4

Ao tentar otimizar algumas queries para não depender do PHP para fazer algo que poderia vir pronto do banco de dados, eu estava tentando adaptar as duas rotinas abaixo em forma de functions do MySQL:

function encode( $input, $index ) {

    $base    = strlen( $index );
    $input  += pow( $base, 4 );
    $output  = '';

    for( $i = floor( log( $input, $base ) ); $i >= 0; $i-- ) {

        $bcp     = bcpow( $base, $i );
        $start   = floor( $input / $bcp ) % $base;
        $output .= substr( $index, $start, 1 );
        $input   = $input - ( $start * $bcp );
    }

    return $output;
}

E:

function decode( $input, $index ) {

    $base   = strlen( $index );
    $output = 0;
    $length = strlen( $input ) - 1;

    for( $i = 0; $i <= $length; $i++ ) {

        $bcpow   =  bcpow( $base, $length - $i );

        $output += strpos( $index, substr( $input, $i, 1 ) ) * $bcpow;
    }

    $output -= pow( $base, 4 );

    $output = sprintf( '%F', $output );
    $output = substr( $output, 0, strpos( $output, '.' ) );

    return (int) $output;
}

São funções que codificam um integer em uma string e vice-versa, um AlphaID, quase como o do Youtube.

Como até o presente momento eu nunca havia criado uma function do MySQL, li o manual (que não é exatamente amigável) e cheguei, pelo menos quanto a function de codificação, nisso:

DROP FUNCTION IF EXISTS ENCODE_ALPHAID;

DELIMITER $$

CREATE FUNCTION ENCODE_ALPHAID( input integer ) RETURNS CHAR( 6 ) DETERMINISTIC

BEGIN

    DECLARE output CHAR( 6 );

    DECLARE letters CHAR( 62 );
    DECLARE base TINYINT( 2 );

    DECLARE iterator TINYINT( 2 );
    DECLARE bcp CHAR( 9 );
    DECLARE start TINYINT( 2 );

    SET output   = '';

    SET letters  = 'abcdefghijklmnopqrstuvwxyz0123456789ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZ';

    SET base     = CHAR_LENGTH( letters );
    SET input    = input + POW( base, 4 );

    SET iterator = FLOOR( LOG( base, input ) );

    ENCODING: LOOP

        SET bcp      = POW( base, iterator );
        SET start    = FLOOR( input / bcp ) % base + 1;

        SET output   = CONCAT( output, SUBSTR( letters, start, 1 ) );

        SET input    = input - ( start * bcp );

        SET iterator = iterator-1;

        IF iterator < 0 THEN LEAVE ENCODING; END IF;

    END LOOP ENCODING;

    RETURN output;

END $$

DELIMITER ;

A rotina foi criada com sucesso mas tem alguns problemas:

  1. A rotina original, em PHP, codifica corretamente até o valor máximo possível, descrito pela constante PHP_INT_MAX (2147483647), porém a adptação para o MySQL não. Em algum momento, que não pude depurar a fundo, a codificação aparentemente pára, e as queries não retornam dados.
  2. Até onde a codificação funciona, ela sempre atua "um pra frente".Por exemplo, codficar o inteiro 2, ao invés de retornar o esperado baaac está retornando baaad

Já quanto à função de decodificação:

DROP FUNCTION IF EXISTS DECODE_ALPHAID;

DELIMITER $$

CREATE FUNCTION DECODE_ALPHAID( input integer ) RETURNS INTEGER( 10 ) DETERMINISTIC

BEGIN

    DECLARE output INT( 10 );

    DECLARE letters CHAR( 62 );
    DECLARE base TINYINT( 1 );
    DECLARE length TINYINT( 1 );

    DECLARE iterator TINYINT( 1 );
    DECLARE bcp CHAR( 9 );
    DECLARE dot CHAR( 1 );

    SET output   = 0;

    SET letters  = 'abcdefghijklmnopqrstuvwxyz0123456789ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZ';

    SET base     = CHAR_LENGTH( letters );
    SET length   = CHAR_LENGTH( input ) - 1;

    SET iterator = 0;
    SET dot = '.';

    ENCODING: LOOP

        SET bcp      = POW( base, length - iterator );

        SET output   = output + LOCATE( SUBSTR( input, iterator, 1 ), letters ) * bcp;

        SET iterator = iterator+1;

        IF iterator <= length THEN LEAVE ENCODING; END IF;

    END LOOP ENCODING;

    SET output = ( output - POW( base, 4 ) ) + 0.0;

    SET output = SUBSTR( output, 0, LOCATE( dot, output ) );

    RETURN output;

END $$

DELIMITER ;

Sequer decodifica e, acredito eu, seja pela forma a qual o autor original das funções em PHP operou os resultados, formatando o cálculo matemático para float, operando como string e convertendo de volta pra integer que me faltou conhecimento em adaptar corretamente.

