10

Fiz um teste no Google Plus, liguei o Firebug e inseri um post.
Ao analisar o Firebug recuperei a URL em que foi executada via AJAX.
Copiei a URL e executei no browser com a sessão activa.

Acontece que retornou um erro:

O Firefox não consegue encontrar o ficheiro em https://plus.google.com...

Como bloquear uma requisição AJAX de modo que somente o sistema consiga executa-la?
Encontrei essa solução que identifica se a requisição é via AJAX ou não, mas não sei se é suficiente, se de algum modo é possível burlar o sistema:

function isHttpRequest() {
    if( @$_SERVER['HTTP_X_REQUESTED_WITH'] == 'XMLHttpRequest') {
        return true;
    }
    return false;
}
  • 1
    Qual é a linguagem que tem no lado do servidor? – Sergio 5/06/14 às 12:10
  • no caso seria só recusar requisições externas... da pra fazer isso com o firewall do servidor, ou não? – RodrigoBorth 5/06/14 às 12:26
  • @Sergio php e nodejs. – Filipe Moraes 5/06/14 às 12:34
  • @Filipe servidor apache ou nginx? – RodrigoBorth 5/06/14 às 12:49
  • @RodrigoBorth tenho o apache. – Filipe Moraes 5/06/14 às 12:55
4

Nenhum sistema é infalível. Ponto! O que você pode fazer é adicionar camadas sequenciais de proteção.

  • Verificar como a requisição foi feita

Você mesmo já pesquisou e encontrou como fazer, mas a forma como você fez não é exatamente a mais adequada, programaticamente falando, pois você suprime um erro ao invés de lidar com ele.

Também, você assume um case específico para comparação o que não é certo haja vista existirem diversos frameworks JS que, assumindo que eles enviem esse cabeçalho automaticamente, podem, de repente, capitalizar algumas letras de forma diferente, por exemplo.

Dito isso:

function isXmlHttpRequest() {

    $header = ( array_key_exists( 'HTTP_X_REQUESTED_WITH', $_SERVER ) ?
              $_SERVER['HTTP_X_REQUESTED_WITH'] : '' );

    return ( strcmp( $header, 'xmlhttprequest' ) == 0 );
}

if( ! isXmlHttpRequest() ) {

   // Acesso negado
}
  • Restringir origem XHR

Ultimamente aqui no SOpt muito tem se falado sobre o controle das origens de uma XHR. AJAX não é crossdomain, mas pode passar a ser por causa de um servidor mal-configurado. Melhor prevenir do que remediar:

header("Access-Control-Allow-Origin: http://www.domain.com");
  • Tokens

A forma mais recomendada é anexar à URL da requisição algum valor aleatório o qual você, e somente você tenha como validar.

Isso pode ser desde um hash MD5 de um uniqid() armazenado em sessão, apesar do que se estiverem MESMO interessado em violar sua aplicação sessions podem ser capturadas. Não entro em detalhes por não saber exatamente como isso é feito.

Ou então token "de verdade", que pode até mesmo vir do mesmo uniqid() mas criptografado com um algorítimo parrudo (coisas do RIJNDAEL 256 bits ou mais), armazenado num banco de dados associado ao ID do usuário, de curta duração, sendo regenerado constantemente.

  • SSL

SSL deveria vir em primeiro lugar, mas seja por disponibilidade aquisitiva ou complexidade de implantação, deixei-a por último. ;)

3

comece a executar a URL sem parar , tornando o site vulnerável

Seu site ou é vulnerável ou ainda não se descrobriu alguma vulnerabilidade, e mais acessos não criam vulnerabilidades.

Ataques DDoS não podem ser evitados, somente mitigados por técnicas de controle de acesso que tem nada a ver com sua aplicação. É quem lida com seus servidores que deve se preocupar com isso.

Vulnerabilidades a XSS também não são criadas por muitos acessos, mas por falta de limpeza de dados inseridos no banco e impressos de volta na tela.

É provavel que você tenha tentado usar um token de inserção de post mas de uma vez, e o sistema do G+ recusou, um exemplo disso em uma aplicação é:

formulario.html:

<input type="text" name="mensagem" />
<input type="hidden" name="token" value="<?php echo $token_de_um_so_acesso ?>" />
<button type="submit" value="enviar"/>

formulario.php:

<?php
    $post = [...]
    if(checar_se_token_foi_usado($post['token']))
        exit('adios');
  • Imagina uma aplicação em que depende dos comentários dos utilizadores, como o foursquare. Ao inserir comentários via AJAX e não bloquear a execução directa da URL, estou permitindo que qualquer mal intencionado atrapalhe o conceito da aplicação. Mesmo que o IP fique bloqueado, há sempre maneira de contornar isso. Pode não ser um vulnerabilidade DDoS/XSS ( tens toda razão ) mas é uma vulnerabilidade. – Filipe Moraes 5/06/14 às 13:20
  • Mas veja, se a minha requisição é via AJAX, terei que trocar o token toda vez que um post é inserido, ou retorno o novo token na resposta da aquisição ajax ou utilizo ajax para obter outro token, o que iria dar na mesma porque teria que bloquear essa chamada também. Se retornar o novo token na resposta da requisição, bastava ter um pouco de conhecimento para obter o novo token e utiliza-lo em um script malicioso. – Filipe Moraes 5/06/14 às 13:24
  • Usando um token random de 64 bits, o "pouco de conhecimento" necessário para acertar seria o equivalente a milênios de computadores potentes tentando acertar. – localhost 5/06/14 às 17:09
  • Como o Bruno confirmou abaixo, tokens é a maneira mais recomendade, inclusivo sistemas de ecommerce os usam, o resto é só firula que qualquer hacker entendido vai rir as suas custas. – localhost 5/06/14 às 17:13

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.