3

Tenho essa dúvida do que é preferencial fazer quando preciso de dados das duas tabelas para obter o resultado.

Sempre fazia a comparação no PHP, mas aprendi os comandos de relacionamento de SQL que poderiam ajudar. Qual é a forma mais correta de se fazer, referente ao tempo de execução, padrão e desempenho?

Eu fazia assim:

 <?php
          $consultaRecomendados=$con->prepare("SELECT * FROM  hf_recomendados");
          $consultaRecomendados->execute();
          $resultadoRecomendados=$consultaRecomendados->fetchAll();
          foreach($resultadoRecomendados as $produtoRecomendado){
               $contultaProdutoRecomendado=$con->prepare("SELECT * FROM  hf_produtos WHERE id=:id");
               $contultaProdutoRecomendado->execute(array(":id"=>$produtoRecomendado['idProduto']));
               $resultadoProdutoRecomendado=$contultaProdutoRecomendado->fetch();
                echo $resultadoProdutoRecomendado['nome']; 
          }
          ?>

E passei a fazer assim:

  <?php
              $contultaRecomendados=$con->prepare("SELECT * FROM  hf_recomendados r JOIN  hf_produtos p
ON r.idProduto=p.id");
              $contultaRecomendados->execute();
              $resultadoRecomendados=$contultaRecomendados->fetchAll();
              foreach($resultadoRecomendados as $produtoRecomendado){
                  echo $produtoRecomendado['nome'];
              }
      ?>

Há alguma forma melhor ou mais correta? Que considerações técnicas devo ter?

14
  • 3
    Linha de código é irrelevante. Um código eficiente de 100 linhas geralmente vale mais que um código porco de 2 linhas, a não ser em raros casos. De qq forma, o 1o exemplo seu é uma falha de programação, mesmo funcionando. O 2o caso está delegando a tarefa para o lugar certo. – Bacco 17/12/16 às 20:46
  • 3
    Veja que no primeiro caso você está solicitando uma série de queries ao servidor, sem a mínima otimização. No segundo caso, é uma query só, e a relação é feita no servidor. Se fizer um teste com muitos dados vai perceber uma diferença absurda até de velocidade. Não vou te afirmar que NUNCA deve ser feito do 1o jeito, mas em situações normais não há razão e nem deve. E se um dia precisar, compensa fazer uma query só interna, e usar bind. (e se for MySQL, esquecer esse negócio de PDO, que é uma camada desnecessária e ineficaz especialmente nestes casos) – Bacco 17/12/16 às 20:49
  • 3
    É mais na linha do que o @bacco disse, nunca diga que você nunca precisará usar algum recurso do tipo, mas se puder evitar, é a melhor decisão pensando em desempenho – MarceloBoni 17/12/16 às 21:36
  • 3
    O JOIN do SQL serve justamente para evitar que o software seja responsável por essa junção de dados. – mau humor 18/12/16 às 2:08
  • 2
    Se quer eficiência e delegar responsabilidade de manipular os dados para o teu códio, trabalhe com arquivos "txt", pois esta matando o propósito de um SGBD – mau humor 18/12/16 às 2:10

1 Resposta 1

4

De uma forma resumida, o melhor é usar o SGBD para juntar as consultas.

Toda vez que você executa uma consulta em um banco de dados ele fará basicamente o seguinte:

  1. Interpretar o comando SQL para saber se a sintaxe está correta e se todos os objetos estão disponíveis para execução. Depois converter o SQL para uma estrutura de álgebra relacional.
  2. Executar uma análise para fazer um plano de execução da consulta para separar as partes e definir a ordem de execução. Isso envolve decidir quais índices estão disponíveis e quais algorítimos são mais eficientes para fazer a junção das tabelas, baseado nas estatísticas internas que ele coleta do banco como quantidade de registros, índices, etc.
  3. Executar cada parte do algorítimo e juntar cada resultado para então disponibilizar o resultado para o chamador, onde ele poderá fazer o "fetch" dos dados.

Então, quando você coloca o JOIN dentro da consulta SQL você está dizendo para o banco de dados resolver para você essas junções utilizando o melhor mecanismo possível e ele usará o código dele, que internamente é otimizado para fazer isso.

Se você escolhe fazer o trabalho que ele faria internamente, é bem provável que o seu código seja menos eficiente. Existem várias formas de fazer JOINs entre tabelas e esse é um dos pontos de maior problema para um banco de dados relacional resolver. Até mesmo a forma como você escreve suas consultas, se usa JOIN ou Subquery, se usa um operador IN ou um EXISTS afeta internamente o tempo de execução porque muda o jeito como o banco executa a consulta.

Se quiser se aprofundar no assunto pesquise sobre "Álgebra Relacional" e "Otimização de Consultas" e achará bastante material interessante.

3
  • Obrigado Pagotti, era a resposta que eu esperava. Grato também pelas indicações :) – LocalHost 19/12/16 às 14:13
  • @LocalHost :) Se puder, marca a resposta como sendo a correta para sua pergunta ou caso queira, pode esperar para ver outras respostas que virão. – Pagotti 20/12/16 às 10:23
  • Eu estava esperando, mas essa acho que ja foi suficiente :) – LocalHost 20/12/16 às 12:12

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.