11

Minha dúvida começou quando decidi reanalisar o método que estava usando para obter a senha do usuário e armazenar a mesma no Banco de Dados. Após ler essa, essa e essa pergunta aqui na rede, além de muitas outras em outras redes, como essa e essa, algumas dúvidas me surgiram.

Possuímos métodos antigos, porém excelentes até os dias atuais, de se gerar um hash para armazenar no BD. Também possuímos alguns, que eram considerados ótimos, mas que já estão caindo em desuso (ou pelo menos em conceito) devido a segurança, como é o caso do md5 e família sha.

Também temos novos métodos onde, até onde li, parece ser o mais forte candidato a ser utilizado para a geração de hash, inclusive mais recomendado que o próprio bcrypt ou PBKDF2, que é o caso do password_* no PHP >= 5.5.


Alguns requisitos que observei como ideais na elaboração da hash seriam:

  • Todo hash gerado deve ser criado junto de um salt;
  • Todo salt gerado deve ser único por cliente;
  • A função deve ser lenta, para dificultar o ataque de força bruta;

Com isso em mente, até onde posso considerar esse pensamento como correto e começar a utilizar apenas o método password_*? Ele se enquadraria nos requisitos ideais para geração de hash?

O que me chamou a atenção foi também a simplicidade em termos de código de se utilizar password_*, pois com poucas linhas de códigos podemos obter o resultado esperado, exemplo:

//Gerar um hash
$salt    = $resultadoSalt; //resultado de uma função para obter o salt único
$options = [
    'cost' => 14,
    'salt' => $salt
];
$hash = password_hash($password, PASSWORD_BCRYPT, $options);

//Validar um hash
if (!password_verify($password, $hash)) return false;

Neste caso, armazenar o resultado da função password_hash no Banco de Dados já seria suficiente? Ex.: $2y$14$5e7b5f0ef3cccfac9b902uR4sHJTlTYv3RYt3ApP7PvyTXHmdhN7e ou algum outro processo seria recomendado?

Lembrando que quaisquer outras considerações acerca do assunto são bem vindas!

  • 1
    Na verdade, no PHP 7 é considerado obsoleto informar o salt, isso é gerado automaticamente pela função. Então, acredito que informar o salt não seja a melhor opção. Os critérios que observou está correto, apenas acrescentaria "um": o tempo de uso e popularidade. O bcrypt é antigo (antes de 2000). Existe o scrypt, salvo engano, ele foi publicado em 2009. Justamente por ser recente ainda não é "tão aceito", é necessário que ele resista por mais tempo vivo. Mas, em resposta a pergunta, acredito que seria suficiente. Acho que a função foi criada assim, fácil, para vê se param de usar o MD5. :P – Inkeliz 8/08/16 às 19:10
  • 1
    Quando usar o password_verify não irá comparar uma hash com outra, nem mesmo deve inserir o salt. Então o salt deve ser aleatório, até mesmo para ser único. O manual do PHP não recomenda que use um salt personalizado ou reinvente a roda para gerar o salt, "It is strongly recommended that you do not generate your own salt for this function.". Experimente remover o salt e funcionará da mesma forma, mesmo gerando hash totalmente diferente uma da outra. Como isso funciona estou a espera de alguém responder também. :D – Inkeliz 8/08/16 às 19:32
  • 1
    Apenas para responder a questão do salt. O salt já é armazenado na própria senha, ou um trecho dele. Por exemplo: se o salt for de 1234567891234567891234, a senha de abc será $2y$14$123456789123456789123uqefxzc/iUTZnhJmbDgxEKiWGTixIZu6. Note que o segundo $ indica o cost (14), em seguida justamente o salt: sendo visivelmente 123456789123456789123, só faltou o 4, o ultimo numero, que então sei onde foi parar (mas alterar o ultimo numero do salt não muda a hash, então...). De qualquer forma, o salt já está embutido na hash, então, por isso consegue realizar a comparação. – Inkeliz 8/08/16 às 23:11
  • 2
    @Gonçalo isso é um complemento bom pra aplicação, mas não resolve o problema do hash, vide as outras postagens linkadas na própria pergunta. O salt e hash não são só pra evitar acesso à aplicação, e sim para evitar acesso às credenciais mesmo que o atacante consiga uma cópia do DB de senhas. – Bacco 15/08/16 às 22:04
  • 1
    Na verdade a pergunta atual parece mais um pedido de confirmação de entendimento, ou mesmo um debate sobre o que já foi postado, do que uma nova dúvida. Quando for assim, recomendo deixar comentário nas postagens originais, que a gente pode tentar complementar, explicar, melhorar etc. – Bacco 15/08/16 às 22:10
9
+100

