4

Recebi uma resposta que falava sobre um syncblock. Por que ele é necessário?

Pelo que entendi no que pesquisei é sobre controle de concorrência. Mas por que todo objeto precisa dele se nem todos terão concorrência?

4

De fato a função principal dele é o controle de concorrência, mas não é a única, de alguma forma teria que existir esse "bloco" no cabeçalho do objeto.

Ele tem o endereço de um objeto de sincronização que vai garantir o controle sobre o acesso ao objeto. O objeto de sincronização é mais complexo, não poderia estar em cada objeto, então é colocado só uma referência para esse objeto.

Algumas pessoas acham que não deveria ter por padrão e só os objetos que realmente podem ser sincronizados é que deveria ter esse overhead. Mas na prática quase todo objeto pode ser sincronizado, ainda que em geral não sejam. É uma complicação ter que ficar escolhendo isso se quase todos terão esse custo.

Sem ele a sincronização teria que ser feita pelo sistema operacional o que implica em troca de contexto de execução que é algo bem caro em processamento. Então optou-se por gastar um pouco de memória para ter um mecanismo próprio de sincronização que é bem mais rápido.

Poderiam ter optado por alguma outra forma. Poderia ter uma tabela global de controle. Haveria um custo de processamento extra para achar o objeto na tabela, mas economizaria espaço. Mas ou acharam essa solução melhor ou não pensaram nisso antes.

Syncblock

2

Garantia de sincronização

Uma função do syncblock é fazer esse controle de concorrência em um sistema multitarefa. Não sei se é nesse sentido que você tem dúvida, mas vou colocar um exemplo.

Suponha que em seu sistema você tenha uma classe que implementa um Singleton. Nesse cenário existe então uma instância de uma classe rodando no sistema e essa instância é única para qualquer chamada que for feita aos métodos. Se você tiver dois thread rodando no sistema e isso significa que os dois podem chamar o mesmo método do Singleton ao mesmo tempo. Se você não fizer nenhum controle, dependendo do código que é executado no método, o seu programa pode funcionar de forma incorreta.

Uma das formas de garantir que essas duas chamadas não terão problemas de execução, é preciso sincronizar a execução delas, ou seja, você precisa garantir que se os dois thread chamarem o método ao mesmo tempo, um vai executar antes do outro e assim não haverá interferência. Para isso, usamos aquele bloco de comando lock do .NET.

Por exemplo, vou apresentar um código para implementa um Singleton de forma segura e sincronizada para um sistema multitarefa:

public sealed class Session
{

    private static volatile Session instance;
    private static object sync = new Object();

    private Session() { }

    public static Session Instance
    {
        get
        {
            if (instance == null)
            {
                lock (sync)
                {
                    if (instance == null)
                    {
                        instance = new Session();
                    }
                }
            }
            return instance;
        }

    }

}

O bloco do lock ativa esse controle na variável sync alocando a posse do controle de execução para aquele thread que chamou o método Instance. Dessa forma, quando o segundo thread chamar o mesmo método Instance, o sistema vai tentar chamar o lock para o sync e o resultado vai ser um bloqueio temporário na execução daquele segundo thread. Quando o primeiro thread sair do bloco lock, ele vai liberar o controle na variável sync permitindo assim o desbloqueio do segundo thread e a continuação da execução dele.

A forma como o código de exemplo foi implementado vai garantir que apenas uma instância da classe Session seja criada. O segundo thread que rodar, quando passar pelo lock vai identificar que a instância já foi criada e vai receber ela. Se não houvesse esse controle, existiria uma chance de cada um dos thread receber uma instância nova da classe Session e então não teríamos mais um Singleton.

O que o seu programa fez foi criar uma espécie de sincronização forçada naquela parte do código para que não seja executada por dois threads ao mesmo tempo. O syncblock então é uma área reservada na memória para aquele objeto para que ele permita usar essa função de sincronização em certos pontos críticos do código.

  • Muito boa explicação. – Diego Farias 1/05/17 às 23:26

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.