2

Gostaria de saber como faço para definir um padrão de insert em uma coluna no SQL.

Exemplo:

CREATE TABLE XPTO(
       ID INT IDENTITY(1,1),
       NOME VARCHAR(100) NOT NULL,
       ATIVO CHAR(1) NOT NULL)

Neste caso, quero limitar o campo ATIVO para receber somente valores de 'S' ou 'N'.

Obrigado

4

Você pode criar uma constraint para validar o domínio do campo:

ALTER TABLE [dbo].[XPTO] WITH CHECK ADD CONSTRAINT [CK_ATIVO] CHECK (( [ATIVO]='S' OR [ATIVO]='N')) GO

ALTER TABLE [dbo].[XPTO] CHECK CONSTRAINT [CK_ATIVO] GO

Agora, para o seu caso específico, não é melhor usar um campo do tipo bit, que só vai aceitar 1 e 0 (S e N)?

  • é um caso de costume, não vejo como bom ou ruim. Existe algum boa prática para esses casos? – Luiz Martinez 15/03/17 às 16:22
  • @LuizMartinez, nesse caso específico, é uma boa prática usar o tipo bit. Algumas razões de ser melhor: campo bit ocupa menos espaço. Além disso, o campo char pode te trazer dificuldades ao usar o where, caso o COLLATE do teu banco estiver diferenciando maiúsculas e minúsculas. – Ricardo Pontual 15/03/17 às 16:32
  • Entendi, aqui estamos usando o collate default do SQL (Latin1_General_CI_AS) acredito não haver problemas, em todo caso os campos já existiam, foi só uma questão de impedir a inserção de valores diferentes. Muito obrigado – Luiz Martinez 15/03/17 às 16:35
4

Luiz, você pode utilizar a restrição CHECK.

-- código #1
CREATE TABLE XPTO(
       ID INT IDENTITY(1,1),
       NOME VARCHAR(100) NOT NULL,
       ATIVO CHAR(1) NOT NULL check (ATIVO in ('S','N'))
);

-- código #2
CREATE TABLE XPTO(
       ID INT IDENTITY(1,1),
       NOME VARCHAR(100) NOT NULL,
       ATIVO CHAR(1) NOT NULL,
       constraint Ativo_SN check (ATIVO in ('S','N'))
);

Caso o banco de dados esteja definido com agrupamento (collate) que diferencie maiúsculas de minúsculas, deve-se então acrescentar o uso da função upper na comparação.

  • Não seria o mesmo que foi informado pelo Ricardo Pontual? – Luiz Martinez 15/03/17 às 16:23
  • @LuizMartinez: Sim, o Ricardo também sugeriu o uso da restrição CHECK. A diferença é somente a forma: ele sugeriu através do comando ALTER TABLE e eu sugeri diretamente na definição da tabela. O resultado final é o mesmo. // Quando a tabela já existe, o método de realizar alterações nas tabelas é através do comando ALTER TABLE. – José Diz 15/03/17 às 16:26
  • 1
    Entendi, foi o que suspeitava, como aqui os campos já existem, terei que utilizar o Alter Table, mas muito obrigado pela sugestão, vou guarda-la na manga para outra necessidade. – Luiz Martinez 15/03/17 às 16:37

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.