26

Eu gostaria de saber se existe diferença entre Thread, Processo e Programa?

Essas três palavras são muito utilizadas na área de Tecnologia da Informação, portanto, seria interessante saber a diferença entre cada uma delas caso existir, e também o conceito de cada uma.

O que eu entendo é que qualquer instrução ou sequencias de instruções, pode ser chamado de programa, veja este código:

#include <stdio.h>

int main(void)
{
        char str[13] = "Stackoverflow";
        int i;

        for (i = 0; i < 13; i++)
                printf("%c", str[i]);

        return 0;
}

Saída:

Stackoverflow

Logo poderia ser considerado um programa, cuja a função é exibir a palavra Stackoverflow no console.

Agora um código um pouco mais complexo de um programa que executa varias threads, veja:

#ifdef __unix__
# include <unistd.h>
#elif defined _WIN32
# include <windows.h>
#define sleep(x) Sleep(1000 * x)
#endif

#include <stdio.h>
#include <stdlib.h>
#include <pthread.h>

struct valor
{
        int tempo;
        int id;
};

void *espera(void *tmp)
{
        struct valor *v = (struct valor *) tmp;
        sleep(v->tempo);
        printf("Ola, eu sou a thread %d esperei %d segundos antes de executar.\n", v->id, v->tempo);
}

int main(void)
{
        pthread_t linhas[10];
        int execute, i;
        struct valor *v;
        srand(time(NULL));

        for (i = 0; i < 3; i++)
        {
                v = (struct valor *) malloc(sizeof(struct valor *));
                v->tempo = (rand() % 10) + 2;
                v->id = i;

                printf("Criei a thread <%d> com tempo <%d>\n", i, v->tempo);

                execute = pthread_create(&linhas[i], NULL, espera, (void *)v);
        }

        pthread_exit(NULL);

        return 0;
}

Saída:

Criei a thread <0> com tempo <8>
Criei a thread <1> com tempo <7>
Criei a thread <2> com tempo <8>
Ola, eu sou a thread 1 esperei 7 segundos antes de executar.
Ola, eu sou a thread 2 esperei 8 segundos antes de executar.
Ola, eu sou a thread 0 esperei 8 segundos antes de executar.

O exemplo acima é um programa, porém tem como tarefe criar varias threads, logo essas threads podem ser consideradas processos ou o programa todo pode ser considerado apenas um processo? Não consigo entender o sentido de cada palavra, e estou confuso ao que cada uma representa.

4 Respostas 4

20

Programa

O programa é o que já está definido na pergunta. Em geral um programa gera um executável que pode ser chamado diretamente ou através de outros executáveis (bom, na verdade a chamada inicial não deixa por um executável do sistema operacional).

Programa é uma sequência de instruções codificadas (escritas) a serem executadas pelo computador. Thread é uma sequência de instruções sendo executadas. Propositalmente não falarei de processo aqui.

Nesse contexto talvez programa esteja sendo usado como sinônimo de executável.

Processo

Todo executável chamado diretamente rodará em um processo. Executáveis chamados dentro de um processo podem rodar explicitamente em outro processo ou no mesmo processo (quando isso for possível), em geral usando uma DLL.

O processo é controlado pelo sistema operacional tanto o tempo de processador que ele tem à disposição quanto à memória disponível (que pode ir sendo solicitada pelo processo). Além, é claro, de permissões de acesso a outros recursos que ficam vinculados ao processo como um todo.

Um processo tem um espaço de endereçamento de memória virtual só para ele. É como se ele rodasse sozinho no computador. Claro que isso não ocorre na realidade, mas ele se comporta como se fosse. Mas isso é outro assunto. O mesmo executável pode rodar em vários processos.

Thread

A/O thread se assemelha ao processo porque ele tem uma nova linha de execução (e tudo que está relacionado a isto) e o sistema operacional o trata de forma igual ao processo para alocação de tempo de processamento. Mas em termos de memória é responsabilidade da aplicação controlar o acesso compartilhado por todo o processo.

É comum que as aplicações possuam uma stack para cada thread, mas apenas um (já vi casos de ter mais que um) espaço de heap para todo processo. Por isso costuma-se dizer que é complicado programar com threads, compartilhar estado é difícil. Threads estão vinculadas ao processo, até porque o processo principal em si não deixa de ser uma thread.

Algumas aplicações possuem um controle próprio de threads internas não controladas pelo processador/sistema operacional. Isso tem algumas vantagens (principalmente evitar troca de contexto do sistema operacional que é algo relativamente caro) e desvantagens (principalmente não podem usar outros processadores). Costumam ser chamadas de soft, light ou green threads.

Diferença

Então dependendo de como se analisa, thread pode ser considerado equivalente a um processo ou não. Do ponto de vista de agendamento do processador podemos considerar que só existem threads. Simplificadamente, do ponto de vista de gerenciamento de memória e acesso aos recursos externos só existe o processo.

