2

Eu estou criando um aplicativo mobile e preciso usar um banco de dados para guardar os dados do usuários. Já pensei em SQLite, porém não é recomendado usá-lo em sites com mais de 100 mil requisições por dia, e caso o meu aplicativo tenha esse número de requisições, tenho medo do banco de dados ter algum erro ou algo do tipo.

Caso eu escolha o SQLite como banco de dados, eu posso trocar por outro banco de dados depois? E vocês podem me sugerir algum banco de dados diferente do SQLite que permita mais de 100 mil requisições por dia?

  • 3
    "não é recomendado usa-lo em sites com mais de 100 mil requisições por dia" Achei meio arbitrária essa medida. Se for essencialmente leitura, não vejo problema nenhum. – Bacco 15/11/16 às 17:15
4

O SQLite aguenta mais do imagina

Sua pergunta parte de uma premissa falsa. Primeiro isso é um valor pensado há uns 10, 15 anos atrás e foi bem, bem conservador, e não considera técnicas adequadas para aumentar essa capacidade. O SQLite melhorou muito de lá pra cá, o hardware melhorou, se pensou em outras técnicas e na prática sempre pôde mais. Na verdade é uma enorme bobagem terem colocado esse número lá na página do produto.

Note que a página oficial está falando de servidor web e não de dispositivo móvel que nem costuma ter acesso concorrente. Na verdade a página fala que apenas 1% dos websites não são adequados. Então é outra premissa falsa.

Minha experiência é que na verdade 0,1% não são adequados para o SQLite, se usado do jeito correto. Você acha que será um dos 1% sites de maior sucesso do mundo? Isso quer dizer que você será um dos 10 ou 20 maiores sites brasileiros. Mesmo que um dia isso aconteça, terá tanto dinheiro vindo desse site que poderá contratar os melhores profissionais e compar as melhores ferramentas para resolver seu problema.

Pra falar a verdade acho uma ingenuidade postarem esse valor, porque a capacidade nem pode ser medida dessa forma, tem várias premissas falsas nessa informação.

Mesmo os bancos de dados mais sofisticados costumam precisa de ferramentas auxiliares, técnicas adequadas para aguentar. Esse site que está usando agora é um dos 25 mais acessados do mundo. Ele usa SQL Server, mas a capacidade de atender tudo isso não é porque o SQL Server é excelente, é porque os engenheiros que cuidam do site são excelentes. Tem site bem menor que usou SQL Server, Oracle, MySQL, e outras coisas e abriu o bico. Por que? Quem fez não sabia o que está fazendo. Sem entender como as coisas funcionam qualquer ferramenta pode ser a errada.

Veja mais sobre onde pode ser usado de verdade.

Trocar o DB

Sempre pode trocar o banco de dados, mas duvido que um dia seja preciso mesmo que use o SQLite no servidor web. Se for usar em mobile nunca terá que mudar, até porque o hardware de um celular não aguenta fazer tanta operação assim, o SQLite é menor dos seus problemas. Mas imagino que só está falando isso por achar que terá milhares de conexões em um dispositivo móvel. E é mais uma premissa falsa.

Se você está achando que as pessoas vão instalar o MySQL, Oracle, etc nos seus celulares, está muito enganado. Não que não possa, mas isso é uma loucura que eu nunca vi alguém afazendo.

Outros bancos de dados

Como já dito o SQLite pode atender milhões de requisições por dia se usado corretamente. Isso é mais do que quase todos sites do mundo precisam. Mas se no servidor quiser outro DB, e até existem razões para isso, mas não porque o SQLIte não é bom, o mais usado para web é o MYSQL, embora muitas pessoas estão preferindo o MariDB que é um fork do MYSQL.

Também pode usar outros bancos relacionais ou não, mas a decisão da ferramenta correta passa por uma análise profunda de gente muito experiente para acertar. Se está com dificuldade com algo tão básico, o melhor é ir pelo mais simples (SQLite) e contratar gente especializada quando precisar de algo sofisticado.

