1

Dado um arquivo texto com o layout abaixo:

VASCO;JOGADOR_1
VASCO;JOGADOR_2
VASCO;JOGADOR_3
PALMEIRAS;JOGADOR_4
PALMEIRAS;JOGADOR_5
PALMEIRAS;JOGADOR_6
PALMEIRAS;JOGADOR_7

Como criar uma lógica (preferência por bash, python ou java) para obter o resultado abaixo:

VASCO;JOGADOR_1,JOGADOR_2,JOGADOR_3
PALMEIRAS;JOGADOR_4,JOGADOR_5,JOGADOR_6,JOGADOR7

Não sei quantos times e quantos jogadores por time terá no arquivo texto.

Resumir em cada linha do arquivo gerado uma linha contendo o nome do time ponto-vírgula a lista de jogadores do respectivo time separado por vírgula (o último jogador não deve ter vírgula ao final)

Até o momento consegui criar em java parte do código, para ler o arquivo e começar a separar o que é time e o que é jogador. Estou pesquisando sobre listas para tentar fazer uma lista de times e cada lista de times ter uma lista de jogadores, e ir adicionando os elementos em tempo de execução, é uma boa alternativa?

public class Principal {
public static void main(String[] args) throws FileNotFoundException, IOException {
    String time;
    String jogador;

    String nomeArquivo = "input.txt";
    FileReader arquivoEntrada = new FileReader(nomeArquivo);
    BufferedReader bufferArquivoEntrada = new BufferedReader(arquivoEntrada);
    String linha = bufferArquivoEntrada.readLine();
    while(linha != null){
        System.out.println(linha);
        String[] linhaSplit = linha.split(";");
        time = linhaSplit[0];
        jogador = linhaSplit[1];
        System.out.println("Time........: " + time);
        System.out.println("Funcionario.: " + jogador);
        linha = bufferArquivoEntrada.readLine();
    }
  }
}
  • 3
    Tentou alguma coisa? Qual dificuldade encontrada? A mim parece um trabalho de faculdade que você nem sabe por onde começar rs – MarceloBoni 16/05/17 às 22:18
  • Obrigado pela atenção e entendo seus questionamentos. É um projeto pessoal, não de faculdade mas você está certo. Já fiz algumas coisas em bash mas minha dificuldade maior nesse momento e estruturar a lógica mesmo para esse caso específico – hmm 16/05/17 às 22:49
  • Posso responder uma logica possivel de se usar, mas veja que ficaria ampla demais.... existem algumas formas de se obter o mesmo resultado, e não limitando ainda qual a linguagem pretende usar, fica mais amplo ainda rs – MarceloBoni 16/05/17 às 22:52
  • Recomendo diminuir pelo menos o escopo da pergunta "Pretendo usar essa linguagem" já melhoraria um pouco – MarceloBoni 16/05/17 às 22:53
  • 1
    Marcelo, obrigado. Nesse momento estou no ônibus rs, logo que possível adiciono algo que já tentei. Minha preferência é por java, bash (linux) ou python por já ter brincado um pouco com estas linguagens – hmm 16/05/17 às 23:01
1

Você pode criar um algoritmo como esse:

import java.io.File;
import java.io.FileInputStream;
import java.io.IOException;
import java.nio.charset.Charset;
import java.nio.file.Files;
import java.nio.file.Path;
import java.nio.file.Paths;
import java.util.*;

public class App {

    public static void main(final String[] args) throws IOException {
        final File file = new File("input.txt");
        final FileInputStream stream = new FileInputStream(file);
        final String content = new Scanner(stream, "UTF-8").useDelimiter("\\A").next();
        final Map<String, Set<String>> map = new LinkedHashMap<>();

        for (final String line : content.split("\n")) {
            final String[] array = line.split(";");
            final String team = array[0];
            final String player = array[1];

            if (map.containsKey(team)) {
                map.get(team).add(player);
            } else {
                final Set<String> players = new LinkedHashSet<>();
                players.add(player);
                map.put(team, players);
            }
        }

        final List<String> lines = new ArrayList<>(map.size());

        for (final Map.Entry<String, Set<String>> entry : map.entrySet()) {
            final StringBuilder builder = new StringBuilder(entry.getKey() + ";");
            final Iterator<String> iterator = entry.getValue().iterator();

            while (iterator.hasNext()) {
                builder.append(iterator.next()).append(iterator.hasNext() ? "," : "");
            }

            lines.add(builder.toString());
        }

        final Path outputFile = Paths.get("output.txt");
        Files.write(outputFile, lines, Charset.forName("UTF-8"));

