11

Tenho a seguinte função para incluir classes quando estamos a tentar utilizar uma classe que ainda não foi definida:

/**
 * Attempt to load undefined class
 * @param object $class_name object class name
 */
function __autoload($class_name) {

    $incAutoload = dirname(__FILE__);
    $filename = $class_name.'.class.php';

    /* App Classes
     */
    $appPath = $incAutoload.'/classes/'.$filename;

    if (is_file($appPath)) {
        require_once($appPath);
        return true;
    }

    /* Website Classes
     */
    $sitePath = $incAutoload.'/classes/site/'.$filename;

    if (is_file($sitePath)) {
        require_once($sitePath);
        return true;
    }

    // ...
}

Problema

Sempre que é criada uma sub-directoria para organizar as classes do projeto, tenho que editar este ficheiro e incluir uma verificação para essa sub-directoria:

/* Google Classes
 */
$path = $incAutoload.'/classes/google/'.$filename;

if (is_file($path)) {
    require_once($path);
    return true;
}

Pergunta

Como posso optimizar esta função de forma a que a mesma procure pela classe na directoria base classes mas também em qualquer uma das sub-directorias existentes?

  • Por que não utiliza o autoload do composer? Bem simples e prático, sem contar que seu código estará dentro de um padrão (PSR). – Brayan 22/01/14 às 12:51
  • @Brayan Olá, é uma ideia. Se puderes, elabora uma resposta com essa solução e um exemplo de como funciona! – Zuul 22/01/14 às 13:25
  • @Zuul, estive acompanhando as atualizações desta pergunta. Há bastante opções. Caso nenhuma das respostas tenha lhe agradado, não seria bom nos dar um feedback sobre isso para podermos melhorá-las? – utluiz 22/01/14 às 13:39
  • 1
    @utluiz Na verdade, só hoje estou a testar cada uma das opções apresentadas para ver qual se "comporta" melhor, irei votar e atribuir a gratificação no prazo máximo de 3 dias ;) Até lá, ou pelo menos sem concluir os testes, não me posso manifestar por não estarem reunidas as condições para o efeito! – Zuul 22/01/14 às 14:23
4
+50

Faça assim:

Arquivo na raiz:

new \Root\Classe();
new \Root\foo\Tree();

spl_autoload_register(function ($className) {
    $className = str_replace('Root\\', '', $className);
    $className = strtr($className, '\\', DIRECTORY_SEPARATOR);
    require $className.'.php';
});

Arquivo "Classe.php", também na raiz:

namespace Root;

class Classe {
    public function __construct() {
        echo 'Raiz';
    }
}

Arquivo "Tree.php", localizado em "raiz/foo":

namespace Root\foo;

class Tree {
    public function __construct() {
        echo 'Tree';
    }
}

Saída ao executar o primeiro código:

Raiz Tree

Assim, você utiliza o namespace para fazer o autoload, combinando o namespace com o caminho físico, conforme eu tinha comentado. É rápido, simples, elegante e sem iteração, e você só carrega os arquivos que realmente interessam. Acessar o disco é um processo lento, se você tiver inúmeras classes, por um processo de iteração sobre pastas e arquivos, prejudicaria muito seu desempenho.

  • Sem dúvida se Namespaces puderem ser utilizados (sistemas não-legados) é a melhor alternativa. – Allyson de Paula 22/01/14 às 13:44
  • 2
    Quem deu o voto negativo, é convidado a explicar o porquê nos comentários. – Calebe Oliveira 22/01/14 às 20:32
  • Fiz uma atualização no script de autoload, de acordo com as atuais especificações recomendadas de PHP. – Calebe Oliveira 2/02/14 às 4:25
  • O autoload PSR-4 do Composer funciona exatamente da mesma forma. Documentação – Calebe Oliveira 8/02/15 às 3:19
2

Você pode usar a spl_autoload, veja um exemplo:

spl_autoload_register(NULL, FALSE);
spl_autoload_extensions('.php');
spl_autoload_register();

set_include_path(get_include_path() . PATH_SEPARATOR . '../');

OU

set_include_path(get_include_path() . PATH_SEPARATOR . __DIR__ . '/');
  • Além da solução usando Namespaces, esta é a melhor alternativa na minha opinião, mas se não me falha a memória existe uma limitação ao se usar set_include_path. No caso do Windows você pode definir um path+file name de no máximo 260 caracteres, além disso eu não tenho certeza mas acho que a própria definição de paths concatenados também tem limite. Desta forma quase sempre terá problemas ao utilizar-se desta solução. – Allyson de Paula 22/01/14 às 13:40
  • "Por padrão, ela verifica todos os caminhos de inclusão por arquivos formados pelo nome da classe em minúsculo acrescido das extensões de arquivo .inc e .php" - Isso não significaria que o PHP, internamente, itera sobre os diretórios procurando os arquivos? – Calebe Oliveira 22/01/14 às 20:53
0

Existem várias maneiras de solucionar isso. Algumas são iterativas, mas isso tem um preço em termos de performance. Eu faria algo semelhante ao que propõe o Calebe Oliveira, porém sem utilizar a função __autoload, porque, segundo o manual:

Dica spl_autoload_register() fornece uma alternativa mais flexível para 'autoloading' de classes. Por esta razão, o uso da função __autoload() é desencorajado e pode estar [ficar] obsoleto ou ser removido no futuro.

