5

Aqui era para incrementar o valor da variável, porém não funciona.

#include <stdio.h>
#include <stdlib.h>

int main()
{
    int *p, x = 10;

    p = &x;
    *p = (*p)++;
    printf("%d \n", *p);

    return 0;
}

Resultado: 10

  • O problema é o seu operador de incremento depois da variável. Se você fizer *p = ++(*p); obterá o resultado esperado. – anonimo 5/09 às 19:23
  • Teste simples: x = 3; y = ++x; // Neste ponto x contem 4 e y contem 4 x = 3; y = x++; // Neste ponto x contem 4 e y contem 3 – anonimo 5/09 às 19:26
7

Isto produz um comportamento indefinido. O operador de incremento já é um operador de atribuição. Basta deixá-lo sozinho que tudo funciona.

#include <stdio.h>

int main() {
    int *p, x = 10;
    p = &x;
    (*p)++;
    printf("%d \n", *p);
    return 0;
}

Veja funcionando no ideone e no CodingGround.

  • Onde ocorre o comportamento indefinido? – Pablo Almeida 28/07/16 às 1:58
  • Na linha que eu alterei *p = (*p)++;. – Maniero 28/07/16 às 2:00
  • "Onde" foi modo de falar, rsrs. Qual é a explicação para o comportamento indefinido? Qual regra foi quebrada, digamos assim. – Pablo Almeida 28/07/16 às 2:01
  • Não sei dizer exatamente nesse caso. Até onde eu sei a especificação não diz nada sobre (exatamente) isso. Talvez algo relacionado a isto: en.wikipedia.org/wiki/Sequence_point. Talvez algo assim ajude explicar: stackoverflow.com/a/949508/221800 – Maniero 28/07/16 às 2:04
  • 1
    Também não tenho conhecimento profundo sobre eles. Faz tempo que me prometo dar uma estudada, mas sempre fica pra depois. – Maniero 28/07/16 às 2:13
1

*p = (*p)++; não gera comportamento indefinido, como o @Maniero disse. Este é um comando com comportamento perfeitamente entendível e previsível. O problema aqui é que o comando (*p)++, em si, já incrementa o valor contido em x.

Observe o código abaixo:

int x = 0;
int *p = &x;

Aqui, o computador irá criar duas "caixinhas" na memória.

  • Uma "caixinha" para guardar um inteiro, chamada x.
  • E outra "caixinha" para guardar o endereço de um inteiro, chamada p

em outras palavras:

Uma variável do tipo int armazena um inteiro.

Uma variável do tipo int* armazena um endereço de um inteiro.

Agora suponha que x esteja no endereço 0x000000 e que p esteja em 0x111111

O comando (p) nos retorna o endereço de x na memória, ou seja, 0x000000

O comando (*p) nos retorna o valor contido no endereço 0x000000, ou seja, 0.

Quando você faz *p = (*p)++; você esta pedindo ao processador que faça o seguinte:

*p = (*    p   )++;

 ^    ^    ^    ^

 4    2    1    3
  1. Pegue o endereço armazenado por p (0x000000)
  2. Acesse o valor deste endereço (0)
  3. Incremente esse valor (0 -> 1). Agora x = 1.
  4. Atribua o novo valor (1) à p.

Na etapa 4 que a coisa fica séria. Aqui você está trocando o conteúdo de p, que era 0x000000, para 0x00001, que é 1 em hexadecimal. Fazendo isso, p pára de apontar para x, e começa a apontar para um "endereço alheio". O enderço de x permanece 0X000000, mas o seu conteúdo agora é 1. O endereço de p também permanece o mesmo 0x111111 mas o seu valor, que antes era 0x000000 (endereço de x), agora passa a ser (0x000001).

O código

int *p, x = 0;
p = &x;
*p = (*p)++;

pode ser reescrito como:

int x = 0;
int *p = 0x000000;

x = 1;
p = 0x00001;

assumindo que o endereço de x seja 0x000000

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.