8

Eu estou fazendo uma pesquisa sobre teste de software (ambientes de teste integrado, depuração e manutenção) e encontrei esse Travis CI, mas meu inglês não é muito bom e não achei artigos em português. Basicamente, o que é e pra que serve Travis CI? E como eu posso fazer uso dele?

11

O CI significa Continuous integration (integração continua), ou seja isto se refere a uma série de testes que você pode escrever para garantir que os seus códigos e afins funcionem da maneira esperada através de testes unitários.

Alguns links úteis:

O Travis-CI é uma ferramenta que você integra com o teu repositório online (no caso creio que apenas o Github) para que toda vez que você subir uma atualização o próprio Travis-CI irá fazer os testes nos ambientes que você desejar/configurar.

Por exemplo, supondo que eu escrevi um script para PHP e configurei o phpunit (teste unitário para PHP), então eu defini o .travis.yml que deve estar no mesmo repositório assim:

language: php

php:
  - 5.6
  - 7.0
  - 7.1

Claro também deve-se colocar no repositório os testes que escreveu (dependendo da tecnologia que usa)

Isto irá fazer o Travis-CI testar somente o meu script somente nas versões 5.6, 7.0 e 7.1 do PHP, um exemplo o Laravel: https://travis-ci.org/laravel/framework

Veja que o próprio Travis-CI faz tudo sem você precisar instalar nada e você pode apontar em sua página ou arquivo .md (como o README.md) uma imagem para verificar o estado atual:

<img src="https://travis-ci.org/laravel/framework.svg" alt="Build Status">

Simplesmente se estiver verde é que esta Ok, outras cores podem ser pequenas falhas ou o teste não passou.

O Travis-CI não suporta somente PHP, na verdade ele suporta muitas linguagens ou tecnologias e com isto diferentes tipos de testes (que claro é você que escreve):

7

É uma ferramenta de integração contínua. Esta é uma metodologia que prega que tudo o que vai sendo feito do desenvolvimento deve ser integrado imediatamente, em geral várias vezes ao dia. Então você tem o projeto centralizado onde todos desenvolvedores vão colocando suas modificações onde o sistema é testado e construído de forma completa mostrando se algo está dando errado e identificando problemas logo que eles aparecem e não mais tarde quando pode ser mais complicado.

Quando falo em testes falo de um conjunto de verificações de qualidade e não apenas testes de unidade.

Em alguns casos a própria implantação acaba sendo simulada para ter certeza que tudo está ok.

Há quem questione o quanto isto é tão útil assim. Há quem demonstre que há dificuldades em operar desta forma.

Obviamente que em equipes pequenas a utilidade passa ser bem menor, mas ainda é possível se beneficiar da automação do processo completo de verificação de qualidade.

O Travis CI cuida de tudo isto (se devidamente configurado para cada tarefa, ele não adivinha nada, dá um trabalhão o tempo todo deixar tudo em ordem, mas pode poupar bastante trabalho também) e ele se comunica com diversas outras ferramentas que auxiliam o desenvolvimento de software em equipe. Ele sozinho não faz nada.

Ele controla o fluxo do repositório dos fontes, o build da solução, os testes diversos, de unidade, integração, de carga, performance, estáticos e dinâmicos, cria documentação, simula ou até prepara o deploy, eventualmente até abre tickets de bug.

Um concorrente fala sobre CI em português.

Artigo da IBM.

Sobre o Travis CI em português.

  • Achei muito úteis a forma de explicar e o alerta de que integração contínua pode não ser benéfica. +1 – Piovezan 3/03/18 às 13:54
  • Quando é falado que é todo um conjunto de testes e não só unitários, acredito que faça sentido incluir em particular os testes de integração. – Piovezan 3/03/18 às 14:02

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.