2

Estava a olhar para uma nova especificação W3C SRI (Subresource Integrity) o que a grosso modo quer dizer Integridade do Sub-recurso que promete trazer mais segurança a recursos hospedados em servidores de terceiros (ou no próprio) ja em uso por BootstrapCDN, CloudFlare, GitHub e jQuery embora ainda seja nova e não tenha uma ampla implementação pelos navegadores.

Basicamente a nova especificação adiciona a tag script dois novos atributos:

  • integrity: que contém a hash criptográfica do arquivo
  • crossorigin: por padrão "anonymous"

A documentação (simplista) descreve o uso de OpenSSL via linha de comando para criar a hash:

Instrução de linha de comando para gerar a hash

openssl dgst -sha384 -binary FILENAME.js | openssl base64 -A

Minha questão é: como usar a funções openssl do PHP para chegar ao mesmo resultado (gerar a hash de um arquivo)?

Referencias:

3

Você tem o hash_file() no PHP, que a variação do hash() justamente para arquivos, que é similar ao morto md5_file().

$algoritmo = 'SHA512';
$arquivo = 'arquivo.js';

$hash = hash_file($algoritmo, $arquivo, true);

$integrity = strtolower($algoritmo) . '-' . base64_encode( $hash );

Dessa forma basta utilizar:

<script src="' . $arquivo . '" integrity="' . $integrity . '" crossorigin="anonymous">

Obviamente deveria de calcular isto previamente, porque executar isto a cada página visitada é desperdício, gastar tempo para calcular uma mesma hash sempre...

Não vejo muito sentido em utilizar isto para um mesmo domínio, porque se alguém tiver acesso ou conseguir alterar o conteúdo o javascript muito possivelmente conseguirá mudar a hash do HTML, assim tornando o novo JavaScript válido.

Se utiliza CDN (ou outro servidor) para distribuir o javascript ou se você vai permitir que outras pessoas incorporem o seu javascript tem um grande sentido utilizar este recurso, porque nesta situação se alguém alterar o seu arquivo os seus clientes terão a HASH do arquivo.


O uso desse recurso impediria/minimizava o ataque que teve ao "Site Blindado", que modificou a imagem, mostrando outro resultado, isso ocorreu em 2012, veja aqui, todos os clientes do "Site Blindado" tiveram suas páginas mostrando o conteúdo alterado, um logo "Site Blindado Hackeado", devido a não haver algum tipo de verificação.

  • Vale ressaltar a correção: a especificação SRI exige que o descriminador do algorítimo utilizado seja em lowercase e o valor encodado em base64 seja um binário. – Lauro Moraes 10/03/17 às 2:16
  • Quanto a uso: os scripts e seus atributos são montados em PHP e cacheados com OPcache para serem utilizados em outras páginas sem desperdício de recursos... quanto a acesso não autorizado ou invasão bom, está especificação não mitiga os danos decorrentes disto. – Lauro Moraes 10/03/17 às 2:33
  • Corrigi para forçar a letra minuscula. Sobre as "invasões" o que quis dizer é que ela reduz o alcance do dano. Imagine que o você utiliza o JQuery do GoogleApis. Se o Google "for invadido" (ou MITM) e alterar a a biblioteca do JQuery o seu website pode apresentar o javascript malicioso em seu lugar. Com o uso deste recurso a hash de ambos os arquivos serão diferente, o arquivo malicioso terá uma hash diferente do arquivo original, assim prevenindo que os visitantes do seu site usem o JS malicioso, logo podemos dizer que em caso de invasões em SERVIDORES TERCEIROS ele reduz os danos. – Inkeliz 10/03/17 às 3:56
  • Não seria mais fácil ter mudado SHA512 para sha512 ao invés do uso de strtolower()? Deve-se adicionar um terceiro argumento a função hash_file() ({boolean} true) para ela retornar um binário. Saberias informar qual função (openssl_digest(), hash() ou hash_file()) tem menos custo de processamento? Grato – Lauro Moraes 10/03/17 às 4:08
  • Do jeito que esta seu exemplo ta dando erro – Lauro Moraes 10/03/17 às 4:10
0

Ao pesquisar na comunidade sobre SRI não obtive resultados por isso deixo minha própria resposta.

De maneira prática cheguei ao resultado de duas maneiras em PHP:

<?php

   $file = file_get_contents('./main.js');

   echo "sha512-".base64_encode(openssl_digest($file, 'sha512', true));

   //output: sha512-4nAOca/W9ZDO2dwcudh/hbnatmbvezf5ZTti0+VZFDG+V65tDx8OeKIpZfG7NYvOjqytEveULALcb7ZbPAuF/Q==


   $hash = hash('sha512', $file, true);

   echo "sha512-".base64_encode($hash);

   //output: sha512-4nAOca/W9ZDO2dwcudh/hbnatmbvezf5ZTti0+VZFDG+V65tDx8OeKIpZfG7NYvOjqytEveULALcb7ZbPAuF/Q==

Ambos retornam o mesmo resultado, caberia aqui testar performance.

Referencia:

Neste artigo do site tenzer.dk o autor indica ter observado o código fonte do site SRI Hash Generator e adaptou a lógica para outras linguagens entre elas:

  • Shell
  • Python
  • Node.js
  • Go
  • Ruby
  • PHP

E como a especificação trata de usar um checksum vale passar por esta referencia aqui da comunidade.

É isso.

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.