        System.out.println("Input: \n" + content);
        System.out.println("Output: \n" + lines);
    }
}
  • Pedro, muito obrigado! Fiz um teste usando seu código com uma pequena massa de dados e o resultado parece ser 100% o esperado. Irei estudar bastante os conceitos que você utilizou para aprender mais. Algo na minha cabeça falava "usar algo com chave-valor" mas o desenvolvimento saía. O pulo do gato aí foi o uso do LinkedHashMap certo? Irei estudar sobre ele. Estou marcando sua resposta como a correta! Mais uma vez, muito obrigado! – hmm 17/05/17 às 22:37
  • Sim, tanto o LinkedHashMap como o LinkedHashSet, pois ambas mantém ordem de inserção. – Pedro Rodrigues 18/05/17 às 2:35
1

Podemos supor que usamos bash 4 para cima, certo? Nesse caso, temos vetores associativos/mapeamentos. Como estamos trabalhando com texto, esse é o tipo de variável básica do bash, então estamos em casa.

Vamos chamar nosso shell de cria_times.sh, beleza? Como todo bom shell script, vamos deixar ele o mais flexível possível assumindo a entrada padrão. Para receber do arquivo input.txt, basta executar o seguinte comando: ./cria_times.sh < input.txt.

A ideia básica aqui é loopar sobre esses conceitos:

  1. a linha tem o formato <TIME> ; <JOGADOR>
  2. leio a linha e separo os componentes <TIME> e <JOGADOR>
  3. adiciono <JOGADOR> ao vetor posicional identificado por <TIME>

Para fazer um loop de leitura simples, eu gosto de sempre começar assim:

initialize

while read LINHA; do
    do_something
done

Pois bem, agora precisamos por aqueles 3 passos apontados acima dentro do do_something e inicializar as coisas no initialize. Como dito logo no começo, eu preciso fazer uma associação entre time e seus jogadores; portanto, já sei que eu preciso do seguinte no initialize:

declare -A times

O comando declare permite criar variáveis no bash. Os argumentos que ele recebe mudam essa variável. Por exemplo, se eu quisesse criar um inteiro propriamente dito (sim, as vezes precisamos usar inteiros em shell script), poderíamos fazer declare -i meu_inteiro.

Além de criar variáveis, também é possível ver o conteúdo de uma variável usando o declare -p VAR. Muito útil quando você está testando o script na linha de comando. Por exemplo, como declare -p times descreve a variável times depois que mandou criá-la?

Bem, agora temos um vetor associativo. Para acessar o valor dentro do vetor associativo. Para pegar o valor dentro da chave Palmeiras, usamos a seguinte expansão de variável:

time=${times[Palmeiras]}

Note que o índice do vetor é sensível ao caso.

Assim, conseguimos acessar a string time que está associada ao índice Palmeiras. Posso dizer que queremos que os jogadores estejam separados entre vírgulas. Então, ao modificar a variável time, preciso colocar uma vírgula entre os jogadores anteriores e o novo. Podemos fazer isso com expansão de variável também:

time=${time:+${time},}${jogador}

A expansão ${var:+STRING} vai se tornar STRING se e somente se var for uma variável preenchida. STRING é qualquer STRING válida, podendo inclusive ser uma expansão de variável, então eu pedi para colocar o valor de time seguido de uma vírgula. Se var não tiver valor ou estiver vazia, então a expansão ${var:+STRING} vai retornar uma string vazia.

Não podemos nos esquecer de mandar a informação de volta para o vetor associativo, então, depois de atualizarmos o time, precisamos atualizar times:

times[Palmeiras]="${time}"

Ok, já sabemos ler uma linha (passo 1) e, sabendo quem é o jogador e o time, acrescer o jogador no time (passo 3). Também inicializamos nossos valores adequadamente na região initialize. Falta então apenas o passo 2.