Segundo um comentário presente no manual, do PHP 5.3 em diante basta criar uma estrutura de diretórios que corresponda à estrutura dos seus namespaces, e incluir o seguinte no início do seu código, uma única vez:

spl_autoload_extensions(".php"); // comma-separated list
spl_autoload_register();
-2

Cache em um Mapa

Uma das formas de fazer isso é armazenar um cachê de classes pelo nome num array. Fiz uma implementação básica:

function list_classes($dir, $array = array()){
    $files = scandir($dir);
    foreach($files as $f){
        if($f != '.' && $f != '..'){
            if (strcmp(pathinfo($f)['extension'], 'php') == 0) {
                $array[basename($f, '.php')] = $f;
            } else if(is_dir($dir.'/'.$f)) {
                list_classes($dir.'/'.$f, $array);
            }
      }
    }
    return $array;
}


$classes_cache = list_classes(dirname(__FILE__));
var_dump($classes_cache);

O código acima lista recursivamente os arquivos .php do diretório atual, incluindo subdiretórios e armazena num array (ou mapa) cujo índice (ou chave) é o nome do arquivo sem a extensão.

Exemplo, dada uma chamada list_classes('classes') a partir de main.php:

/
  main.php
  /classes
      Class1.php
      Class2.php
      /other_classes
          Class3.php

O resultado do array seria:

{
  'Class1' => 'Class1.php',
  'Class2' => 'Class2.php',
  'Class3' => 'other_classes/Class3.php'
}

Enfim, criando este cache global, basta usá-lo no seu método de autoload.

Entretanto, haverá problema se houver arquivos com o mesmo nome em diretórios diferentes. Neste caso, seria interessante adicionar uma verificação se o item já existe no array e lançar um erro ou aviso.

Além disso, se houverem muitas pastas e diretórios, isso pode afetar um pouco o desempenho do script, mas será feito apenas uma vez. Então, se vale ou não a pena essa técnica, depende de quantas vezes o método de autoload será chamado.

Lista de diretórios

Uma segunda abordagem é criar um array de diretórios e pesquisar se a classe existe em cada um deles. Note que a ordem do array ditará a prioridade da busca.

Segue um exemplo (baseado no SO):

function __autoload($class_name) {

    $array_paths = array(
        'classes/', 
        'classes/site'
    );

    foreach($array_paths as $path) {
        $file = sprintf('%s%s/class_%s.php', dirname(__FILE__), $path, $class_name);
        if(is_file($file)) {
            include_once $file;
        } 

    }
}

O array de diretórios poderia ser carregado automaticamente com um algoritmo similar ao anterior:

$array_paths = glob(dirname(__FILE__).'/../*', GLOB_ONLYDIR);

Dessa forma, não é necessário percorrer todos os subdiretórios, mas a cada carregamento de classe será necessário olhar o sistema de arquivos.

Padrão de Nomenclatura

Outra técnica usada por alguns frameworks, como o Zend Framework é colocar um underline no nome das classes para representar o caminho a partir de um diretório base. Por exemplo, a classe Animal_Cachorro fricaria dentro no diretório /Animal.

Segue um código de exemplo (baseado no SO):

function __autoload($class_name) {
    $filename = str_replace('_', DIRECTORY_SEPARATOR, strtolower($class_name)).'.php';
    $file = dirname(__FILE__).'/'.$filename;
    if (!file_exists($file)) return FALSE;
    include $file;
}

Este é o método mais direto e com melhor desempenho, pois é feito apenas uma cesso ao sistema de arquivos.

Porém, do meu ponto de vista, ele "suja" o nome das classes. Não me parece boa prática misturar a estrutura de diretórios com os nomes das suas classes apenas para facilitar a construção de frameworks e método utilitários.

  • As duas primeiras técnicas são horríveis, ja a última seria a melhor no ponto de vista de desempenho. E quanto a sujar o nome das classes, nas versões mais recentes do PHP existe namespaces, o que pode substituir os "_", então isso não é justificativa. – WoLfulus 2/02/14 às 5:19
  • 3
    @WoLfulus Eu citei 3 abordagens possíveis sem usar namespaces. Fiz considerações sobre o desempenho, talvez você não tenha lido com atenção. Já existe outra resposta que fala da questão do namespace, não vou repeti-la. Além disso, essas técnicas "horríveis" são a única opção se você não quer ou não pode usar namespaces ou não pode refatorar todas as suas classes. Só porque existe um jeito "melhor" de fazer as coisas, não significa que técnicas alternativas e mais antigas são sejam importantes para atender a requisitos e contextos específicos. – utluiz 2/02/14 às 14:13
-3

A SPL tem classe DirectoryIterator para listar diretorios e arquivos. A ideia é pegar dos os diretorios abaixo de classes e retornar como um array e depois listar todos os arquivos de cada pasta.

function listarDiretorios($dirInicial){
        $dir = new  DirectoryIterator($dirInicial);

        $dirs = array();
        foreach ($dir as $item){
            if(!$item->isDot() && $item->isDir()){
                $dirs[] = $item->getFileName();
            }
        }
        return $dirs;
}

function listarArquivos($raiz, $dirs){
    $files = array();
    foreach ($dirs as $item){
        $dir = new  DirectoryIterator($raiz.$item);
        foreach ($dir as $subitem){
            if(!$subitem->isDot() && $subitem->isFile()){
                $files[$item][] = $subitem->getFileName();
            }
        }

    }
    return $files;
}

uso:

//essas constantes podem ser definados em um arquivo config.
define('PATH', dirname(dirname(__FILE__)));
define('CLASSES_PATH', dirname(__FILE__). DIRECTORY_SEPARATOR. 'classes'.DIRECTORY_SEPARATOR);

$dir = listarDiretorios(CLASSES_PATH);
$files = listarArquivos(CLASSES_PATH, $dir);

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.