precisar, posso ir dando exemplos de como fazer. – Cigano Morrison Mendez 10/06/14 às 16:59
  • Sempre é bom, apesar de deixar claro que a intenção aqui não é código para ver, mas sim, aprender e abstrair tudo quanto ao que foi perguntado. Mas ter um exemplo prático é sempre bom sim. Vou mudar de trabalho e pra onde vou, preciso desses conceitos. – pnet 10/06/14 às 17:04

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.