0

Lendo um tutorial sobre entity framework, me deparei com um exemplo um tanto estranho para mim. Esse exemplo é sobre a DataAnnotation [ForeignKey]

public class Student
{
    public Student()
    { 

    }
    public int StudentID { get; set; }
    public string StudentName { get; set; }

    //Foreign key for Standard
    public int StandardId { get; set; }

    public Standard Standard { get; set; }
}

public class Standard
{
    public Standard()
    { 

    }
    public int StandardId { get; set; }
    public string StandardName { get; set; }

    public ICollection<Student> Students { get; set; }

    }

Em um cenário sem ORM, ou seja, lidando diretamente com ADO.net, eu não vejo sentido que Student tenha um atributo referente ao Id do Standard, pois Student já possui uma referência para Standard, onde essa referência já possui o Id. Por que o EF trabalha dessa forma? Ao meu ver parece redundante.

  • Não está claro o que [ForeignKey] tem a ver com a pergunta. Se acha que tem redundância, precisa analisar o contexto. Pode ser que seja redundante mesmo, mas foi uma decisão de quem fez este código. Mas pode ser que não tenha. Está sem contexto. – Maniero 5/05/16 às 15:52
2

Matheus, acredito que você não está levando em conta uma coisa: LazyLoad.

Defido ao LazyLoad, ao se buscar um Student, apenas os dados do Student são recuperados do Banco, apenas se você vier à acessar a propriedade de Navegação Standard que o EF vai buscar os seus dados.

Para fazer este carregamento preguiçoso, é necessario que a propriedade de navegação tenha o modificador virtual, com isto o EF consegue modificar o comportamento do mesmo.

Observe o mapeamento das suas entidades usando Code First, talvez você consiga notar isto melhor.

using System.Collections.Generic;
using System.ComponentModel.DataAnnotations;
using System.ComponentModel.DataAnnotations.Schema;
using System.Data.Entity;

public partial class Contexto : DbContext
{
    public Contexto() : base("name=Contexto")
    {
    }

    public virtual DbSet<Standard> Standards { get; set; }
    public virtual DbSet<Student> Students { get; set; }

    protected override void OnModelCreating(DbModelBuilder modelBuilder)
    {
        modelBuilder.Entity<Standard>().Property(e => e.Name).IsUnicode(false);
        modelBuilder.Entity<Standard>().HasMany(e => e.Students).WithRequired(e => e.Standard).WillCascadeOnDelete(false);
        modelBuilder.Entity<Student>().Property(e => e.Name).IsUnicode(false);
    }
}

[Table("Student")]
public partial class Student
{
    public int StudentID { get; set; }

    [Required]
    [StringLength(50)]
    public string Name { get; set; }

    public int StandardID { get; set; }

    public virtual Standard Standard { get; set; }
}

[Table("Standard")]
public partial class Standard
{
    public Standard()
    {
        Students = new HashSet<Student>();
    }

    public int StandardID { get; set; }

    [Required]
    [StringLength(50)]
    public string Name { get; set; }

    public virtual ICollection<Student> Students { get; set; }
}

Se você criar uma nova entidade Student, e setar um valor para StandardID que já exista no banco de dados, e apos isto tentar acessar a propriedade Standard o EF vai buscar os dados da Entidade Standard no Banco de Dados.

Porém se você não acessar a propriedade de navegação e apenas setar o Valor da propriedade StandardID, a consulta adicional não será realizada, porém caso tente salvar a entidade Student, o EF não terá problemas em faze-lo.

Note que nem sempre é necessario acessar uma propriedade de navegação, as vezes conhecer apenas o ID da mesma já é o suficiente.

  • O NHibernate não usa essa "chave estrangeira" na classe e faz lazyload muito bem. Acho que a equipe do EF deu mole mesmo. O Nhibernate faz lazy load carregando uma classe proxy com apenas o identificador preenchido e quando precisa de mais informações vai ao BD. e em vez de setar StandardID com o id nós setamos a própria variável Standard com session.load(id) que ele carrega a classe proxy sem ir ao BD, confiando que o ID existe. – Marco Antonio Quintal 5/05/16 às 21:23
  • Grato pelo esclarecimento. Vendo outros exemplos me deparei com outra situação estranha. Existe duas classes Student e Address. Pela lógica UML, um Student tem um Address, ou seja, na classe Student deve haver uma propriedade de navegação para Address. Mas no exemplo que estou vendo, Student tem um objeto de navegação para Address e Address tb tem um atributo de navegação para Student. Isso não faz muito sentido para mim pois é um Student é que tem um Address e não o contrário. – Matheus Saraiva 5/05/16 às 23:47
  • @MatheusSaraiva, no EF você também pode context.Standards.Find(id)deve ser algo semelhante ao seu exemplo no NHibernate, e da mesma forma que o NHibernate, o EF precisa que a propriedade de navegação seja virtual para pode criar o proxy, assim fazendo o LazyLoad. E não existe esta de carregar a classe proxy sem ir ao banco, você pode até ligar o profile para ver as consultas sendo executadas – Tobias Mesquita 6/05/16 às 0:10
  • Quanto ao fator do Estudante possuir um Endereço e não o inverso, você pode entender isto como uma regra de negocio, e não como uma limitação tecnológica, afinal podemos ter relacionamentos 1:1 bidirecional, em todo caso não vejo problema em o Studant ser acessivel apartir do Adress, mas se preferir, você pode não fazer este mapeamento. – Tobias Mesquita 6/05/16 às 0:16
  • Quanto a comparar o NHibernate com o Entity Framework, o EF tem suporte a operações assincronas, tem um suporte melhor ao linq, eu que estou acostumado com EF e agora trabalho com NHibernate, sempre fico puto quando aparece uma Exception OperationNotSupported. – Tobias Mesquita 6/05/16 às 0:20
2

