19

Penso no Jquery como um Framework Javascript com intuito de otimizar a escrita, o Ajax é um bom exemplo.

  • Além da escrita facilitada, existe diferença entre ambos?
  • Quais as vantagens e desvantagens em usar jQuery?
28

jQuery é JavaScript.
Ou seja jQuery é uma biblioteca escrita/construida com a linguagem JavaScript.

Existem duas razões principais para ter uma biblioteca como jQuery:

  • poder simplificar a vida ao programador, com menos linhas de código para fazer coisas que em JavaScript nativo seria preciso mais linhas
  • ter uma API que é igual em todos os browsers que essa biblioteca suporta

Pensando na biblioteca jQuery como uma ferramenta para facilitar a vida ao programador, a ideia é poupar trabalho, em extensão de código necessário escrever e minimizar possiveis erros.

Por exemplo uma chamada ajax para ir buscar um JSON seria assim em jQuery:

$.getJSON('/o/meu/url', function(data) {

});

para fazer o mesmo em JavaScript nativo seriam precisas mais linhas:

var request = new XMLHttpRequest();
request.open('GET', '/my/url', true);

request.onload = function() {
  if (request.status >= 200 && request.status < 400) {
    // tudo correu bem!
    var data = JSON.parse(request.responseText);
    // aqui é o mesmo que o interior do exemplo com jQuery
  } else {
    // este pedaço é corrido se houver algum erro

  }
};

request.onerror = function() {
  // este pedaço é corrido se houver algum erro
};

request.send();

Na prática o jQuery tem essas linhas todas escritas na sua biblioteca (no ficheiro JavaScript que temos de carregar com a página) mas mostra ao programador somente os métodos que constrói e simplificam as coisas como mostrei no primeiro exemplo.

jQuery nem sempre é preciso, aliás já não é tão importante como foi em tempos. Um site interessante com funcionalidades comuns que se fazem bem em JavaScript nativo hoje em dia: http://youmightnotneedjquery.com/

Quando programamos uma aplicação, e os utilizadores usam o nosso programa em browsers diferentes corremos o risco de o JavaScript que escrevermos não funcionar em alguns browsers. Isto porque cada um implementa as coisas com ligeiras diferenças, ou porque uns são mais modernos que outros. O papel de bibliotecas como o jQuery é criar uma camada de abstração para só usarmos a sua API, e não JavaScript nativo. Assim, dentro da biblioteca, fazem-se as correções e ajustes necessários para um código jQuery como $(document).on('click', ... seja decomposto no JavaScript que um dado browser entende e proporcionar a mesma funcionalidade.

Um exemplo clássico é a maneira de amarrar auscultadores de eventos nas versões antigas do Internet Explorer.

A maneira moderna é elemento.addEventListener mas o IE tinha elemento.attachEvent. Para evitar escrever uma data de código como este (fonte):

//addEventListener polyfill 1.0 / Eirik Backer / MIT Licence
(function(win, doc){
	if(win.addEventListener)return;		//No need to polyfill

	function docHijack(p){var old = doc[p];doc[p] = function(v){return addListen(old(v))}}
	function addEvent(on, fn, self){
		return (self = this).attachEvent('on' + on, function(e){
			var e = e || win.event;
			e.preventDefault  = e.preventDefault  || function(){e.returnValue = false}
			e.stopPropagation = e.stopPropagation || function(){e.cancelBubble = true}
			fn.call(self, e);
		});
	}
	function addListen(obj, i){
		if(i = obj.length)while(i--)obj[i].addEventListener = addEvent;
		else obj.addEventListener = addEvent;
		return obj;
	}

	addListen([doc, win]);
	if('Element' in win)win.Element.prototype.addEventListener = addEvent;			//IE8
	else{		//IE < 8
		doc.attachEvent('onreadystatechange', function(){addListen(doc.all)});		//Make sure we also init at domReady
		docHijack('getElementsByTagName');
		docHijack('getElementById');
		docHijack('createElement');
		addListen(doc.all);	
	}
})(window, document);

usamos jQuery, que tem mais ou menos isso dentro do seu ficheiro .js e usamos a sua camada de abstração (API) que fica somente:

$(elemento).on('nome-do-evento', ...

Mais informação:

  • Gostei do exemplo do addEventListener. Eu achava que a maneira que as empresas de Browsers escrevem seus js seguiam um padrão. Então posso dizer que o jQuery é mais do que necessário? – Marconi 27/04/17 às 10:43
  • @Marconi sim, exato. jQuery ou outra biblioteca é importante se precisares de usar muito js em browsers diferentes. – Sergio 27/04/17 às 10:54
20

JavaScript é uma linguagem, enquanto jQuery é uma biblioteca focada na manipulação de elementos do DOM. Bibliotecas são feitas com base em uma linguagem e frameworks são feitos geralmente com base em uma biblioteca.

