0

Por exemplo, você dá o número 100 e o maior número primo dentro de 100 é 97. Como posso programar isso?

"Escreva a função maior_primo que recebe um número inteiro maior ou igual a 2 como parâmetro e devolve o maior número primo menor ou igual ao número passado à função

Note que

  • maior_primo(100) deve devolver 97

  • maior_primo(7) deve devolver 7

Dica: escreva uma função éPrimo(k) e faça um laço percorrendo os números até o número dado checando se o número é primo ou não; se for, guarde numa variável. Ao fim do laço, o valor armazenado na variável é o maior primo encontrado."

Essa é a pergunta. Podem me ajudar? Fiz alguns testes mas não fazem o menor sentido. Segue um dos testes:

def maior_primo(p):
    while p >= 2:
        i = p - 1
        p % 1 == 0
        return p


def éPrimo(k):
    i = 2
    é_primo = 0
    while i < k:
        if k % i ==0:
            break
        else:
            i = i+1
    if i == k:
        é_primo = False
        return False
    else:
        é_primo = True
        return True
3

Você pode usar a função criada pelo Miguel no post citado nos comentários:

Código1:

def maior_primo(n):
    for num in reversed(range(1,n+1)):
        if all(num%i!=0 for i in range(2,num)):
            return num

Output1:

maior_primo(100) 
>>>97

Ou pode utilizar essa função que criei, tentando deixar mais intuitivo o processo e facilitar o seu entendimento:

Código2:

def maior_primo(n):

    primos = []
    for i in range(n):
        c = 0
        for j in range(n):
            if i%(j+1) == 0: 
                c += 1
        if c == 2:
            primos.append(i)

    return(max(primos))

Output2:

maior_primo(100)
>>> 97

A ideia por trás dela é a seguinte:

  1. Para cada número de 1 até o número inserido pelo usuário ao chamar a função:
  2. Verifique se o resto da divisão desse número pelos números de 1 até ele mesmo, é igual a 0.
  3. Se for igual a 0, some 1 ao contador.
  4. Se ao final das iterações o contador estiver com o valor 2, isso quer dizer que o número é divisível somente por 2 números no loop de 1 até ele mesmo; ou seja, é um número primo.
  5. Se o número for primo, vou guardá-lo numa lista chamada primos
  6. Depois de testar todos os números no intervalo
  7. Vou retornar para o usuário o maior valor existente na lista primos.

Esse valor será o maior número primo no intervalo de 1 até o número inserido.

  • 1 não é primo, por favor não conte o 1! – Wtrmute 23/06/17 às 5:43
  • Olá, eu só acho que com a tua função estás a fazer mais do que o que realmente precisas, precisas só de um num, devias retornar logo porque escusas de os percorrer a todos e guardar numa lista e depois ainda fazer o max(). Podes fazer for I in reversed(range(n)): e retornas logo quando encontras o primeiro – Miguel 23/06/17 às 5:54
  • @Wtrmute 1 normalmente não é primo :) Tem um vídeo do canal Numberphile no YouTube explicando porque normalmente se exclue o 1 do conjunto dos primos – Jefferson Quesado 23/06/17 às 10:57
1

UPDATE: o Anderson Carlos Woss tem uma ótima resposta sobre o Crivo, respondida um mês antes da minha: https://pt.stackoverflow.com/a/206144/64969

Eu fui membro da equipe de Maratona de Programação da minha faculdade. Éramos os Colecionadores de Balões, da UECE. E primos era uma quase constante durante as questões da Maratona, então precisávamos de algo rápido, prático e eficiente, muito eficiente.

O algoritmo que a gente usava para calcular os números primos era o Crivo de Eratóstenes. Por que ele era eficiente? Porque ele calculava todos os primos menores do que ou igual a n em um tempo de o(n log log n); e só precisava fazer isso uma vez, poderíamos armazenar esse valor calculado no começo do programa e usá-lo adiante. Também preciso ressaltar que o Crivo exige memória o(n), então só pode ser usada para números pequenos (como 700 milhões em C, talvez uns 100 milhões em Python, por exemplo).

Como funciona esse algoritmo? Bem, ele funciona marcando as posições sabidamente não primas/números compostos de um vetor com base nos primos que ele descobre. No final do Crivo, todas as posições não marcadas que restaram são números sabidamente primos.

Usando o vetor de primos resultante para calcular o maior primo menor que n

Suponha que eu tenha um vetor chamado numero_eh_primo de booleanos. Ele precisa ter pelo menos n + 1 posições para dar certo o Crivo. Obviamente o Crivo já rodou e temos esse vetor preenchido da seguinte maneira:

  • numero_eh_primo[i] é verdadeira se i for primo
  • numero_eh_primo[i] é falsa se i for composto

Para descobrir qual o maior primo menor do que ou igual a n, basta percorrer o vetor a partir de n, decrementadando uma unidade caso a posição seja falsa e retornar o primeiro índice encontrada caso o valor seja verdadeiro.

Aplicando memoização

Se eu tiver bastante memória, posso aplicar uma estratégia de memoização para tornar futuras consultas ao mesmo número n de ordem constante. Para isso, preciso de um vetor auxiliar chamado maior_primo_menorque, que vai retornar o maior primo maior do que ou igual ao índice passado. Por exemplo: maior_primo_menorque[100] retorna 97 quando está preenchido.

Como saber se o valor não está preenchido? Simples, se estiver nulo. Estando nulo, como preencher? Bem, vamos ao algoritmo de memoização:

def get_maior_primo(n):
    if maior_primo_menorque[n]:
        return maior_primo_menorque[n]
   else:
        if numero_eh_primo[n]:
            maior_primo_menorque[n] = n
            return n
       else:
            maior_primo_menorque[n] = get_maior_primo(n)
            return maior_primo_menorque[n]

O Crivo de Eratóstenes

Até agora eu só falei que usava o Crivo, mas em nenhum momento eu falei como funciona esse Crivo. Vamos lá.

O Crivo começa com um vetor com n + 1 posições, tudo setada como verdade a priori (ie, são possíveis primos). Então, desconsideramos os números 0 e 1, marcando eles como falsos. Após isso, percorremos o vetor sequencialmente, até achar um índice que esteja setado como verdade. Nesse momento, achamos um primo verdadeiro, então devemos marcar todos os seus múltiplos como falsos; depois de marcar os múltiplos como falsos, voltamos a percorrer sequencialmente o vetor.

def crivo(n, vetor_crivo_inicializado_como_true):
    vetor = vetor_crivo_inicializado_como_true
    vetor[0] = False
    vetor[1] = False

    for i in range(2, n + 1):
        if vetor[i]:
            # achou um primo, vamos marcar todos os múltiplos relevantes
            marcar_multiplos(n, vetor, i)

def marcar_multiplos(n, vetor_crivo, primo):
    for i in range(primo*primo, n + 1, primo):
        vetor_crivo[i] = False

Note a otimização de começar a marcar os múltiplos a partir do quadrado do primo: todo múltiplo desse primo com outro valor já foi marcado em um passo anterior. Por exemplo, com o primo encontrado 5, eu já marquei os números 10 (múltiplo de 2), 15 (múltiplo de 3) e 20 (múltiplo de 2), sendo o primeiro número composto inédito o quadrado de 5, 25.

O @LINQ me deu a dica de fazer um MCVE, vou mandar um assim que possível

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.