Como dito nos comentários pelo @Bigown, fica difícil julgar se está correto ou não o mapeamento sem o contexto, o que pode ser feito é analisar e explicar o que o código está fazendo.

Não está errado este mapeamento:

public class Student
{
    public Student()
    { 

    }
    public int StudentID { get; set; }
    public string StudentName { get; set; }

    //Não necessida da anotação [ForeignKey]
    public int StandardId { get; set; }

    public Standard Standard { get; set; }
}

public class Standard
{
    public Standard()
    { 

    }
    public int StandardId { get; set; }
    public string StandardName { get; set; }

    public ICollection<Student> Students { get; set; }

    }

No código acima, temos um mapeamento de 1:N, onde um Standard possui vários Students , onde a propriedade StandardId é a foreing key do modelo Student. Está correto, se o objetivo for esse. Utilizando o Entity Framework, não é necessário utilizar a anotação [ForeignKey], pois o nome da foreing key é o nome da propriedade de navegação com o prefixo id, ou seja, StandardId (Standard + Id).

Em contra partida, o modelo Standard possui uma coleção de Students, onde o mesmo não necessita de ter uma foreing key para Students, caracterizando a ligação de 1:N.

-1

É muito simples. O Entity Framework irá, de qualquer forma, criar esse StandardId na base de dados. O que acontece é, você quer ou não ter o controle da criação desta coluna?

Outra, você poderá realizar consultas na tabela de Student sem precisar ir até a tabela de Standard. Exemplo: Vc precisa selecionar todos os Student do Standard 10.

_context.Students
    .Where(student => student.StandardId == 10)
    .ToList(); // Acessa apenas a entidade Student
// SELECT * FROM Student WHERE StandardId = 10

Se você deixa implícito o StandardId, teria que fazer:

_contexto.Students
    .Where(student => student.Standard.Id == 10)
    .ToList(); // Acessa entidades Student e Standard
// SELECT Student.* FROM Student
//   JOIN Standard ON Standard.Id = Student.StandardId
//  WHERE Standard.Id = 10
  • _context.Students.Where(student => student.StandardId == 10) e _contexto.Students.Where(student => student.Standard.Id == 10) não vão executar nenhuma consulta, vão gerar uma Expression Tree, porém ao executar o ToList, esta Expression Tree é convertida para um comando SQL, e no caso acima, os dois comandos gerão a mesma consulta, portanto são equivalentes, então não estou vendo o seu ponto. – Tobias Mesquita 5/05/16 às 18:07
  • @TobyMosque, no exemplo eu tinha já colocado o .ToList(). Editei a resposta afim de mostrar as queries que o EntityFramework irá criar. – Thiago Lunardi 5/05/16 às 18:35
  • @ThiafoLunardi, esperimentou fazer um var query1 = (_context.Students.Where(student => student.StandardId == 10)).ToString() e var query 2= (_context.Students.Where(student => student.Standard.Id == 10)).ToString()? se o fizer verá que query1 é igual a query2, algo semelhante à SELECT [Extent1].[StudentID] AS [StudentID], [Extent1].[Name] AS [Name], [Extent1].[StandardID] AS [StandardID] FROM [dbo].[Student] AS [Extent1] WHERE 10 = [Extent1].[StandardID] – Tobias Mesquita 5/05/16 às 18:43
  • @TobyMosque, a query2 ficará SELECT [Extent1].[StudentID] AS [StudentID], [Extent1].[Name] AS [Name], [Extent1].[StandardID] AS [StandardID] FROM [dbo].[Student] AS [Extent1], [dbo].[Standard] AS [Extent2] WHERE [Extend2].[ID] = [Extent1].[StandardID] AND 10 = [Extent1].[StandardID] – Thiago Lunardi 5/05/16 às 18:46
  • não sei qual versão do EF esta usando, mas eu estou utilizando o EF 6.1.3 e no meu caso o query1 é igual a query2, em ambos os casos não foi realizado o JOIN com Standard – Tobias Mesquita 5/05/16 às 18:57

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.