8

Por que em PHP é possível chamar uma função antes da linha em que a mesma foi declarada?

echo ah(); // 'Ah!'

function ah() {
     return 'Ah!';
}

Observem que eu chamei ah() primeiro, depois declarei. Mesmo assim, ela foi executada. Mas a função teoricamente não existiria antes dessa linha? Então como ela foi chamada?

Como isso acontece internamente? Eu pensava que o script fosse executado sequencialmente, porém ao chamar uma função que é declarada depois isso me dá um outro entendimento.

Isso parece funcionar apenas quando a declaração é feita no mesmo script.

Já quando ocorre uma inclusão de script depois do chamamento da função, isso não acontece, mesmo que dentro do include exista a função chamada.

index.php

echo ah();

include 'ah.php';

a.php

function ah() { return 'Ah!'; }

Isso iria gerar:

Uncaught Error: Call to undefined function ah() in index.php

Ou seja: posso chamar uma função antes da linha de declaração, desde que ela esteja no mesmo arquivo. Se for com include, isso não funciona.

Por quê?

  • Qual é a diferença entre a função declarada depois do chamamento que está no mesmo script para a função que foi chamada antes da declaração proveniente de um include?

  • No primeiro caso, o PHP analisa o código apenas uma vez para saber se a função foi declarada? Como essa "mágica" foi feita?

Primeiro exemplo no IDEONE

  • Eu posso estar enganado, mas o include no php é diferente de outras linguagens, na verdade é como se ele fosse um eval (na verdade ele é um eval) e o "escopo" muitas vezes é diferente, tanto que o include pode até retornar valores. – Guilherme Nascimento 5/12/16 às 16:31
10

Não posso afirmar com autoridade sobre o funcionamento exato do PHP, mas conheço sobre compiladores (um interpretador não deixa de ser um compilador), e todos que eu conheço que permitem a função ser chamada antes de ser declarada faz o processo de lexing e parsing em dois passos.

Primeiro ele analisa todas declarações, criando uma tabelas de símbolos públicos que poderão ser usados no script, e ignora o que está no corpo das funções. Depois ele analisa os algoritmos contidos nas funções, então quando a chamada ocorre, já há ciência da declaração. Simples assim.

A análise do primeiro passo não considera a inclusão de arquivos, por isso ele não resolve os símbolos contidos nesse novo arquivo. Nem poderia já que o include é resolvido dinamicamente (no momento da execução). Ele pode ser até mesmo condicional, então só após análise do algoritmo e da efetiva execução é que ele pode decidir se vai incluir ou não, por isso não pode ser resolvido no primeiro passo. Nem mesmo no segundo, é resolvido na execução.

C e Pascal são algumas das poucas exceções que não fazem em dois passos. C++ faz em vários, e mesmo assim não permite a declaração fora de ordem. Poderia, mas talvez possa ficar confuso por causa do include.

  • Ah, faz um pouco mais de sentido agora. Eu pensava que ele "fazia o trabalho apenas uma vez". – Wallace Maxters 5/12/16 às 16:15
  • @WallaceMaxters Melhorei. – Maniero 5/12/16 às 16:28

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.