3

Qual é um bom name para definir esses tipos de inputs?

  • chk_questao1
  • rdo_questao2
  • txt_questao5
  • slc_questao3

Qual padrão de nomenclatura é a melhor? Existe alguma como boa prática?

  • 2
    No servidor, tem necessidade de saber o tipo de elemento? Na minha opinião esses "chk" só atrapalham, vc terá que escrever linha por linha ao invés de ter um loop que vai de 1 até n, concatenando "questao+n". Eu utilizo somente o nome do parâmetro mesmo, questao está ótimo. Se for um array, basta usar questoes[]. Enfim, não tem resposta certa, qualquer coisa que ler aqui será baseado em opiniões. – Renan 5/07/16 às 19:59
  • Se por exemplo, no teu banco de dados, a coluna é str_questao_1, no teu html o campo é slc_questao_1, no seu controller a variável é pst_slc_questao_1, não vira uma bagunça ? Deixa tudo um nome só, deixe que o nome de campo (select, textarea, input) siga o mesmo nome da coluna no banco de dados. A resposta do camarada acima é boa, para uma coleção, usa array, mas não se prenda em prefixo. – William Novak 7/07/16 às 2:45
3

A tendência atual é não usar tais prefixos. As razões são várias

  • Usar prefixos em nomes de campos, variáveis e objetos em geral vem de uma técnica ultrapassada para facilitar o entendimento do código, quando era difícil rastrear de onde vinham esses valores.
  • Prefixos e sufixos desse tipo não agregam nada de útil aos nomes, pelo contrário, eles poluem o código. Além de ser mais um padrão para você decorar, eles fazem você digitar e ler esses caracteres a mais todas as vezes.
  • A tendência atual é fazer o front end independente do back end. Se você atrelar os nomes dos campos ao tipo do elemento em um <form>, isso significa que uma mudança na tela vai obrigar uma mudança no serviço.
  • Mesmo no front-end, a tendência é separar as regras de negócio e de controle da página do código HTML em si. Bibliotecas como Angular, React e muitas outras fornecem mecanismos para trabalhar com campos de forma independente. Mesmo com jQuery você consegue, em geral, trabalhar com formulários sem precisar fazer ifs para verificar o tipo de cada campo.

Com tudo isto, não quero dize que você não deve nunca adotar algum tipo de padrão com sufixo e prefixo, mas que você deve considerar o impacto disso.

Talvez no seu projeto em específico, dado o conjunto de ferramentas e do stack de tecnologias que você usa, isso faça sentido. No geral, dentro do contexto das tecnologias que eu tenho conhecimento e das ferramentas que eu uso, não creio que faz.

0

Eu costumo utilizar os três primeiros caracteres para definir o tipo do campo e depois o resto para o campo em si, por exemplo: sel_uf, chk_ativo, edt_nome, edt_endereco... e Assim por diante.

Legal seu interesse em seguir padrões. Isso é muito bom para facilitar a manutenção do código.

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.