Feature Processo Thread
Execução Linha própria Linha própria
Memória global (heap e data segmnent) Própria Compartilhada
Memória local (stack, registers, PCounter) Sim Geralmente
Consumo de memória Normal Ligeiramente menor
Manipuladores de recursos externos Proprietário Empresta do processo
Tempo de criação Relativamente longo Relativamente curto
Tempo de troca de contexto Relativamente longo Relativamente curto
Instâncias Múltiplas Múltiplas
Associação Um programa (executável) Um processo
Paralelismo Limitado Sim
Comunicação entre seus pares Só com um mecanismo de IPC Sim, dentro do processo
Eficiência de comunicação Não Sim
Comunicação direta com o OS Sim Não
Controle de exceções Próprio Próprio
Confiabilidade e segurança Sim Depende do código

Coloquei no GitHub para referência futura.

5
  • Muito legal essa tabela. 31/05/2016 às 14:04
  • Estou estudando sobre Threads, e, pude perceber como é bem complicado trabalhar com elas, como não existe uma sequência de execução das operações, essa responsabilidade fica por conta do programador gerenciar. Mas pelo que percebi através da explicação, se o programador não tiver domínio do assunto o programa está sujeito a apresentar muitos bugs. 20/10/2016 às 13:53
  • @DiegoFarias em geral não é necessário ter uma ordem, mas nos casos que precisa não costuma ser o caso de usar threads. pt.stackoverflow.com/q/1946/101. Os piores bugs são os causados por compartilhamento de estado entre threads, principalmente pt.stackoverflow.com/q/159342/101
    – Maniero
    20/10/2016 às 13:56
  • @bigown, pelo que entendi. É mais vantajoso criar multi-threads quando existem processos distintos para serem executados e não sequenciais, como no exemplo de fibonacci citado, porém, o tempo que o processador leva para fazer as trocas de contexto ou revezamento entre as threads, tem que ser mínimo, se comparado ao processamento geral que será executado no processo. A ideia é essa mesmo ? 20/10/2016 às 14:50
  • @DiegoFarias basicamente isso. Fibonacci realmente não dá. Note que o grosso do que pode ser multithread pode ser multiprocesso :) Poder não quer dizer que deva.
    – Maniero
    20/10/2016 às 14:54
4

Um programa consiste num conjunto de instruções que você elabora para atingir determinado objectivo. Ou seja o programa consiste essencialmente no código fonte.

Uma thread é um componente responsável por executar as instruções que você elaborou no seu programa. O processador executa sempre instruções no contexto duma thread.

Depois de elaborar um programa você normalmente obtém um executável, que resulta do processo de compilação do seu programa. Um processo, é um componente do sistema operativo que corre esse mesmo executável.

Um processo pode ser composto por várias threads. A criação das threads faz parte da especificação do programa, você teve que chamar pthread_create para criar essas mesmas threads.

2

Programa: é uma entidade estática e permanente, composto apenas por uma sequência de instruções. Exemplo: O MS-DOS, um programa em execução não é processo, pois o MS-DOS é um S.O monousuário e todos os recursos estão disponíveis apenas para um programa.

Processo: é uma entidade dinâmica, que altera seu estado à medida que avança sua execução. Assim, o processo pode ser encarado como uma abstração que representa um programa em execução. Um processo contém um único fluxo de controle e é composto por programa, dados e contexto. Resumindo: Um processo é um programa em execução, somado ao seu contexto.

Threads: É um processo com múltiplos fluxos de controle.

0

Contribuindo:

Process Control Block: um PCB é uma estrutura criada pelo sistema operacional para gerenciar os processos que estão em execução. O PCB é constituído de 3 grandes áreas: contexto de hardware, uma cópia dos registradores do processador do processo, contexto de software, informações sobre o processo (owner, id, data criação, etc.) e espaço de endereçamento, a área de memória RAM a que o processo tem acesso.

Programa: um arquivo executável, geralmente gravado em disco, e que deve ser carregado em memória RAM para que possa ser executado pelo sistema operacional. Basicamente um programa fonte compilado para o sistema operacional específico.

Processo: um programa em execução. Depois de carregado, um programa torna-se um processo gerenciado pelo sistema operacional. Um programa pode criar novos processos, através de um comando (na verdade uma system call) fork. Cada processo tem o seu próprio PCB em separado.

Thread: um processo pode criar várias threads, que parecem processos, mas com 2 grandes diferenças: são gerenciados pelo processo que as criou (e não pelo sistema operacional), e compartilham o mesmo espaço de endereçamento, podendo existir, assim, várias threads que acessam as mesmas variáveis.

Quando usar: Crie um novo processo quando você quiser que ele tenha vida independente, executando alguma função em paralelo mas de forma autônoma. Crie uma thread quando você quiser compartilhar alguma variável de sua aplicação, ou então gerenciar manualmente a sua execução.

Exemplos: se sua aplicação envia um email cada vez que um registro é gravado, você pode enviar o email em um processo em separado, pois teoricamente são eventos independentes. Se você está fazendo uma rotina de ordenação como o quicksort, ou mergesort, você pode criar threads que vão ordenar partes diferentes do mesmo vetor, e portanto têm que compartilhar o acesso ao vetor que está sendo ordenado.

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.