2

Eu tenho esse código:

#include <iostream>
int main(int x=1) {
  while (x <= 1000 && std::cout << x++ << std::endl) {}
 }

Eu o escrevi no Gedit, usando Debian, e compilei com o g++ do próprio Debian, sem nunca ter alterado nada. O compilador nunca apresentou problemas em outros códigos. Porém nesse meu código a saída na qual eu recebo é o intervalo de 2 a 1000.

E se eu compilar usando esse site https://ideone.com/4663hX, por exemplo, a saída é de 1 até 1000.

Algo interessante é que: se eu mudo o tipo de validação dentro do while, de menor ou igual a 1000 para menor que 1000, apenas, o programa passa a exibir o número 1.

O que está ocorrendo?

OBS: O código foi desenvolvido para um desafio. Logo, não se discute forma melhor de desenvolver a mesma saída.

Código Assembly:

.file   "tes.cpp"
    .local  _ZStL8__ioinit
    .comm   _ZStL8__ioinit,1,1
    .text
    .globl  main
    .type   main, @function
main:
.LFB969:
    .cfi_startproc
    pushl   %ebp
    .cfi_def_cfa_offset 8
    .cfi_offset 5, -8
    movl    %esp, %ebp
    .cfi_def_cfa_register 5
    andl    $-16, %esp
    subl    $16, %esp
.L4:
    cmpl    $1000, 8(%ebp)
    jg  .L2
    movl    8(%ebp), %eax
    addl    $1, 8(%ebp)
    movl    %eax, 4(%esp)
    movl    $_ZSt4cout, (%esp)
    call    _ZNSolsEi
    movl    $_ZSt4endlIcSt11char_traitsIcEERSt13basic_ostreamIT_T0_ES6_, 4(%esp)
    movl    %eax, (%esp)
    call    _ZNSolsEPFRSoS_E
    movl    (%eax), %edx
    subl    $12, %edx
    movl    (%edx), %edx
    addl    %edx, %eax
    movl    %eax, (%esp)
    call    _ZNKSt9basic_iosIcSt11char_traitsIcEEcvPvEv
    testl   %eax, %eax
    je  .L2
    movl    $1, %eax
    jmp .L3
.L2:
    movl    $0, %eax
.L3:
    testb   %al, %al
    jne .L4
    movl    $0, %eax
    leave
    .cfi_restore 5
    .cfi_def_cfa 4, 4
    ret
    .cfi_endproc
.LFE969:
    .size   main, .-main
    .type   _Z41__static_initialization_and_destruction_0ii, @function
_Z41__static_initialization_and_destruction_0ii:
.LFB978:
    .cfi_startproc
    pushl   %ebp
    .cfi_def_cfa_offset 8
    .cfi_offset 5, -8
    movl    %esp, %ebp
    .cfi_def_cfa_register 5
    subl    $24, %esp
    cmpl    $1, 8(%ebp)
    jne .L6
    cmpl    $65535, 12(%ebp)
    jne .L6
    movl    $_ZStL8__ioinit, (%esp)
    call    _ZNSt8ios_base4InitC1Ev
    movl    $__dso_handle, 8(%esp)
    movl    $_ZStL8__ioinit, 4(%esp)
    movl    $_ZNSt8ios_base4InitD1Ev, (%esp)
    call    __cxa_atexit
.L6:
    leave
    .cfi_restore 5
    .cfi_def_cfa 4, 4
    ret
    .cfi_endproc
.LFE978:
    .size   _Z41__static_initialization_and_destruction_0ii, .-_Z41__static_initialization_and_destruction_0ii
    .type   _GLOBAL__sub_I_main, @function
_GLOBAL__sub_I_main:
.LFB979:
    .cfi_startproc
    pushl   %ebp
    .cfi_def_cfa_offset 8
    .cfi_offset 5, -8
    movl    %esp, %ebp
    .cfi_def_cfa_register 5
    subl    $24, %esp
    movl    $65535, 4(%esp)
    movl    $1, (%esp)
    call    _Z41__static_initialization_and_destruction_0ii
    leave
    .cfi_restore 5
    .cfi_def_cfa 4, 4
    ret
    .cfi_endproc
.LFE979:
    .size   _GLOBAL__sub_I_main, .-_GLOBAL__sub_I_main
    .section    .init_array,"aw"
    .align 4
    .long   _GLOBAL__sub_I_main
    .hidden __dso_handle
    .ident  "GCC: (Debian 4.7.2-5) 4.7.2"
    .section    .note.GNU-stack,"",@progbits
  • 1
    Pode mostrar a saída para isso: int main(int x, char** v) { std::cout << x << std::endl; }? Deve ser 1. – Guilherme Bernal 18/05/14 às 21:18
  • É 1 mesmo. E eu já sabia disso. Algo interessante é que: se eu mudo o tipo de validação dentro do while, de menor ou igual para menor, apenas, o programa passa a exibir o núemero 1. – HiHello 18/05/14 às 21:20
  • Qual a versão do GCC? – Guilherme Bernal 18/05/14 às 21:23
  • É a versão 4.7. – HiHello 18/05/14 às 21:28
  • Estou ficando sem possibilidades... Compile seu código para assembly e adicione o resultado à pergunta. g++ file.cpp -S -o file.s – Guilherme Bernal 18/05/14 às 21:36
3