Com isso em mente, até onde posso considerar esse pensamento como correto e começar a utilizar apenas o método password_*? Ele se enquadraria nos requisitos ideais para geração de hash?

O objetivo da API de password do PHP é o reaproveitamento do código. Até a versão 7.1 o algoritmo padrão CRYPT_BLOWFISH, mas a partir do PHP 7.2 temos um novo algoritmo mais seguro chamado Aragon2 a partir da biblioteca libsodium:

Você já apontou um uso básico da API de password_hash, porém é recomendado deixar que a função gere automaticamente o salt para você. Inclusive, a partir do PHP 7 a opção de fornecer um salt customizado foi descontinuada pois permitia os desenvolvedores utilizarem salts não seguros.

// o cost padrão é 10, aumente caso deseje que o hash seja mais demorado
$options = [
    'cost' => 14,
];

$hash = password_hash($password, PASSWORD_DEFAULT, $options);

Note que mudei para o constante PASSWORD_DEFAULT. A partir dela será possível usar um novo algoritmo sem alterar sua aplicação. A partir do hash gerado o PHP irá conseguir verificar se uma senha confere a partir do password_verify:

$hash = '$2y$07$BCryptRequires22Chrcte/VlQH0piJtjXl.0t1XkA8pw9dMXTpOq';

if (password_verify('alguma_senha', $hash)) {
    echo 'Passou!';
} else {
    echo 'Senha incorreta.';
}

Ao ocorrer uma troca do algoritmo, utilize a função password_needs_rehash para alterar seu hash para um mais seguro. Essa função pode ser utilizada também caso o cost seja aumentado.

$password = 'alguma_senha';
// $10 é referente ao cost, que nesse caso é 10
$hash = '$2y$10$YCFsG6elYca568hBi2pZ0.3LDL5wjgxct1N8w/oLR/jfHsiQwCqTS';

// Um cost mais alto foi utilizado
$options = ['cost' => 11];

// Verifica a senha com o hash
if (password_verify($password, $hash)) {

    // O Hash é o mais recente com base nas configs passadas?
    // Imagine que o PASSWORD_DEFAULT foi alterado...
    if (password_needs_rehash($hash, PASSWORD_DEFAULT, $options)) {

        // Se sim, crie um novo hash dessa senha
        $newHash = password_hash($password, PASSWORD_DEFAULT, $options);

        // Passos para atualizar o hash no banco
    }

    // Usuário logado
}

Alguns requisitos que observei como ideais na elaboração da hash seriam:

  • Todo hash gerado deve ser criado junto de um salt;
  • Todo salt gerado deve ser único por cliente;
  • A função deve ser lenta, para dificultar o ataque de força bruta;

Observando os requisitos, os itens 1 e 2 estão já possuem um salt gerado de forma aleatória pelo password_hash se nada for enviado nas options.

O terceiro item precisa ser avaliado encontrando a relação entre um cost que seja demorado de quebrar com força bruta e o tempo de espera de um usuário comum na aplicação. Quanto maior o cost, mais demorado será para quebrá-lo, mas também não faça seu usuário esperar 1 minuto para tentar fazer login :)

Em um ataque de força bruta onde o atacante tenha obtido os hashes a partir do banco, o que vai atrasar o trabalho dele é o cost definido.

