37

Estou trabalhando em um sistema muito grande utilizando .NET (Asp.net MVC) a aplicação requer um nível crítico de desempenho. Até que ponto vale ou não a pena utilizar uma ORM? Existe alguma ferramenta que eu possa comparar em termos de desempenho os ORM'S e SQL puro?

Eu sei que existe uma diferença de desempenho entre SQL puro e ORM, não sei se é os activerecord's ou os ORM's em gerais são mais lentos em comparação com SQL puro, caso considere usar um ORM, qual deles provavelmente tem o melhor desempenho: EF ou NHibernate?

Sei que tudo também depende da estrutura do banco e das boas práticas, mas de modo geral para um sistema muito grande considero uma ORM? Já que o custo beneficio em relação manutenção do sistema é muito mais alto do que não utilizando

  • 8
    Essa pergunta poderia ser considerada "Principalmente baseada em opiniões" ? – Silvio Andorinha 28/04/14 às 20:21
34
+50

Eu sou a favor de uma abordagem mista

  • Utilize o ORM ao máximo para melhorar a legibilidade e a produtividade. No C# ou VB.Net é possível usar o LINQ, que é uma ferramenta extraordinária em termos de produtividade. Quanto mais simples melhor.

  • Quando for necessário aumentar a performance, ou quando o ORM não oferecer as ferramentas adequadas para o trabalho, estude mais a fundo o ORM escolhido e busque informações na internet, e só então, parta para o SQL.

    Os ORM's geralmente permitem usar uma linguagem parecida com SQL, ou então permitem utilizar SQL com formatação específica, o que é um ponto intermediário.

Qual escolher?

Trabalho com ambos, o NHibernate possui mais recursos, é mais flexível, e possui muitas ferramentas e bibliotecas de extensão, entretanto o EntityFramework é mais simples e mais fácil para se utilizar, além das ferramentas se integrarem ao Visual Studio.

  • Para um projeto que nasce com BAIXA demanda

    Escolher entre EntityFramework e NHibernate, neste caso pode se reduzir a uma questão de costume, ou seja, use aquele que é mais familiar.

    Se tiver que aprender uma delas, eu escolheria o EntityFramework, ele usa tecnologias mais atuais, e está evoluindo rapidamente.

    E se você já conhece ambos, iria de EntityFramework também, pois é mais simples de se trabalhar, além de ter integração com o Visual Studio, o que ajuda muito na produtividade.

  • Para um projeto que nasce com ALTA demanda

    Para um projeto que já vá nascer com grande carga de dados/usuários/expectativa (imagine um sistema para uma empresa gerenciar milhares de funcionários), ai eu ainda recomendaria o NHibernate... é uma tecnologia que com certeza não vai te deixar a desejar nada.

Referências

  • 4
    Concordo com o ponto de vista do @miguel-angelo. O ORM facilita e muito sua vida, como você mesmo disse, o sistema precisa de um nível crítico de desempenho, nesse caso é muito bom você utilizar o ORM para consultas mais "SIMPLES" (entenda simples como consultas que não necessitem de um extremo e poderoso envolvimento das tabelas, como desnormalização, joins com muitas condições e coisas similares). Sem contar que muitas vezes, através do ORM, você consegue ter uma legibilidade melhor do código e tbm poderá evitar muitos erros de escrita de query por conseguir ver + facil os relacionamentos. – Tafarel Chicotti 28/04/14 às 20:17
23

Sobre o Entity Framework

A implementação do DbSet<> faz o contexto de dados carregar o registro do banco apenas uma vez durante o ciclo de vida do Controller. Portanto, a diferença de desempenho entre o sistema escrito com SQL puro para o sistema em Entity Framework chega a ser desprezível se o banco de dados estiver normalizado corretamente (ou seja, com chaves primárias únicas e evitando relacionamentos desnecessários, como tabelas que são atualizadas de vez em nunca, podendo ser substituídas por Enums). Por ser muito simples, é o ideal para o início de desenvolvimento de um sistema. A desvantagem é a falta de suporte a outros bancos, como o Oracle, por exemplo.

Sobre o NHibernate

É uma solução mais antiga que o Entity Framework, advinda do Java quando o ORM começou. Possui mais opções de configuração e trabalha melhor com outros bancos de dados que não sejam SQL Server. Entretanto, a abordagem para Code First ainda é um tanto prolixa, o que o torna mais lento que o Entity Framework para iniciar um projeto em termos de produtividade, sendo mais recomendado para projetos grandes que já estejam implementados e trabalhem com grandes massas de dados, o que exige uma sintonia fina das configurações.

Até que ponto não é aconselhável usar uma ORM?

Esta parte é um tanto baseada em opiniões, mas inicialmente eu diria que não há restrições, visto que os frameworks ORM possibilitam a execução de SQL puro em etapas em que haja gargalos de desempenho. Sendo assim, nem a produtividade nem o desempenho são comprometidos.


UPDATE

A Oracle desenvolveu seu provedor de dados com o Entity Framework, finalmente. Com isto, está vencido o problema de conectividade entre Oracle e Entity Framework.

Um tutorial também foi elaborado pela equipe do Oracle para sanar eventuais dúvidas que possam surgir na integração.

4

Defensores do ORM dirão que isso não se aplica a todos os projetos: nem todos necessitam executar joins complexos; e que o ORM é uma solução 80/20, em que 80% dos usuários necessitam de apenas 20% das funcionalidades do SQL. Mas posso dizer que isso não tem sido verdade. Somente no início de um projeto se pode trabalhar sem a utilização de joins ou usando-os de maneira simplista. Depois, será preciso otimizar e consolidar consultas. Mesmo considerando que 80% dos usuários utilizem somente 20% das funcionalidades do SQL, 100% terão que violar a sua abstração para fazer o que precisa ser feito.

• As vantagens da utilização de ORM desaparecem com o aumento da complexidade pois é necessário promover uma quebra da abstração forçando o desenvolvedor a lidar com SQL;

• Objetos não são uma forma adequada de representação de queries relacionais;

• Ao invés de se utilizar bases de dados relacionais e ORM como solução de todos os problemas, se seus dados são objetos por natureza utilize NoSQL;

• Design OO não pode representar dados relacionais de forma eficiente, isto é uma limitação fundamental do design OO que ORM não pode lidar.

Resumindo: ORM e um tiro no pé no meu ponto de vista.

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.