O que acontece é que o javascript é uma linguagem antiga e o desenvolvimento com ela é um pouco trabalhosa e as vezes é necessário escrever muito código. Então o jQuery é um framework, ou seja, é o próprio javascript redefinido de uma maneira mais moderno, simples de usar e com o uso de menos código.

Uma diferença que deve ser destacada é de que o JavaScript roda nativamente no browsers enquanto que para o jQuery deve ser adicionada uma referência a sua biblioteca no HTML.Por exemplo:

<script type='text/javascript' src='//code.jquery.com/jquery-1.10.1.js'></script>

Vantagens de usar jQuery:

  • Acesso direto a qualquer componente do DOM, ou seja, não há necessidade de várias linhas de código para acessar determinados pontos no DOM.

  • O uso de regras de estilo não sofre qualquer tipo de limitação devido as inconsistências dos navegadores. Mesmo os seletores CSS3 podem ser usados sem qualquer restrição.

  • Manipulação de conteúdos, sem limitações, com algumas poucas linhas de código. Suporte para toda a gama de eventos de interação com o usuário sem limitações impostas pelos navegadores.

  • Possibilidade de inserir uma grande variedade de efeitos de animação com uma simples linha de código.

  • Uso simplificado e sem restrições com AJAX e linguagens de programação, como PHP e ASP.

  • Simplificação na criação de scripts.

  • Emprego cross-browser.

  • É possível selecionar elementos com maior facilidade, maior compatibilidade, e com menos código. Veja um exemplo de um codigo em JavaScript e do mesmo em jQuery:

    - Em JavaScript:

var botao = document.getElementById("botao");

if (botao.attachEvent) {
    botao.attachEvent("onclick", function(event) {
        alert("Você clicou no botão, usuário do IE!");
    });
} else if (botao.addEventListener) {
    botao.addEventListener("click", function(event) {
        alert("Você clicou no cabeçalho!")
    }, false);
}
<button type="button" id='botao'>Clique</button>

- Em jQuery:

$("#botao").click(function (event) {
  alert("Você clicou no botao!");
});
<script src="https://ajax.googleapis.com/ajax/libs/jquery/2.1.1/jquery.min.js"></script>
<button type="button" id='botao'>Clique</button>

Note como a sintaxe do jQuery é bem menor.

Desvantagens ao ultilizar jQuery

  • jQuery tem perda de performance. Esse tipo de perda é inerente a quaisquer abstrações, mas é acentuado pela quantidade de recursos extras envolvidos.

    A implementação em si também é menos otimizada quando comparada a
    implementações que já vem do próprio core do Javascript. É bom evitar a utilização de jQuery, pelo menos, em loops muito extensos ou aninhados onde uma penalidade de performance pode se multiplicar ou até crescer exponencialmente.

  • jQuery é uma biblioteca, então possui outros concorrentes. Se você estiver usando um framework como o Angular que possui o seu próprio jqLite, não haverá necessidade de usar jQuery. Saber JavaScript, entretanto, sempre será útil.

Referências:

  • 6
    Boa resposta, +1 – Sergio 26/04/17 às 19:42
  • 5
  • 3
    @jbueno Sou novata em programação e a pergunta me chamou a atenção, e como não conhecia do assunto resolvir pesquisar sobre e colocar aqui a resposta para ajudar pessoas futuras que possam vim ter essa mesma duvida. Como vc percebeu não me contentei com apenas uma fonte e pesquisei em uma segunda para elaborar de forma mais clara a resposta. Reconheço a minha falha de n ter colocado as referências, mas como vc tbm pode constadar ja corrigir isso. – Alicia Tairini 26/04/17 às 22:23
  • 3
    AlíciaTairini: como referi em cima achei a resposta boa. Lendo com mais atênção, e como outros repararam, vejo que o conteúdo não é teu. A resposta como está é plágio de outros artigos. Na verdade não encontrei uma frase na resposta que fosse tua. O @Marconi editou e mudou nome de variáveis (não percebo bem porquê) mas até o código é copiado. Isso não é ok. – Sergio 27/04/17 às 17:53
  • 5
    O que é bom é que te deste ao trabalho de procurar e (provavelmente) leste esses artigos. Aí seria interessante escreveres algo teu, com o conhecimento que leste lá. Como está não pode ficar. Deixo um comentário para saberes o que penso. Vou pensar mais sobre isso, que já tem sido discutido no meta. De resto gosto muito de ver novos programadores como tu a participar no site, e espero que continues com respostas deste nível, que sejam tuas. – Sergio 27/04/17 às 17:53

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.