Mas no caso de um ataque força bruta a partir de um endpoint externo do seu site, você pode aplicar alguma técnica de throttling, que consiste em deixar esse processamento mais lento para algumas requisições somente sem afetar a experiência do usuário. Isso é feito inserindo pausas na execução do script por um período de alguns segundos para tentativas de login incorretas, fazendo as requisições demorarem mais.

Outra alternativa é desativar o usuário temporariamente e somente ativar a partir de um outro meio de contato (contato com service desk, confirmação por sms ou telefone, reset de senha por email, por exemplo).

Resumindo, ao trabalhar com senhas no PHP utilize o password_* para:

  • Simplificar seu código
  • Não ter problemas em futuras migrações
  • Possibilidade de alterar o motor de criptografia no futuro de forma transparente para a aplicação
  • Na geração de hash, onde eu demonstrei com o uso de PASSWORD_BCRYPT e você alterou para PASSWORD_DEFAULT qual seria o principal motivo? Ou qual melhor opção? Se eu utilizar bcrypt eu não consigo utilizar o password_needs_rehash futuramente? – celsomtrindade 16/08/16 às 17:17
  • A ideia do password_hash é possibilitar vc trocar o algoritmo de forma simples. PASSWORD_DEFAULT e o PWORD_BCRYPT hoje são a mesma coisa, mas se no PHP 8, por exemplo o PASSWORD_DEFAULT alterar para PASSWORD_BATATA, vc ainda estará usando o PASSWORD_BCRYPT e precisará alterar seu código para usar o PASSWORD_BATATA – gmsantos 16/08/16 às 17:39
  • 1
    @CelsomTrindade em outras palavras, a idéia do PASSWORD_DEFAULT é ser sempre o "melhor que tem no momento". Se você troca de PHP e vem coisa melhor, sua aplicação vai melhorar o hash automaticamente de cada usuário que se logar. – Bacco 16/08/16 às 21:54
  • @Bacco nesse caso, somente dos usuários novos que criarem conta, certo? E ai para os antigos, só utilizar password_needs_rehash que ele se encarrega de atualizar tudo automaticamente. Correto? – celsomtrindade 18/08/16 às 11:21
  • @CelsomTrindade não irá atualizar sozinho o seu banco, ele só vai retornar um boolean e falar se precisa atualizar ou não. Veja na resposta que mostra o uso do password_needs_rehash tem explicado o fluxo em comentários. – gmsantos 18/08/16 às 16:32
1

Recomendaria ler este artigo: https://crackstation.net/hashing-security.htm#phpsourcecode

Acho interessante usar bcrypt com cost alto. Até tem um código interessante na documentação do php para encontrar um cost aceitável:

/**
 * This code will benchmark your server to determine how high of a cost you can
 * afford. You want to set the highest cost that you can without slowing down
 * you server too much. 8-10 is a good baseline, and more is good if your servers
 * are fast enough. The code below aims for ≤ 50 milliseconds stretching time,
 * which is a good baseline for systems handling interactive logins.
 */
$timeTarget = 0.05; // 50 milliseconds 

$cost = 8;
do {
    $cost++;
    $start = microtime(true);
    password_hash("test", PASSWORD_BCRYPT, ["cost" => $cost]);
    $end = microtime(true);
} while (($end - $start) < $timeTarget);

echo "Appropriate Cost Found: " . $cost . "\n";
  • Como dito acima, quanto ao uso eu já estou usando o BCRYPT, ao padrão password_* que o próprio php oferece. Mas a dúvida é a comparação deste com os demais métodos, como as técnicas de md5 e salt, PBKDF2, e por ai vai.. – celsomtrindade 9/08/16 às 13:31

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.