16

Qual é a diferença entre os métodos __str__ e __repr__? Os dois fazem a mesma coisa?

1

2 Respostas 2

17

O __str__ serve para exibir o objeto para usuário final, usada pelo comando print e pela função str

O __repr__ serve para exibir o objeto para o programador, usada pelo console do Python e pela funçao repr.

Exemplo:

>>> import datetime
>>> today = datetime.datetime.now()
>>> str(today)
'2012-03-14 09:21:58.130922'
>>> repr(today)
'datetime.datetime(2012, 3, 14, 9, 21, 58, 130922)'

Veja mais aqui sobre repr(en) e aqui sobre str(en) na documentação.

Apenas complementando, no Python, existe ainda um terceiro método: __unicode__, que funciona como o __str__ mas gera uma representação objeto na forma de uma instância de unicode (em vez de uma string de bytes, que é o que os outros dois fazem). Veja aqui a comparação(en).

6
  • 1
    Interessante é que eu nem sabia que existia essa função repr :p 10/01/2017 às 15:51
  • já agora, inversa de repr é eval : eval(repr(today)) == today
    – JJoao
    10/01/2017 às 15:57
  • Ah, então o repr é equivalente ao var_export do PHP. 10/01/2017 às 16:05
  • 1
    @WallaceMaxters são duas funções bem próximas com mesmo propósito. No PHP ainda existe o var_dump que aproxima uma pouco, porém a representação retornada é um código PHP válido.
    – viana
    11/01/2017 às 1:56
  • Vale acrescentar que se você definiu apenas __repr__() e não definiu __str__(), então a primeira é usada como fallback da segunda. E __repr__() não possui fallback. 14/04/2019 às 20:02
8

Resumo

__repr__

  • quando precisa do código que reproduz o objeto
  • gera output para o desenvolvedor

__str__

  • torna o objeto legível
  • gera output para o usuário final

As respostas dos usuários Alex Martelli e Md. Abu Nafee Ibna Zahid são muito boas.

Aqui fica minha tradução e remix das respostas em inglês:

Qual é a diferença entre __str__ e __repr__?

A implementação padrão é inútil

Isso pode ser um pouco estranho já que as implementações padrões do Python tendem a ser uteis. Mas nesse caso ter uma implementação padrão para __repr__ pode ser algo como:

return '%s(%r)'.format(self.__class__, self.__dict__)

Mas também pode ser perigoso (por exemplo, é fácil entrar em uma recursão infinita se objetos referenciarem uns aos outros). Nesse caso se embola. Perceba que é um padrão quando um deles é implementado: Se __repr__ foi definido e __str__ não foi o objeto vai se comportar como __str__=__repr__.

Em termos simples, isso significa: praticamente todo objeto que você implementar deve conter o __repr__ que será utilizado para "compreender" o objeto. Implementar __str__ é opcional, faça isso se você precisar da funcionalidade de "pretty print" por exemplo utilizado por um gerador de relatório.


O objetivo do __repr__ é ser inequívoco

Md. Abu é um programador que não é fã de debug-adores e afirma que mal sabe como utilizar um e nunca utilizou nenhum com seriedade. Ele afirma que os debug-adores possuem uma falha básica em sua natureza e que acredita com uma fé religiosa em logging. Afirma com convicção que logging é a força vital de qualquer sistema de servidor decente do tipo fire-and-forget (dispare-e-esqueça). E concordamos que com é fácil fazer : talvez com alguns projetos de wrappers específicos, tudo que você precisa é:

log(INFO, "Eu sou uma função esquisita e A é", A, "e B é", b, "mas tenho null em C — usando default", default_C)

Mas você tem que fazer a última etapa - certifique-se de que cada objeto que você implementa tenha uma repr útil, então o código como o citado vai funcionar adequadamento. É por isso que o "eval " aparece: se você tem informação suficiente então eval(repr(c)) == c, isso significa que você sabe tudo o que há para saber sobre c. Se isso for fácil o suficiente ou pelo menos de uma maneira confusa, faça isso. Se não, verifique se você tem informações suficientes sobre c de qualquer maneira. Md. Abu diz que costuma usar um formato similar ao eval: " MinhaClasse(isso=%r, aquilo=%r)" % (self.isso, self.aquilo). Isso não significa que você pode realmente construir MinhaClasse, ou que esses são os argumentos construtores corretos — mas é uma forma útil para expressar "isso é tudo que você precisa saber sobre esta instância".

Nota: Md. Abu usou acima %r e não %s. Você sempre vai quere utilizar repr() (ou %r o caractere de formatação equivalentemente) dentro da implementação __repr__ ou você estará fugindo do objetivo do repr. Assim você será capaz de diferenciar MinhaClasse(3) de MinhaClasse("3").


O objetivo do __str__ é ser legivel

Especificamente, não se a intençao é ser inequívoco - observe que str(3) == str("3"). Da mesma forma, se você implementar uma abstração para IP, ter o str com o valor 192.168.1.1 é ok. Já ao implementar uma abstração de data/hora, o str pode ser "2010/4/12 15:35:22", etc. O objetivo é representer de uma maneira que um usuário, não um programador gostaria de lê-lo. Cortar dígitos inúteis, fingir ser alguma outra classe - contanto que ajude com a legibilidade, é uma melhoria.


Listas quando chamada o __str__ utilizam __repr__

Nota: Essa parte está bem complicada de traduzir, então comentários e edições são bem vindos

Soou estranho não é? Um pouco, como isso é legeivel

[moshe is, 3, hello
world, this is a list, oh I don't know, containing just 4 elements]

Legívle? Não muito. Especificamente, as strings em uma lista são muito fácil congundir sua representação de cadeia de caracteres. Em face da ambigüidade, lembre-se, o Python resiste à tentação de adivinhar. Se você quiser o comportamento acima quando estiver imprimindo uma lista.

l = ['moshe is', '3', 'hello \nworld', 'this is a list', 'oh I don\'t know', 'containing just 4 elements']
print("[" + ", ".join(l) + "]")

(you can probably also figure out what to do about dictionaries.


Resumo

Implemente __repr__ para qualquer classe que você for implementar. Implemente __str__ se você achar útil ter uma versão string que dá maior legibilidade em favor de ter mais ambiguidade.

Você deve fazer log-in para responder a esta pergunta.

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag .