8

Supondo que tenho uma chamada na minha camada controller para um método na camada de negócio que leva a outro método na camada de acesso aos dados.

Devo usar o try/catch em todas elas, só em alguma ou depende?

Abaixo, como exemplo, estou usando em todas as partes.

Controller:

public ActionResult Index(){
    try{
       var lista = ObterDadosIndicadores();
    }
    catch{
        throw;
    }
}

Negócio:

    public List<IndicadorProdutoDTO> ObterDadosIndicadores()
    {
        try
        {
            return _dal.ObterDadosIndicadores();
        }
        catch (Exception ex)
        {
            throw new Exception(ex.Message);
        }
    }

DAL:

public List<IndicadorProdutoDTO> ObterDadosIndicadores()
    {
        try
        {
            return lstIndicador;
        }
        catch (Exception ex)
        {
            throw new Exception(ex.Message);
        }
        finally
        {
            FecharConexao();
        }
    }
  • 4
    Só deve usar try/catch se tiver condições para tratar/resolver a excepção. – ramaral 16/05/16 às 15:50
  • 2
    É exatamente isto que deve ocorrer se há um erro interno. Tentar continuar uma aplicação neste estado é a última coisa que se deve fazer. Agora se quiser antes de quebrar fazer alguma coisa simples, por exemplo, tentar logar o erro, já é alguma coisa útil a se fazer. – Maniero 16/05/16 às 15:57
  • 1
    @lsalamon Subscrevo o que o bigown disse. – ramaral 16/05/16 às 16:06
  • 1
    Discordo totalmente, um programa que não tem gerenciamento correto de falhas não serve para ambiente de produção corporativo. Imagine 150 servidores executando seu código e você não faz tratamento correto de erros, deixando que seu programa caia em estado de falha. Esta não é a política correta para um desenvolvedor. – lsalamon 16/05/16 às 20:33
  • 2
    Acho que o @ramaral concorda comigo e com você que o gerenciamento correto de falhas é fundamental. Talvez nossa discordância é com sua posição de fazer de conta de que nada ocorreu e tentar continuar em um estado inadequado. Este não é o gerenciamento correto. Boa sorte em ter 150 servidores rodando um código errado capturando exceções sem ter condições de fazer alguma coisa útil com ela. Pode levar anos pra perceber que tem algo errado. Mas pode dar sorte e o .Net não deixar ir pra frente por conta dele. – Maniero 19/05/16 às 11:25
9

Depende da necessidade. Essa é uma das coisas que não dá para responder sem ver o código real, a situação específica. Não existe fórmula mágica, "boa prática", ou coisa do tipo. Tem que ter profundo entendimento do funcionamento das exceções para usá-la corretamente em todas situações, de um jeito diferente de acordo com cada necessidade. Precisa ter um motivo pra por um try-catch. Se tiver, pode colocar em todos os lugares. Se for pra capturar e jogar pra frente, não é motivo, a não ser que realmente tenha algo útil que deve ser feito parcialmente naquele ponto.

Nos três exemplos mostrados, não deve usar a captura da exceção já que não está fazendo nada com ela. Relançá-la, ainda mais dos dois últimos exemplos é algo desnecessário, e até ruim. Se não vai fazer nada útil com a exceção, não a capture.

Mas se tiver que capturar e fazer algo útil, que seja a exceção mais específica possível. A captura de Exception só deve ocorrer quando tudo falhou. Só dá para fazer algo útil quando se sabe exatamente qual foi a exceção. Exception é genérica demais para isto. A captura desta exceção tão genérica normalmente só serve para logar o problema e possivelmente abandonar a execução da aplicação de forma mais agradável ao usuário.

Mas note que logar o erro é algo que: ou tem que ser uma forma muito específica e aí cabe a captura, ou deve deixar para um lugar centralizado logar de forma genérica. Não se deve ficar repetindo código por toda a aplicação.

O caso do DAL é bem esquisito. Ele tenta fechar um conexão que ele não abriu? Isso não é correto. Quem abriu deve fechar a conexão. Aí se fizer isso, basta usar o using para garantir o fechamento.

Deve ter visto um monte de código assim. Tudo errado! Funciona? Em muitos casos funciona. Mas funcionar e estar certo são coisas bem diferentes. O que é errado, uma hora deixa de funcionar.

Só para dar um parâmetro, eu tenho aplicações com apenas um try-catch. Mesmo aplicações grandes e complexas não costumam passar muito de "meia dúzia" destas estruturas de controle, em todo o código (claro que uso alguns truques). A maioria dos programadores abusam de um recurso que desconhecem sua real finalidade. Em geral a pessoa acha que colocando uma captura faz o código dar menos erros, quando na verdade apenas escondem erros.

Tem linguagens que exigem um pouco mais o uso de exceções porque usam esse mecanismo como controle de fluxo, o que é um abuso do mecanismo. Por sorte o C# não faz assim e não incentivam esse uso. Infelizmente materiais de péssima qualidade ensinam abusar.

Tenho uma resposta que fala bastante sobre exceções.

Outras perguntas sobre o assunto:

Algumas são de linguagens diferentes, mas a informação vale.

  • Bigown, obrigado pelas explicações e desculpe pelo código que foi totalmente fake, pois achei que não seria necessário. O que eu quis mostrar com aqueles três métodos é que um chama o outro e que o último método já possui try/catch, logo eu não sabia se era necessário os métodos anteriores terem. – Joao Paulo 16/05/16 às 16:58
  • De qualquer forma já foi esclarecedor o suficiente! – Joao Paulo 16/05/16 às 16:59

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.