É o que eu falo sempre, as pessoas precisam aprender como as coisas funcionam, verificar por conta própria, e não acreditar no que está escrito por aí, a maior parte da informação disponível na internet está errada. Porque existem poucas informações canônicas, e mesmo essas podem estar erradas, como é o caso, e existem cópias da informação canônica deturpadas, como um telefone sem fio.

  • Como o AP vai usar localmente, SQLite é ideal pra ele. Agora, em um website, recomendo fortemente contra (a não ser que seja como o sqlite.org, que só faz uso do acesso de leitura – ainda assim, nesse caso é melhor gerar e servir páginas estáticas). O problema da concorrência já proíbe qualquer site com tráfego razoável e acesso à leitura/escrita de usá-lo. Mas mesmo sites com baixo tráfego estariam melhor servidos com outras soluções zenadmin.org/en/blog/post720.html . Discordo também da fantasiosa afirmação de que apenas 20 sites brasileiros não estariam bem servidos com o SQLite. – rodorgas 15/11/16 às 14:48
  • @rodorgas imagino que desconheça a capacidade real do SQLite e da necessidade real da maioria dos sites. A capacidade de lietura dele chega ser melhor do que de muitos outros banco de dados. A capacidade de escrita é limitada, mas como ele escreve bem mais rápido que os demais bancos ele pode atender bem mais casos de escrito quase concorrentes. Eu não disse que apenas 20 site brasileiros não estariam bem servidor pelo SQLite. Falo da capacidade dele. E falo de uso adequado. As pessoas se surpreendem como esse site que está entre os 25 mais acessados do mundo rodam com tão pouco recurso. – Maniero 15/11/16 às 14:58
  • O que estou falando é que se a engenharia for a correta a ferramenta importa menos. Tem vários, eu disse vários benchmarks que mostram como o SQLite é bem mais rápido que o MySQL e outros bancos de dados. Realmente precisa saber usá-lo direito para que haja alta concorrência, então claramente esse que você pegou é um caso de alguém que não sabe. Se tiver muita escrita concorrente ele não é adequado, mas a maioria dos sites tem bem pouca escrita. Pelo menos deveriam ter, se não tem ou cai em um caso que realmente precisa de algo mais potente ou cai no caso de ter sido mal feito. – Maniero 15/11/16 às 14:58
  • O meu ponto é em cima disso. Se fizer bem feito o SQLite é muito adequado. Se fizer errado, e muita gente faz errado, aí a ferramenta começa importar mais. Você pode acreditar no que quiser, a minha experiência é essa. As pessoas subvalorizam a capacidade do SQLite e superdimensionam a necessidade que um site tem para escrita. O benchmark publicado é bem velho e não diz como foi feito. – Maniero 15/11/16 às 15:00
  • Olha como o absurdo é grande. 100 mil requisições não são page views. Mas vou considerar que sejam. Isso é pouco mais de 1 por segundo do dia. Claro que tem momentos de uso maior. Se tem tanto acesso provavelmente a maior parte do conteúdo está em cache na memória. O acesso nele é igual ou melhor (ele tem bem menos cerimônia para acessar os dados) que outros bancos de dados. Se o site tem tanto acesso assim, ele deve ter outros mecanismo de cache que fazem o banco de dados sequer serem consultados com essa frequência. – Maniero 15/11/16 às 15:12
1

Sim. É possível trocar o banco de dados. Claro que tudo depende da arquitetura do seu aplicativo, da estrutura do banco de dados, localização do banco (cliente ou servidor).

Existem diversas banco de dados relacionais MySQL, Oracle, SQL Server ou bd NoSQL, como MongoDB, CouchDB, etc.

No caso de utilizar SQLite para as aplicações mobile, esta restrição de 100mil requisições são para acessos num mesmo banco, em concorrência. Observe que muitas aplicações mobile utilizam SQLite, no próprio celular do usuário do aplicativo, em outras palavras cada usuário teria seu proprio banco. Se este for o caso do seu aplicativo essa restrição você não precisa se preocupar com tanto com as restrições do SQLite. Se você está utilizando o SQLite em um servidor a qual todos os usuários irão utilizar em concorrência, eu sugiro então verificar essas alternativas de banco.

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.