O seu código usa uma função main com a assinatura int main(int), que é ílegal, como outras respostas já citaram. No entanto o GCC aceita tal assinatura gerando apenas um warning, não um erro. O código é compilado sem problemas e faz o esperado. O motivo do comportamento não está ai. (embora seja algo que deva ser corrigido de qualquer forma).

Passar um valor padrão para esse argumento não faz o menor sentido já que o sistema sempre vai chamar a função main passando explicitamente o valor. No caso vai ser 1 se você chamar o programa sem nenhum parametro na linha de comando, 2 se usar um parametro, 3 para dois parametros e assim vai. Note que no assmbly fica claro e sem sombra nenhuma de dúvida que o primeiro valor exibido na tela é o argumento passado para a função main.

main:                              // Início da função 'main'
.LFB969:                           // Prólogo: Alocar 16 bytes de stack
    .cfi_startproc
    pushl   %ebp
    .cfi_def_cfa_offset 8
    .cfi_offset 5, -8
    movl    %esp, %ebp
    .cfi_def_cfa_register 5
    andl    $-16, %esp
    subl    $16, %esp              // Fim do prólogo.
.L4:
    cmpl    $1000, 8(%ebp)         // Comparar o argumento com 1000
    jg  .L2                        // Se for maior, pule para L2. Não é.
    movl    8(%ebp), %eax          // Copie o argumento para EAX
    addl    $1, 8(%ebp)            // Incremente o argumento
    movl    %eax, 4(%esp)          // Prepare para passar EAX como argumento
    movl    $_ZSt4cout, (%esp)     // Prepare para passar std::cout como argumento
    call    _ZNSolsEi              // Chame 'std::cout << EAX';

Visto isso não há como questionar que o primeiro valor que sai na tela é o argumento da função main. Se você vê 2 é por que passou um parametro na linha de comando quando invocou o seu executável. Não há outra possibilidade.

3

O problema é que a função main deve receber apenas 0 ou 2 argumentos (int argc, char** argv), de acordo com o padrão C++. Como o seu código não está de acordo com as regras do C++, cada compilador pode trata-lo de forma diferente. O G++, por exemplo, gera um warning com o seu protótipo (use -Wmain, caso não esteja mostrando para você), mas parece trata-lo como se fosse o argc.

Como regra geral, garanta que seu código está de acordo com o padrão C++ e você terá menos problemas ao trocar de compilador/plataforma.

As formas definidas pelo padrão são as seguintes: int main() {

ou

int main(int argc, char** argv) {

  • Não achei necessário votar contra a sua resposta, mas ela não me parece muito precisa porque o comportamento não é necessariamente indefinido. – Luiz Vieira 20/05/14 às 19:01
  • O comportamento pode não ser indefinida pelo fato de um determinado compilador aceitar essa forma. No entanto, o padrão C++ define apenas as formas sem argumentos e a forma com os argumentos argc e argv (seção 3.6.1), de forma que cada compilador pode fazer o que quiser em outros casos. Vou editar a resposta para deixar esse ponto mais claro. – Vitor 20/05/14 às 19:19
  • Melhorou muito a sua resposta (principalmente com a indicação do warning no G++). :) De todas as formas, ainda acho meio incorreto afirmar que o código do OP "não está de acordo com as regras do C++", uma vez que o padrão (eu consultei a última versão draft) apenas exige a existência desses dois protótipos mais comuns (e não impede outros, como você mesmo menciona). Ah, seria bacana também você incluir na sua resposta o link para o padrão que usou como referência. – Luiz Vieira 20/05/14 às 22:24
  • P.S.: Também achei bom o conselho de buscar usar um desses dois protótipos para ter menos problemas ao trocar de compilador/plataforma. – Luiz Vieira 20/05/14 às 22:26
  • Sim, eu recebia o aviso no console. Pode até ser que seja isso... Mas não sei ao certo. Por isso perguntei. – HiHello 20/05/14 às 23:30
2

