4

Gostaria de saber o que são os blocos try...catch.

Gostaria de mais informações em português, porque em inglês eu não entendi muita coisa, somente que seria uma espécie de if...else.

  • O que são esses blocos try...catch?
  • Quando tenho que utilizá-los?
  • Sempre (deveria) usar eles quando tenho uma consulta SQL?

Talvez alguns exemplos ajudem a compreender melhor

10

Para entender o bloco try/catch é necessário compreender o conceito de exceção. Não se assuste, é bem comum que este conceito cause estranheza quando você começa a estudar o paradigma de orientação à objetos.

Exceção

Na ciência da computação, exceção é um objeto que define um fluxo alternativo à execução normal do programa. Isso acontece quando algumas condições em parte do programa não são satisfeitas, mas que podem ser tratadas, por isso a expressão tratamento de exceções. É bastante utilizada quando for desenvolver bibliotecas reutilizáveis, em que a lógica de negócio implementada não pode ser tão rígida, pois ficaria preso a uma aplicação apenas.

Imagine que você tenha uma função que efetua a raiz quadrada de um número. O código seria semelhante a isso:

function sqrt ($number)
{
  // Calcula a raiz quadrada
  return $result;
}

Porém, considerando apenas números reais, a função só funcionará corretamente se o parâmetro de entrada for um valor não-negativo. Desta forma, se o parâmetro for negativo, você deve criar um fluxo alternativo para o programa através de uma exceção.

function sqrt ($number)
{
  if ($number < 0)
  {
    throw new \Exception("$number must be a non-negative number");
  }

  // Calcula a raiz quadrada
  return $result;
}

Desta forma, ao tentar calcular a raiz quadrada de um número negativo, teríamos:

> sqrt(-1);
Uncaught Exception: -1 must be a non-negative number ...

Tratamento de exceção

Com o bloco try/catch você tem a liberdade para decidir qual será o novo fluxo do programa. Neste exemplo, digamos que se o valor de entrada for negativo, eu desejo calcular a raiz quadrada do mesmo valor, porém positivo, emitindo um warning para o usuário. Poderiámos fazer algo como:

$value = -4;

try {
    $result = sqrt($value);
} catch (\Exception $e) {
    log($e->getMessage());
    $value *= -1; // Inverte o valor de $value
    $result = sqrt($value);
    warning("$value era negativo, então seu sinal foi alterado");
}

// Continuo com minha aplicação, onde $result = 2...

Sendo $e uma instância de Exception, o método getMessage retornará a mensagem de erro difinida na hora de seu disparo. Nesse caso, seria armazenado no log do sistema a mensagem $number must be a non-negative number.

Seu exemplo

Utilizando a biblioteca PDO para a conexão com o banco de dados, podemos ver na documentação que o construtor da classe dispara uma exceção do tipo PDOException caso a conexão falhar. Portanto, fazendo:

Colaboração de @bonifazio

try{
  $pdo = new PDO(...);
  $pdo->setAttribute(...);
  ...
}catch(PDOException $e){
  // Omite a mensagem de erro para o cliente, só informando que houve um erro interno e salva o erro no log
  log($e->getMessage());
  http_response_code(500);
  die("Ooops! Algo errado não está certo. Por favor, volte mais tarde.");
}

Você garante que na linha $pdo->setAtributte a variável $pdo seja uma instância de PDO com a conexão ativa, pois, caso a conxeão falhe, o rumo do programa é alterado para o bloco catch. Sem a utilização dos blocos try/catch você não tem essa garantia. Se a conexão não for bem sucedida, é emitido o código 500 de resposta HTTP, informando um erro interno, mostrando, também, a mensagem ao usuário (considerando que a conexão com o banco seja trivial para o funcionamento do sistema, que é o que geralmente ocorre).

Você pode se perguntar: mas basta eu colocar um if ali que consigo a mesma garantia. Consegue, mas imagina que você esteja utilizando uma biblioteca de terceiro na sua aplicação. Se um erro assim acontecer, não é uma boa prática que você edite o código fonte diretamente, alterando-o para a sua aplicação. Se a biblioteca foi bem feita, ela disparará a exceção quando situações assim ocorrer e você capturando-as consegue fazer o tratamento sem alterar o código.

1

Um bloco “try” é chamado de bloco “protegido” porque, caso ocorra algum problema com os comandos dentro do bloco, a execução desviará para os blocos “catch” correspondentes.

isso é, caso o código que esteja dentro do try contenha erro (não erro de lógica e sim de sintaxe), ele cairá no catch onde você pode tratar a exception.

  • 1
    Achei meio rala a explicação, o try catch cria uma estrutura onde o erro sera tratado como uma exceção e não um erro(essa exceção pode ser salva em um log, por exemplo, onde somente o desenvolvedor terá acesso, e poderá corrigir o erro), o código pode continuar a execução sem nenhum problema, coisa que normalmente não ocorreria sem o bloco try catch – MarceloBoni 7/03/17 às 18:50
  • 3
    Exceção capturando erro de sintaxe? Tem certeza disso? – Anderson Carlos Woss 7/03/17 às 19:35
  • 1
    @AndersonCarlosWoss talvés não sobe me explicar direito, erros de sintexe o próprio compilador encontra, mas existem erros em bibliotecas que utiliza que o compilador não encontra, e quando ocorre esse tipo de erro ao usar o try catch ele cairá no catch. – Daniel Saraiva 7/03/17 às 20:20

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.