2

Ao procurar referencias de boas praticas em PHP para o gerenciamento de memória me deparei em diversos intendimentos de como usar destrutores.

Sei que o principal ator é o Garbage Collector más este não faz parte do escopo de minha pergunta.

Referencias:

Más minhas leituras me trouxerem dúvidas as quais não encontrei respostas sendo elas...

Dúvidas:

  • a função __destruct(){} vazia irá remover qualquer valor associado a classe ou é necessário explicitar estes valores em seu escopo?
  • após instanciar a classe por referencia e antes do encerramento do script qual a diferença entre usar NULL e unset() por exemplo:

    <?php
        $refer = new MyClass();
        $refer->hello(); // output: Hello World!
    
        $refer = NULL; // ou unset($refer);
    
        // mais blocos de código aqui...
    
  • segundo Manual PHP a herança de clase exige que a classe "filha" explicite a chamado parent::__destruct() no destrutor... más e no caso de classes não estendidas que instanciam outra classe em seu escopo? Ao atribuir NULL ou usar unset() antes do encerramento do script forcará ambos os destrutores ou é necessário explicitar cada um? Exemplo:

    <?php
        /**
        class Core
        {
             public function __construct(){}
    
             public function session($start=true)
             {
                 if ( !$start  ) {
                      if ( isset($_SESSION) ) {
                           session_destroy();
                           return true;
                      }
                 }
                 session_start();
             }
    
             public function language()
             {
                 if ( isset($_SESSION) ) {
                      $_SESSION['language'] = 'pt-BR';
                 }
             }
    
             public function layoutEngine()
             {
                 return new HandlerUI(); // outra classe
             }
    
             function __destruct(){
                 #
             }
        }
    
        class HandlerUI
        {
             function __construct()
             {
                 return $this;
             }
    
             public function Header()
             {
                 return "<head><title>Hello World</title></head>";
             }
    
             public function NavBar()
             {
                 return "<nav>This is navbar</nav>";
             }
    
             public function Drawer()
             {
                 return "<div class='drawer-container'></div>";
             }
    
             public function Footer()
             {
                 return "<footer>I am Footer</footer?";
             }
    
             public function JavaScript()
             {
                 return "<script type='text/javascript'>console.log('hola que tal');</script>";
             }
    
             function __destruct(){
                 #
             }
        }
        */
    
        // caso de uso:
        $app = new Core()
    
        $app->session();
        $app->language();
    
        $layout = $app->layoutEngine();
    
        unset($app); // ou $app = NULL;
    ?>
    <!DOCTYPE html>
    <html lang="<?php echo $_SESSION['language'];?>">
    <?php
        $layout->Header();
    ?>
    <body id="body">
        <!-- CONTAINER -->
        <section class="default">
            <?php
                // navbar
                $layout->Navbar();
                // drawer
                $layout->Drawer();
            ?>
    
            <!-- CENTRAL BLOCK -->
            <section id="central-block"></section>
            <?php
                //
                $layout->Footer();
            ?>
        </section>
        <?php
            //
            $layout->JavaScript();
    
            unset($layout); // ou $layout = NULL;
    
            // mais blocos de código aqui...
        ?>
    </body>
    </html>
    
  • e a que mais me questiono: ao utilizar OPcache ou outro cache de bytecode (que guarda na memória o compilado) como é tratado a fução __destruct() neste caso de uso de cache?

Sei que não existe uma "maneira correta" visto que isto depende de caso de uso, das necessidades do código e da abordagem em estruturá-lo más busco um entendimento qualificado do mesmo.

Desde de já grato.

2

O método __destruct serve para executar uma última ação antes do objeto deixar de existir.

Um uso que pode ser feito com ele caso você construa um framework é pôr num Controller genérico chamando uma view de mesmo nome do Controller no fim da execução. Quando outros controllers extenderem esse controller genérico todos eles terão essa funcionalidade de chamar a view adequada automaticamente no fim da execução.

Exemplo de código utilizando __construct e __destruct :

<?php

class Teste
{
    private $nome;

    function __construct($nome)
    {
        echo 'O objeto foi construído.<br>';
        $this->nome = $nome;
    }

    function saudacao()
    {
        return 'Olá ' . $this->nome . '! <br>'; 
    }

    function __destruct()
    {
        echo 'O objeto não existirá mais após essa mensagem.';
    }   

}


$teste = new Teste('Lauro');

echo $teste->saudacao();


?>

Output gerado ao executar o script acima:

O objeto foi construído.
Olá Lauro!
O objeto não existirá mais após essa mensagem.

Observação: O PHP limpa todas as variáveis da memória no fim da execução do script. Então ao final do script, ao remover o objeto ele executa o destruct automaticamente. Mas se o objeto fosse destruído com unset o destruct seria chamado da mesma forma, só que antes do término da execução do script por completo.

Não há necessidade de declarar __construct ou __destruct se não for utilizá-los.

  • Certo más, ao utilizar __destruct() devo usar unset() em seu escopo referente a valores contidos na classe no caso de usar unset() na instancia antes do fim do bloco de instrução? E ao querer "liberar" um índice instanciado antes do fim do bloco de instrução em uma classe instanciada dentro de outra (não estendida) chamaria ambos os destrutores ou apenas um? E ao utilizar OPcache um destrutor teria mesmo utilidade? – Lauro Moraes 8/03/17 às 10:15
  • Você só deve usar unset se quiser que o objeto seja destruído antes do fim da execução do script. Ao destruir um objeto é executado apenas um destrutor. Executa o destrutor do pai se não tiver sobrescrito o mesmo na classe filha. Ou seja: se tem um destrutor declarado no pai e não tem no filho, executa o do pai. Se tem um destrutor declarado no filho, executa o do filho. Se quiser executar os dois destrutores, dentro do destrutor do filho chame parent::__destruct(); – Antonio Alexandre 8/03/17 às 10:29
  • Sim o foco da questão é destruir o objeto antes do fim da execução do script. Quanto a herança minha dúvida não trata de herança más sim se: ao "forçar" o destrutor da classe "A" também forcaria o destrutor da classe "B" instanciado na classe "A" (note que não há herança entre as classes). Qual a diferença entre usar NULL e unset() para isso bem como se o uso de OPcache não neutraliza o uso de destrutores (visto que salva em memória). – Lauro Moraes 8/03/17 às 10:34
  • "netraliza" em meu comentário anterior foi uma palavra errônea ... seria algo como: o uso de OPcache não faz o trabalho de destrutores serem em vão? – Lauro Moraes 8/03/17 às 10:37
  • O OPcache faz os scripts ficarem salvos na memória pro php não precisar carregá-los, transformar em bytecode e executar a cada requisição. Já fica o bytecode na memória. Embora eu ainda não tenha utilizado OPcache, o funcionamento de destrutores deve permanecer o mesmo - O meu entendimento é que o bytecode do arquivo em memória não interfere nas variáveis durante a execução do script. – Antonio Alexandre 8/03/17 às 10:45

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.