1

Antes de me aprofundar na questão, gostaria de esclarecer que eu já possuo um método que funciona. Porém, como eu não possuo tanto conhecimento em backend, mais precisamente em PHP, não sei quão "correto" está meu código analisando questões de segurança, escalabilidade e boas práticas. Também não faço uso de nenhum framework em backend.


O "problema"

Após fazer algumas pesquisas (não relacionadas com este problema em específico), me deparei com alguns exemplos de usuários que estavam chamando as funções em PHP (a partir de AngularJS) de modo diferente do que faço atualmente. Na verdade, não encontrei nenhum exemplo semelhante ao que faço, por isso me surgiu essa dúvida, pois posso estar "fazendo errado".

O método que faço seria este:

AngularJs

var url  = '/php/produtos.php?action=carregaProduto';
return $http.get(url).then(
    function(response) {return response.data;}
)

PHP - produtos.php

switch($_GET['action']) {
    case 'carregaCategoria': carregaCategoria();
    break;

    case 'carregaProduto': carregaProduto();
    break;

    case 'adicionaProduto': adicionaProduto();
    break;
}

function carregaCategoria() {
    //Executa a função
}
function carregaProduto() {
    //Executa a função
}
function adicionaProduto() {
    //Executa a função
}

Eu possuo alguns arquivos php segmentados por "categorias", por exemplo produtos.php, clientes.php, filtros.php, etc.. Para cada arquivo eu sigo o mesmo padrão, definindo um case para chamar a função.


Os modelos

Os modelos que observei de tutoriais, possuem uma estrutura um pouco diferente, com a chamada da função diretamente na url, porém sem action ou sem a definição da própria função na url. Também usam uma estrutura PHP diferente da que uso, com a definição de class e Public function.

Por exemplo:

AngularJs

var url = '/produtos/carregaProduto';
return $http.get(url).then( 
    function(response) {return response.data;}
)

PHP - produtos.php

class listaProduto {
    public function carregaCategoria() {
        //Executa a função
    }
    public function carregaProduto() {
        //Executa a função
    }
    public function adicionaProduto() {
        //Executa a função
    }
}

Como podem ver, a chamada feita em AngularJs menciona o arquivo, mas sem a extensão e a função também é definida, porém sem ().

Lendo um pouco a respeito, notei que seria necessário uma configuração de "Rotas" em PHP para que isso funcione. Nisso é determinado o padrão de rotas e métodos a serem chamados.


Minha dúvida

Com isso, minha dúvida seria quanto ao método mais "correto" ou melhor de se obter o resultado final, que é obter dados do banco de dados, ou executar algum processo em backend.

O método que uso atualmente está errado? O método demonstrado no exemplo é o mais correto? Por que?

Lembrando que quero analisar bem os pontos que mencionei no inicio da questão (segurança, escalabilidade e boas práticas). No exemplo usei poucas funções, mas em uma aplicação maior, como um e-commerce, eventualmente terei centenas de funções e diversos arquivos.

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.