Ao construir o seu programa em C++ você tem algumas opções para a declaração da função de entrada chamada main. As duas mais comuns são:

1 - Sem se preocupar em receber e tratar argumentos de linha de comando do binário/executável. Por exemplo:

#include <iostream>
int main() {
    std::cout << "Ola mundo!" << std::endl;
    return 0;
}

2 - Recebendo e tratando argumentos de linha de comando do binário/executável. Por exemplo:

#include <iostream>
int main(int argc, char** argv) {
    std::cout << "Ola mundo!" << std::endl;
    std::cout << "Total de argumentos: " << argc << std::endl;
    for(int i = 0; i < argc; i++)
        std::cout << "Argumento #" << i << " = [" << argv[i] << "]" << std::endl;
    return 0;
}

Porém, o fato é que a definição do protótipo dessa função em muitos compiladores permite algumas variações. No Visual Studio 2013, por exemplo, a "assinatura" do protótipo é descrita assim na documentação:

int main( int argc[ , char *argv[ ] [, char *envp[ ] ] ] );

Os colchetes (caracteres [ e ]) servem nesse contexto apenas para indicar a opcionalidade dos parâmetros da função (isto é, parâmetros entre colchetes são opcionais).

Nota: pode-se perceber que também é possível receber e tratar variáveis de ambiente com o parâmetro envp.

Outro detalhe é que a linguagem C++ permite que você indique, ao definir suas próprias funções, os parâmetros que são opcionais. Isso é feito simplesmente definindo um valor padrão (default) que deve ser utilizado caso o parâmetro não seja utilizado/informado na chamada.

Assim, ao construir o seu código da forma que fez, você simplesmente utilizou apenas o primeiro parâmetro (argc, que contém o número de argumentos da linha de comando do binário/executável, embora você o tenha renomeado para x). Como o segundo (e o terceiro) parâmetro de main é opcional, ele irá (muito provavelmente - isso depende da implementação do compilador) receber o valor NULL.

Além disso, você simplesmente redefiniu o valor padrão (default) desse argumento para 1. Na prática, o simples fato de tê-lo ali faz com que você sempre receba ao menos o caminho e o nome do seu próprio binário/executável (segundo a documentação, esse é sempre o valor de argv[0], independentemente de você prover ou não argumentos adicionais na linha de comando), de forma que esse valor padrão é simplesmente inútil.

Isso tudo que eu argumentei não responde ao fato (alegado por você, mas ainda sem comprovação: simplesmente não consegui reproduzir nos meus testes locais com VS 2013) do resultado mudar dependendo do uso de menor (<) ou menor ou igual (<=). Ainda assim, conhecendo a documentação e o comportamento esperado da função main, eu tendo a acreditar que as variações do valor da sua variável x entre 1 e 2 decorram de você estar passando algum argumento na linha de comando (mesmo sem perceber).

De todas as formas, se o seu interesse é receber via linha de comando o número que deve ser utilizado para iniciar a sua contagem, você pode fazer da seguinte forma:

#include <iostream>
int main(int argc, char** argv)
{
    // Validação dos argumentos da linha de comando
    if(argc != 2)
    {
        std::cerr << "Sintaxe: " << argv[0] << " <valor inicial>" << std::endl;
        return -1;
    }

    int x = atoi(argv[1]);
    while (x <= 1000 && std::cout << x++ << std::endl) {}
    return 0;
}
  • Esse código eu fiz pra um outro post. No qual era pedido um código que exibisse os números de 1 a 1000 sem utilziar ponto e vírgula no código... Pois bem, o que você disse, que aquele valor será padrão, realmente. Eu comentei isso no outro post. – HiHello 20/05/14 às 23:26
  • Cara, não me leve a mal, mas essa sua pergunta e a outra me parecem basicamente a mesma. Além disso, você simplesmente ignorou todas as sugestões (em comentários e em respostas de AMBAS as perguntas) sobre o que pode ser o seu problema. – Luiz Vieira 21/05/14 às 0:37

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.