  • Mesmo que a necessidade real do projeto seja ter uma representação textual única do ID do registro, fazendo diretamente pelo MySQL posso me valer de tipos maiores, como o BIGINT, e ter 9,223,372,036,854,775,807 combinações, uma para cada registro. – Bruno Augusto 14/07/16 às 17:25
  • Faltou os caracteres: ~!@$*()-_+=|,., não seria isso o problema? – Ivan Ferrer 14/07/16 às 20:15
  • Não seria melhor usar o próprio método do MySQL para isso? Ou esse. – Ivan Ferrer 14/07/16 às 20:19
  • Não sabia que haviam funções nativas para isso. Eu poderia então, nesse caso, fazer ENCRYPT( `c`.`cid`, 'abcdefghijklmnopqrstuvwxyz0123456789ABCDEFGHIJKLMNOPQRSTUVWXYZ' ), porque está retornando NULL. E usando AES_ENCRYPT, já que a outra está depreciada eu não consigo ver o que retorna pois aparece Binary na GUI que eu uso – Bruno Augusto 14/07/16 às 20:54
  • @BrunoAugusto base64 nao serve pro que vc quer (tem do Mysql 5.6 em diante)? Ou é pra compatibilizar com algo já existente? – Bacco 14/07/16 às 22:27
1

Para gravar você pode fazer o seguinte:

INSERT INTO tabela (id, content)
VALUES (1, AES_ENCRYPT('seu conteúdo aqui', 'senha123_hash'));

E depois recuperar assim:

SELECT CAST(AES_DECRYPT(content, 'senha123_hash') as CHAR) AS content_decrypted,
       content as content_encrypt
FROM tabela WHERE id=1;

Neste caso, de precisar gerar uma senha alpha_id você grava os dois, o conteúdo encriptado e a senha encriptada neste formato, e depois na consulta você utiliza a o hash alpha_id para buscar o conteúdo, exemplo:

INSERT INTO tabela (id_tst, content, alpha_id)
VALUES (6, AES_ENCRYPT('seu conteúdo aqui', SHA2(MD5('senha123_hash'),512)),SHA2(MD5('senha123_hash'),512));

SELECT CAST(AES_DECRYPT(content, SHA2(MD5('senha123_hash'),512)  ) as CHAR) AS content_decrypted,
       content as content_encrypt,
       alpha_id
FROM tabela WHERE alpha_id='ea921eccc6b836f894710943da3b5a9ff546cb775e4d7c9e00a892d313165967e8a7eb2ebe105c8f1a0fcc74e47a77a2e901c8b450baa8de5f4a5a13b83c4415';

Ou com 256:

 INSERT INTO tabela (id_tst, content, alpha_id)
 VALUES (6, AES_ENCRYPT('seu conteúdo aqui', SHA2(MD5('senha123_hash'),256)),SHA2(MD5('senha123_hash'),256));

 SELECT CAST(AES_DECRYPT(content, SHA2(MD5('senha123_hash'),256)  ) as CHAR) AS content_decrypted,
        content as content_encrypt,
        alpha_id
 FROM tabela WHERE alpha_id='069b8392f647410845de6b9d796b6c2e0a628194682bb2c3e5ec8b978e5787c9';

Se você não faz questão de encriptar o seu conteúdo no banco, também dá para gerar um alpha_id, apenas convertendo a saída para o hash:

SELECT content, CONCAT(CAST(content as CHAR), SHA2(id, 256)) AS alpha_id
FROM tabela WHERE id=1
  • Mas nesse caso eu estaria decodificando antes de exibir e a intenção solucionável pela "técnica" do AlphaID é justamente mostrar codiicado numa seqüência de apenas letras e números – Bruno Augusto 15/07/16 às 12:24
  • Você pode codificar por um tipo de hash que deseja alpha numerico . – Ivan Ferrer 15/07/16 às 12:29
  • Experimentei o SHA1() e todas as combinações do SHA2() mas por serem mais para criptografia o comprimento ficou meio longo e exibir isso seria complicado. Com AlphaID, mesmo um número grande como um integer 32bits fica bem pequeno – Bruno Augusto 15/07/16 às 12:42
  • MD5 é 32, mas você pode quebrar essa string no banco, é só limitar o varchar(tamanho) – Ivan Ferrer 15/07/16 às 13:07
  • Porque no final, o que te interessa é ter uma ID alpha_id certo, que traga um conteúdo secreto. e no lugar da senha, você coloca o conteúdo mesmo, ou a ID do registro + algumas palavras secretas. – Ivan Ferrer 15/07/16 às 13:08

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.