7

Quais são as principais diferenças entre as bibliotecas de construção de interface Swing e AWT, no que diz a respeito da forma de renderização dos componentes de ambas e a performance?

7

Existem dois tipos de componentes envolvidos, os componentes heavyweight e os lightweight. Os componentes heavyweight dependem fortemente de detalhes implementados em código nativo para funcionar (ou seja, C e C++) e por causa disso, o desempenho deles tende a ser (mas não necessariamente é) um pouquinho melhor, mas deixando-os bem mais difíceis de se utilizar, além de por vezes dependerem de detalhes específicos do sistema operacional sacrificando-se compatibilidade. Já os componentes lightweight são feitos 100% em Java, sem requerer código nativo.

Os componentes heavyweight são do AWT (por exemplo, java.awt.Button), enquanto que os lightweight são os do Swing (por exemplo, javax.swing.JButton). O uso direto de componentes heavyweight é desencorajado há muito tempo.

Todos os componentes do AWT são subclasses de java.awt.Component. Uma dessas subclasses, java.awt.Container é especial porque ela corresponde a um componente que pode conter subcomponentes. Uma subclasse especial de Container é a classe javax.swing.JComponent que é a superclasse de todos os componentes Swing. Essa hierarquia também significa que quaisquer componentes Swing podem conter subcomponentes.

O desenho de todos eles se baseia no método paint(Graphics) da classe Component. Entretanto, não é recomendável se sobreescrever ou invocar este método diretamente.

Um redesenho de um componente pode ser forçado com o uso do método repaint().

Um componente heavyweight que tem o seu desenho de tela sujo, pode ser redesenhado pelo AWT por meio do método update(). A implementação padrão, apenas limpa a área de desenho de todo o componente e chama o paint() para redesenhá-lo, mas implementações mais especializadas podem fazer atualizações incrementais ou determinar quais são as áreas que estão sujas e redesenhar apenas essas. Novamente, o método update() não deve ser chamado diretamente.

Entretanto, o conceito de desenho incremental e o uso do update() se mostrou confuso e quase sempre desnecessário, portanto isso não é utilizado para os componentes lightweight. Nos componentes lightweight, uma chamada a update() é na prática o mesmo que uma chamada a paint(). Nos componentes lightweight, o método paint() implementado na classe JComponent apenas chama os métodos paintComponent(Graphics), paintBorder(Graphics) e paintChildren(Graphics) nesta ordem (fonte). Como os nomes sugerem, eles respectivamente desenham o componente, desenham a borda do componente e desenham os subcomponentes. Embora você possa sobreescrever qualquer um desses métodos, normalmente você vai querer sobreescrever apenas o paintComponent(Graphics).

No final, em ambos os casos, quem realiza o desenho é a classe Graphics. Entretanto, o AWT sempre vai usar uma instância da subclasse Graphics2D, então você pode fazer o cast seguramente se precisar para ter acesso a um conjunto maior e melhor de métodos disponíveis.

E lembrando que no final das contas, quem controla tudo é o AWT. O Swing é apenas uma camada por cima do AWT, e não um substituto completo. O Swing só é um substituto do AWT no que concerne a substituir componentes heavyweight por componentes lightweight.

Há mais um detalhe importante a se notar: JFrame, JDialog e JWindow não são subclasses de JComponent, então elas não têm o método paintComponent(Graphics), mas têm o método paint(Graphics). Neste caso, você pode então preferir sobreescrever paint(Graphics) invocando um super.paint(g) dentro dele. No entanto, no caso de JFrames e JDialogs, talvez seja melhor acrescentar um JPanel dentro e então sobreescrever o paintComponent(Graphics) do JPanel.

TL;DR: Ou seja, no fim das contas, o que importa é que para implementar o desenho da sua subclasse de JComponent, você deverá sobreescrever o método paintComponent(Graphics). Para subclasses de JFrame, JDialog e JWindow, você sobreescreve o paint(Graphics) mesmo.

Mais detalhes em http://www.oracle.com/technetwork/java/painting-140037.html

  • Com base na sua resposta, então pode-se afirmar que uma interface em swing é mais portável que uma feita em AWT? Já que ela independe do SO? – user28595 9/01/17 às 21:21
  • 1
    @diegofm Sim. Os componentes do AWT foram algo meio feito as pressas utilizando-se ganchos para os componentes em C e C++ que o Windows e o Solaris ofereciam na época do Java 1.0 porque o pessoal da Sun não tinha tempo para implementar isso e não daria para atrasar o lançamento do Java por causa disso. Entretanto, esses componentes não são flexíveis, são difíceis de se usar e dependem do sistema operacional específico. Isso foi uma das amarras que o Swing veio libertar como uma biblioteca externa no Java 1.1 e incorporado na JRE do 1.2, sendo muito mais portável que os componentes do AWT. – Victor Stafusa 9/01/17 às 21:28
2

Na implemenação, a diferença básica é que AWT usa as APIs de componentes visuais do sistema operacional onde a VM está rodando para criar componentes inteiros com praticamente todo o comportamento sendo controlado pelo SO.

Já o Swing, desenha do zero os componentes usando APIs gráficas básicas do SO, gerenciando a maior parte do funcionamento dos componentes por conta própria.

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies