17

Quando faz uma requisição utilizando $.ajax,

  • Qual o significado de processData: false, contentType: false e async: false, pra que servem esses campos?
  • Existe diferença em usar type: "post" ou type: "POST"?
  • Por que se utiliza data: JSON.stringify?

    $.ajax({
         url: url,
         type: "POST",
         async: false,
         data: JSON.stringify({ grid: grid }),   
         processData: false,
         contentType: false,
         dataType: "json",
         success: function (data){
                 console.log("Olá");   
         }
    });
    
17

"async": false ou true

Se é assíncrono o não. Você pode notar uma diferença nesse atributo quando trabalha com respostas na tela ou quando precisa disparar algum gatilho exatamente no fim da execução, por exemplo. Assim, você dispara outro evento somente no final da execução síncrona do $.ajax. Mas isso as vezes faz com que a página fique congelada.

Você pode testar a aplicação disso usando um alert("alguma coisa"); na função success. Vai perceber que async: true, o alerta vai ser disparado antes de ter uma resposta da execução do ajax, e com o async: false, o alerta apenas vai aparecer quando ocorrer o fim exato do ajax.

Existe diferença em usar type: "post" ou type: "POST"?

Por experiencia própria, nunca notei diferença. No entanto, no site oficial do $.ajax[+] está tudo em maiúsculo.

Por que se utiliza data: JSON.stringify?

Depende de como o servidor está aguardando a resposta da execução. Para um simples envio de post por exemplo, basta um data: $("form").serialize().

Para envio de um JSON para o servidor, aí sim usa o JSON.stringify combinado com o contentType: "application/json".

  • 1
    O async determina assincronia do método ajax com relação ao resto do código, e não com relação ao callback success. O success só ocorre quando a requisição é bem sucedida, i.e., quando o que quer que você esteja requerendo estiver disponível, o async determina se o resto da sua lógica aguarda (ou não) esse sucesso. Veja essa discussão – Caio Felipe Pereira 15/09/16 às 12:29
9

Acho que sua própria resposta já responde alguma das suas perguntas.

  • JSON.stringify: serve simplesmente para converter o objeto JSON para um formato que seja possível trasmitir via uma requisição HTTP.

  • contentType: false: o header 'contentType' não será colocado na requisição HTTP. É sempre bom especificar o tipo de dado sendo enviado - no seu caso 'application/json'

  • tipos 'post' e 'POST': o padrão é enviar com letras maiúsculas. Mas a requisição irá converter automaticamente caso você envie com letras minúsculas. Ou seja, não faz diferença. (Veja w3.org item 4.6.1)

  • async: basicamente, executando de modo assíncrono, o resto do código não irá esperar a resposta do servidor para prosseguir. Se async: false, o resto do código só será executado após a resposta do servidor.

7

Na documentação (em inglês), tem o significado dos parâmetros.

  • async: Por padrão, todas as requisições são enviadas de forma assíncrona, definido com true. Se você precisar de solicitações síncronas, defina esta opção como false . Requisições cross-domain e dataType: "jsonp" não suportam a operação síncrona. Observe que solicitações síncronas podem bloquear temporariamente o navegador, desativando quaisquer ações enquanto a solicitação estiver ativa.

  • beforeSend: Para alterar o cabeçalho da requisição ou realizar operações antes do envio da requisição, utilize esta função.

  • cache: Se definido como false, ele vai forçar páginas não devem ser armazenados em cache pelo navegador solicitado.

  • complete: A função a ser chamada quando os acabamentos de solicitação (depois success e error retornos de chamada são executados).

  • contents: Um objeto de pares string/expressão regular que determinam como o jQuery irá analisar a resposta, dado o seu tipo de conteúdo.

  • contentType: Ao enviar dados para o servidor, use esse tipo de conteúdo. O padrão é "application/x-www-form-urlencoded; charset=UTF-8", o que é bom para a maioria dos casos. Se você passar explicitamente em um tipo de conteúdo para $.ajax(), então é sempre enviado para o servidor (mesmo que nenhum dado é enviado).

  • context: Este objeto será o contexto de todos os retornos de chamada relacionados ao Ajax. Por padrão, o contexto é um objeto que representa as configurações Ajax utilizadas na chamada ($.ajaxSettings fundiu-se com as definições passadas para $.ajax).

  • converters: Um objeto que contém os conversores dataType-to-dataType. O valor de cada conversor é uma função que retorna o valor transformado da resposta.

  • crossDomain: Se você deseja forçar um pedido crossdomain (como JSONP) no mesmo domínio, defina o valor de crossdomain a true. Isso permite, por exemplo, redirecionamento do servidor para outro domínio.

  • data: Dados a serem enviados para o servidor. O formato deve ser variável/valor e se você não deixar nesta formatação a função formatará automaticamente.

  • dataFilter: Uma função a ser usada para manipular os dados de resposta brutos de XMLHttpRequest. Esta é uma função de pré-filtragem para sanitizar a resposta. Você deve devolver os dados higienizados. A função aceita dois argumentos: Os dados brutos retornados do servidor e o parâmetro dataType.

  • dataType: Você define qual o tipo de dado a ser retornado pela requisição. Os valores possíveis são: xml, html, json, jsonp, script e text. Configurando esta opção você permite uma avaliação dos dados que são retornados. Se esta opção for omitida a função identifica o tipo de dado, mas não avalia.

  • error: Uma função a ser chamada se a solicitação falhar. A função recebe três argumentos: O objeto jqXHR (em jQuery 1.4.x, XMLHttpRequest), uma string que descreve o tipo de erro que ocorreu e um objeto de exceção opcional, se ocorreu.

  • global: Indica se os eventos manipuladores definidos em .ajaxSend() e .ajaxError() valerão na requisição atual. Por padrão está setado para true.

  • headers: Um objeto de cabeçalho adicional para enviar junto com solicitações usando o transporte XMLHttpRequest.

  • ifModified: Permitir que a solicitação seja bem-sucedida somente se a resposta tiver sido alterada desde a última solicitação. Isso é feito verificando o cabeçalho Last-Modified. O valor padrão é false , ignorando o cabeçalho.

  • isLocal: Permite que o ambiente atual seja reconhecido como "local" (por exemplo, o sistema de arquivos), mesmo que o jQuery não o reconheça como tal por padrão. Os seguintes protocolos são reconhecidos atualmente como locais: file , *-extension e widget . Se o isLocal definição precisa de modificação, recomenda-se a fazê-lo uma vez no $.ajaxSetup() método.

  • jsonp: Substitui o nome da função callback em uma solicitação JSONP.

  • jsonpCallback: Especifica o nome da função callback para uma solicitação JSONP. Este valor será usado em vez do nome aleatório gerado automaticamente pelo jQuery.

  • method: O método HTTP a ser usado para o pedido (por exemplo, POST, GET, PUT).

  • mimeType: Um tipo mime para substituir o tipo XHR mime.

  • password: Uma senha para ser usada com XMLHttpRequest em resposta a uma solicitação de autenticação de acesso HTTP.

  • processData: Esta variável é configurada para processar e transformar as informações passadas para o padrão application/x-www-form-urlencoded. Se por algum motivo você não quer esta formatação, como mandar no formato xml para o servidor, atribua false para esta variável.

  • scriptCharset: Aplica-se somente quando o transporte "script" é usado (por exemplo, solicitações entre domínios com tipo de dados jsonp ou script e tipo GET). Define o charset atributo na tag script usado no pedido. Usado quando o conjunto de caracteres na página local não é o mesmo do script remoto.

  • statusCode: Um objeto de códigos e funções numéricas HTTP a ser chamado quando a resposta tem o código correspondente.

  • success: Se a requisição finalizar com sucesso, é executada esta função, que recebe os dados recebidos do servidor.

  • timeout: Se você quer limitar o tempo para a execução da requisição, defina um valor em milissegundos. Não retornando sucesso dentro do tempo definido, uma mensagem de erro, configurada por você na função error, será mostrada.

  • traditional: Defina esta opção como true se você quiser usar o estilo tradicional de serialização de parâmetro.

  • type: O método usado para a requisição. Aceita GET ou POST. O padrão é GET.

  • url: Endereço no servidor que receberá a requisição.

  • username: Um nome de usuário a ser usado com XMLHttpRequest em resposta a uma solicitação de autenticação de acesso HTTP.

  • xhr: Callback para criar o objeto XMLHttpRequest.

  • xhrFields: Um objeto de pares fieldName-fieldValue para definir sobre o nativo XHR objeto.

Informações com base na Resposta aceita:

Existe diferença em usar type: "post" ou type: "POST"?

Não.

Por que se utiliza data: JSON.stringify?

Depende de como o servidor está aguardando a resposta da execução. Para um simples envio de post por exemplo, basta um data: $("form").serialize().

Para envio de um JSON para o servidor, aí sim usa o JSON.stringify combinado com o contentType: "application/json".

O JSON.stringify serve para transformar um objetos com tipos primitivos numa string para poder ser enviada em tipo String num formato universal JSON.

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.