5

Tenho a seguinte situação: preciso fazer um merge de dois bancos. O nome de ambos os arquivos do banco são: banco2.RData e banco2_2.rdata

Entretanto, quando abro os bancos no R eles têm o mesmo nome: banco2, na verdade nem abrem no mesmo ambiente, por causa da duplicidade de nomes. Por conta disso não consigo fazer o merge.

Assim, como posso alterar o nome banco2 referente à base de dados que é aberta no R?

4

Carregue o arquivo banco2_2.rdata no R. Use o comando

banco2_2 <- banco2

para criar o data frame banco2_2. Carregue o arquivo banco2.RData no R. O banco2 antigo será substituído. Faça o merge entre banco2_2 e banco2.

  • Marcus Nunes, agradeço sua ajuda. Deu certo! – Naomi 6/03/17 às 18:41
2

Realmente isso é um problema dos dados em formato .rdata, pois você não sabe o que tem dentro do arquivo e eles podem sobrescrever várias coisas. Se você fizer isso manualmente pode ser bem complicado, você vai ter que ler um arquivo, renomear todos os objetos, depois ler o outro arquivo e assim por diante.

Uma solução é não carregar seus arquivos na sua área de trabalho principal. Você cria um um ambiente separado e carrega os arquivos lá. Vou dar um exemplo.

Vamos criar dois arquivos .rda de exemplo que contém objetos com o mesmo nome:

rm(list = ls())
save(mtcars, iris, file = "dados1.rda")
save(mtcars, iris, file = "dados2.rda")

Agora suponha que você queira ler esses arquivos mas não queira que os objetos sejam sobrescritos.

A primeira coisa que você tem que fazer é criar um ambiente novo (é como se fosse uma lista):

dados1 <- new.env()

E agora na hora de dar load() você vai falar para dar load() nesse ambiente.

load("dados1.rda", envir = dados1)

Se você quiser acessar os dados você acessa como se fosse uma lista:

dados1$iris
dados1$mtcars

Agora você pode ler o dados2.rda sem sobrescrever os objetos do dados1:

dados2 <- new.env()
load("dados2.rda", envir = dados2)

Se você não quiser trabalhar com environments você pode transformá-los em lista:

dados1 <- as.list(dados1)

Mas se você estiver passando muito por esse problema, talvez seja uma boa ideia salvar os arquivos no formato .rds pois assim você pode ler com o nome que quiser, sem ter que fazer essa ginástica toda.

  • Muito obrigada, Carlos!!! – Naomi 6/03/17 às 18:44

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.