Para saber quem é o <TIME> de uma linha, podemos usar expansão de variável sobre LINHA. Sabemos que o <TIME> é tudo que há antes do primeiro ponto-e-vírgula. Portanto, podemos pedir para a expansão remover tudo que há depois do ponto-e-vírgula e ficar apenas com o começo da variável:

nome_time=${LINHA%%;*}

A expansão ${var%%ENDPATTERN} é uma expansão guloso que vai arrancar de var a terminação que casar com ENDPATTERN. Como a expansão é gulosa, o ENDPATTERN identificado acima ;* permite que eu passe para LINHA o valor PALMEIRAS;Fulano ponto-e-virgula;Sicranoso que a expansão retornará apenas PALMERIAS.

Para identificar jogador, eu uso uma expansão de variável não gulosa. Pretendo excluir o começo da linha até chegar no primeiro ponto-e-vírgulo:

jogador=${LINHA#*;}

A expansão ${var#BEGINPATTERN} é uma expansão não guloso que vai arrancar de var o prefixo que casar com BEGINPATTERN. Como a expansão é não gulosa, o BEGINPATTERN identificado acima como *; permite que eu passe para LINHA o valor PALMEIRAS;Fulano ponto-e-virgula;Sicranoso que a expansão retornará apenas Fulano ponto-e-virgula;Sicranoso.

Pronto, com essas duas expansões temos o passo 2 completo. Assim, juntando todos os pedaços, temos:

# bloco initialiaze
declare -A times

# passo 1: leitura da linha
while read LINHA; do
    # passo 2: identificação dos componentes da linha
    nome_time=${LINHA%%;*}
    jogador=${LINHA#*;}

    # passo 3: alterar o conteúdo do time 
    time=${times[${nome_time}]}
    time=${time:+${time},}${jogador}
    times[${nome_time}]="${time}"
done

Ok, já lemos nossos times da entrada padrão, agora só falta escrever =)

Como estamos em shell script, vamos assumir a saída padrão. Caso seja necessário direcionar essa saída padrão para um arquivo, use o redirecionamento de saída ./cria_times.sh > output.txt. Você pode usar o redirecionamento de saída junto com o de entrada, não há problema.

Para loopar sobre as chaves do vetor associativo times, use a seguinte expansão de variável:

for time in "${!times[@]}"; do
    do_something
done

Como o formato de impressão é <TIMES> ; <JOGADORES>, o do_something aqui será apenas a impressão:

for time in "${!times[@]}"; do
    echo "${time};${times[${time}]}"
done

Juntando a leitura com a impressão em um grande script, temos:

#!/bin/bash

# bloco initialiaze
declare -A times

# passo 1: leitura da linha
while read LINHA; do
    # passo 2: identificação dos componentes da linha
    nome_time=${LINHA%%;*}
    jogador=${LINHA#*;}

    # passo 3: alterar o conteúdo do time 
    time=${times[${nome_time}]}
    time=${time:+${time},}${jogador}
    times[${nome_time}]="${time}"
done

for time in "${!times[@]}"; do
    echo "${time};${times[${time}]}"
done

UPDATE

Bem, esqueci de colocar uma fonte de pesquisa =]

A fonte que eu mais aprendi sobre bash e shell scripting de maneira geral foi o Canivete Suíço do Aurélio Verde.

Outro ponto que vira e mexe eu olho é a documentação oficial GNU, mas só passei a ler na fonte depois que eu me acostumei com as coisas estranhas no shell, depois de ler bastante o Canivete Suíço.

  • 1
    Jefferson, boa noite! Sua resposta é praticamente uma aula, muito obrigado! Também segui seus passos e cheguei no resultado esperado. Muito obrigado pelo tempo dedicado nessa resposta assim como as referências passadas! Irei estudar mais e mais sobre bash, já me salvou de alguns problemas e trabalhos diários que seriam manuais. Abraço! – hmm 17/05/17 às 22:46
  • 1
    @hmm bash é muito expressiva, sem falar que pode se tornar uma sopa de caracteres. Só por o código eu acho que não é gratificante o suficiente – Jefferson Quesado 17/05/17 às 23:35
  • 1
    Rapaz, dei uma olhada com mais calma no Canivete Suiço, animal! Vou até comprar o livro "Shell Script Profissional - Aurélio Marinho Jargas". Mais uma vez, obrigado! Grande abraço! – hmm 20/05/17 às 16:58
  • @hmm ótimo livro, recomendo =] – Jefferson Quesado 20/05/17 às 17:06
  • 1
    Após padronizar a quebra de linha (para somente \n) no arquivo de input o problema foi resolvido. Obrigado! – hmm 21/05/17 às 16:29

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.