5

Quero criar um data frame como junção de 4 outros data frames. Consegui fazer isso usando tais comandos:

ZHO<-as.data.frame.matrix(zho)
ZHO
ZES<-as.data.frame.matrix(zes)
ZES
ZRE<-as.data.frame.matrix(zre)
ZRE
POP<-as.data.frame.matrix(pop)
POP

dataframe1<-merge(ZHO,ZES)
dataframe1

dataframe1<-merge(dataframe1,ZRE)
dataframe1
dataframe1<- merge(dataframe1,POP)
dataframe1

Porém gostaria de saber se há outro jeito, pois esse jeito é trabalhoso e não funciona quando eu tenho uma quantidade muito grande datas frames

5 Respostas 5

3

Para ilustrar, vou criar 3 data.frames diferentes de exemplo, um com a variável x, outro com variável y e outro com a variável z para os mesmos indivíduos id:

### exemplos ####
set.seed(1)
df1 <- data.frame(id=1:10, y = rnorm(10))
df2 <- data.frame(id=1:10, z = rnorm(10))
df3 <- data.frame(id=1:10, x = rnorm(10))

Com as funções base do R, uma forma de fazer um merge direto dos três é combinando a função Reduce com o merge:

resultado <- Reduce(function(x,y) {merge(x,y)}, list(df1, df2, df3))
resultado
   id          y           z           x
1   1 -0.6264538  1.51178117  0.91897737
2   2  0.1836433  0.38984324  0.78213630
3   3 -0.8356286 -0.62124058  0.07456498
4   4  1.5952808 -2.21469989 -1.98935170
5   5  0.3295078  1.12493092  0.61982575
6   6 -0.8204684 -0.04493361 -0.05612874
7   7  0.4874291 -0.01619026 -0.15579551
8   8  0.7383247  0.94383621 -1.47075238
9   9  0.5757814  0.82122120 -0.47815006
10 10 -0.3053884  0.59390132  0.41794156

No pacote plyr, existe a função join_all, que faz basicamente o mesmo que foi feito acima, mas com uma sintaxe mais simples:

library(plyr) ### se você ainda não tem o pacote, você tem que instalar antes

resultados <- join_all(list(df1,df2,df3)) 
resultados

   id          y           z           x
1   1 -0.6264538  1.51178117  0.91897737
2   2  0.1836433  0.38984324  0.78213630
3   3 -0.8356286 -0.62124058  0.07456498
4   4  1.5952808 -2.21469989 -1.98935170
5   5  0.3295078  1.12493092  0.61982575
6   6 -0.8204684 -0.04493361 -0.05612874
7   7  0.4874291 -0.01619026 -0.15579551
8   8  0.7383247  0.94383621 -1.47075238
9   9  0.5757814  0.82122120 -0.47815006
10 10 -0.3053884  0.59390132  0.41794156

Ou se você só quer digitar de uma maneira mais limpa, você pode usar o pacote magrittr que tem um forward pipe operator para o R. Com este pacote, o merge dos 3 data.frames também pode ser feito em uma linha só encadeando os argumentos com o operador %>%:

 library(magrittr) ### se você ainda não tem o pacote, você tem que instalar antes

 resultado <- df1%>%merge(df2)%>%merge(df3)
 resultado

   id          y           z           x
1   1 -0.6264538  1.51178117  0.91897737
2   2  0.1836433  0.38984324  0.78213630
3   3 -0.8356286 -0.62124058  0.07456498
4   4  1.5952808 -2.21469989 -1.98935170
5   5  0.3295078  1.12493092  0.61982575
6   6 -0.8204684 -0.04493361 -0.05612874
7   7  0.4874291 -0.01619026 -0.15579551
8   8  0.7383247  0.94383621 -1.47075238
9   9  0.5757814  0.82122120 -0.47815006
10 10 -0.3053884  0.59390132  0.41794156

Lembrando que é sempre bom você especificar quais são as colunas identificadoras do merge (opção by da função), pois do contrário você pode acabar tendo como resultado final algo diferente do esperado. No caso acima isso não é necessário porque temos apenas uma coluna em comum.

1

Com o dplyr você pode usar as funções de join encadeadas com o piper operator %>% (inner_join, full_join, left_join, right_join etc, dependendo do seu objetivo).

Exemplo com full_join encadeado:

library(dplyr)

set.seed(1)
df1 <- data.frame(id=1:10, y = rnorm(10))
df2 <- data.frame(id=1:10, z = rnorm(10))
df3 <- data.frame(id=1:10, x = rnorm(10))

df1 %>% full_join(df2) %>% full_join(df3)

  id          y           z           x
1   1 -0.6264538  1.51178117  0.91897737
2   2  0.1836433  0.38984324  0.78213630
3   3 -0.8356286 -0.62124058  0.07456498
4   4  1.5952808 -2.21469989 -1.98935170
5   5  0.3295078  1.12493092  0.61982575
6   6 -0.8204684 -0.04493361 -0.05612874
7   7  0.4874291 -0.01619026 -0.15579551
8   8  0.7383247  0.94383621 -1.47075238
9   9  0.5757814  0.82122120 -0.47815006
10 10 -0.3053884  0.59390132  0.41794156
0

Para quem quer uma alternativa "nova".

Tem as funções:

bind_rows(..., .id = NULL)

bind_cols(...)

combine(...)

Elas estão no pacote dplyr que vale muito a pena de ser estudados.

  • André, essas funções não são para fazer merge de data.frames. – Carlos Cinelli 25/02/17 às 16:32
0
## Load Spreadsheet, separator "," (Planilha sepada por vígula)
obs_1 <- read.csv("constituents-financials-observations-1.csv")

head(obs_1) ## Visualizing data frame obs_1

obs_2 <- read.csv("constituents-financials-observations-2.csv")

head(obs_2) ## Visualizing data frame obs_2

## both dataframe have the same structure - column number = 12 

newCols = 12 

## new variables for both dataframes will be price_1,price_2,...
newNames = paste("price", seq_len(newCols), sep = "_") 

## set new names of the columns (price_1, price_2,...)

## Data frame obs_1
colnames(obs_1) <- newNames 

## change the name of the last variable
colnames(obs_1)[12] <- 'Síte' 

## change the name of firt variable
colnames(obs_1)[1] <- 'Sign'  

## Data frame obs_2
colnames(obs_2) <- newNames

colnames(obs_2)[12] <- 'Site'

colnames(obs_2)[1] <- 'Sign'

## full join in both dataframe. merge = lines of obs_1 + lines of obs_2
observations <- merge(obs_1, obs_2, all = TRUE) 
0

Você pode utilizar a função cbind que é do pacote base da linguagem R:

Utilizando o data frame criado pelo Carlos Cinelli:

set.seed(1)
df1 <- data.frame(id=1:10, y = rnorm(10))
df2 <- data.frame(id=1:10, z = rnorm(10))
df3 <- data.frame(id=1:10, x = rnorm(10))
df4 <- cbind(df1,df2,df3)

cbind faz a junção dos data.frames pela coluna

rbind faz a junção dos data.frames pela linha

Só que neste exemplo as colunas iguais não serão removidas e nem fundidas.

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.