6

Sou meio novato em python e queria saber para que realmente serve essa função tão confusa, procurei em varios sites porém nenhum tem realmente dizendo para que serve ela

  • Um jeito fácil de lembrar: print() é pro usuário, repr() é pro programador. – dot.Py 2/05/17 às 14:59
4

__repr()__ serve para representar um objeto como uma string. Não precisa ser chamado diretamente. Toda vez que o Python precisa resolver um objeto como string, __repr__() será chamado automaticamente.

Vários tipos de objetos implementam __repr__() por padrão. Para objetos, normalmente __repr__() devolve a descrição e a referência em memória para o objeto.

A grande vantagem de __repr__() é justamente poder reescrevê-lo, como fiz aqui. Ao invés de escrever o objeto como <tipo + referência>, você pode formatar sua string da maneira como bem entender:

class MeuObjeto(object):
    def __init__(self):
        self.valor1 = 1
        self.valor2 = "2"

    def __repr__(self):
        return str(self.valor1) + ", " + self.valor2

Teste:

>>> o = MeuObjeto()
>>> o
1, 2
3

O repr chama o método interno __repr__ do objeto. A ideia dele é retornar uma representação como string de qualquer objeto - mas pensando antes no programador do que no usuário final do programa. Sobretudo é o repr que é chamado para cada resultado de expressão quando usamos o Python no modo interativo.

Assim, por exemplo, para uma string numa variável a, repr(a) retorna a string, mas com aspas simples em volta. Em contraste, str(a) mostra o objeto como string, mas numa forma que seja amigável de ser mostrada para o usuário, quando o programa estiver em execução. (Ou seja, o conteúdo da string, sem as aspas). Veja a diferença:

>>> a = "maçã"
>>> a  # internamente, o Python chama o "a.__repr__"
'maçã'
>>> print(a) # internamente, o Python (o código no "print") chama "a.__str__"
maçã

Via de regra, para objetos simples, built-in, havia a idaia de que se você copiasse a saída do repr e colasse como texto num terminal Python ou programa, você recriaria o objeto inicial de volta. Isso vale para strings, listas, dicionários, tuplas e sets - e você pode criar reprs de seus próprios objetos de forma que também valha pra eles. Mas o __repr__ padrão mostra o nome da classe e o ID da instância (que no Python é igual o endereço de memória do objeto, mas isso é um detalhe de implementação): ou seja, não é possível recriar o objeto "repr"esentado por padrão, mas pode-se distinguir uma instância de outra olhando-se os seus reprs no terminal.

Diferença entre __repr__ e repr

Por fim, vale notar que todo objeto em Python tem um método __repr__ - por que o o object, raiz de todos os objetos em Python tem um - e esse método é chamado automaticamente em várias situações: para ter uma forma de texto de um objeto para uma sessão interativa de Python, uma representação de texto a ser incluída de forma recursiva numa representação de texto de outro objeto, que contenha o objeto inicial, e algumas outras.

Já o método "built-in" repr é a forma de se chamar explicitamente os __repr__ de um objeto quando queremos fazer isso. Assim como o len pode chamar o método __len__ e também para hash e __hash__, next e __next__ - a idéia é que essas funções built-in funcionem praticamente como operadores unários para acessar essas funcionalidades que os objetos tem e que são escritas na forma de métodos com os "nomes mágicos", com dois underscores. (Em textos não oficiais - como e-mails, cursos, e tutorais, você vai ver esses métodos sendo chamados de métodos "dunder" - uma contração de "double-underscore".)

E por fim, vale dizer que quando é solicitada a representação como string de um objeto, com str, o Python busca primeiro o método __str__ - mas ao contrário do __repr__ nem todos os objetos tem um método __str__padrão. (A classe object não implementa __str__) então a função built-n str ao não encontrar o __str__ chama o __repr__ do objeto para ter sua representação como string. Esse é um dos motivos de ser preferível chamar os métodos built-in a chamar os métodos "dunder" diretamente - mesmo que para o repr não haja quase nenhuma diferença entre fazer uma coisa e outra.

Em Python2 tinhamos agravantes do tipo: o método __repr__ sempre tinha que retornar uma string, não um texto unicode. E os objetos, além do método __str__ podiam implementar também o __unicode__. Ademais, o repr de strings transformavam qualquer caractere não ASCII em uma sequência de escape do tipo "\0xPython 3 simplificou bastante tudo isso.

  • valeu professor!, só pude ver agora, obrigado! – Adriano guedes 6/05/17 às 1:14

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.