9

Estou estudando essa documentação e me deparei com esse termo :

A declaração return retorna o controle do programa para o módulo que o chamou. A execução continuará na expressão seguinte à invocação do módulo.

Daí a dúvida.

9

Neste contexto foi uma forma deles generalizarem o local onde a função foi chamada ou onde está o código sendo executado, no caso o return, já que ela pode ser chamada de diversos lugares e é possível retornar de qualquer parte do script. Pode:

  • ser chamada de outra função,
  • chamar para resultar em um membro de uma classe,
  • chamar direto no script.

Entenda que um arquivo de script do PHP é como se fosse uma função, então é possível encerrar a execução em qualquer ponto. Se o código pode retornar tanto de uma função quanto de um script, que nome usaria para se referenciar à ambos? Eles escolheram módulo.

Um exemplo pode ser visto na resposta do Guilerme Nascimento.

Isto começa ser elucidado logo abaixo na documentação:

Se chamada no escopo global, a execução do script corrente é finalizada. Se o arquivo de script corrente for incluído ou requerido com as funções include ou or require, o controle é passado de volta ao script que está chamando. Além disso, se o script corrente foi incluído com a função include, o valor informado ao return será retornado como o valor da chamada de include. Se um return for chamado de dentro do script principal, sua execução será finalizada. Se o script corrente for mencionado nas opções de configuração auto_prepend_file ou auto_append_file php.ini, a execução do script será finalizada.

Obviamente que se chama uma função em um arquivo de script de outro arquivo de script tem algumas implicações constantes na documentação e há exemplos descendo a página. Ele tem que trocar este contexto já que em PHP a aplicação não é uma coisa única como é em linguagens compiladas.

8

Eu posso estar enganado, mas escolha do termo módulo é para se referir a duas situações aonde o return pode ser usado, por exemplo creio que a maioria vai presumir que o return é usado em funções, sim de fato está correto:

function foo() {
    return 1;
}

No entanto o return é suportado em PHP pelo include e require (eventualmente pela primeira chamada do _once, mas isto é outra história, depois explico).

Por exemplo se fizer isto:

teste.php:

<?php
return 'teste';

E chamar assim:

<?php
$x = include 'teste.php';
var_dump($x);

Vai obter isto:

string(5) "teste"

Então creio que eles escolheram o nome módulo por este motivo, já que function é uma coisa e include é outra, internamente (a nível mais baixo) podem até ser "idênticas", mas a nível do PHP são coisas diferentes, então é como se fossem realmente 2 módulos, um script e outro include.

3

Módulo é o script chamador

A expressão "módulo", nesse contexto, tem significado semelhante a "outro script que não é o próprio arquivo PHP".

Acredito que foi escrito dessa forma porque o return tem um uso adicional além do uso comum de retornar o valor quando está dentro de uma função, que é o mesmo comportamento de outras linguagens de programação.

Nesse outro uso do return, é comum criar um arquivo PHP, por exemplo, só com configurações e usar o comando include para retornar as configurações daquele arquivo.

Por exemplo:


config.php

<?php
return [
  'usuario' => 'user123',
  'banco' => 'adm',
  'servidor' => 'locahost'
];

busca.php

<?php

$config = (require 'config.php');

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.