2

Estou começando a estudar o LINQ para tentar implementar em um projeto que estou trabalhando. Pelos exemplos tando em artigos como em vídeos, o LINQ tem uma interface no visual Studio que gera as classes de entidade a partir das tabelas no banco. Porém, no meu projeto de aplicação existem algumas particularidades.

1) Minhas classes de entidade já estão criadas, portanto quero poder usa-las com o LINQ.

2) A modelagem do meu banco funciona da seguinte forma. Tenho uma tabela chamada Clientes que é o que eu chamo de "Tabela filha" de outra tabela chamada Pessoas. Explicando, a tabela Pessoas faz o papel de uma tabela pai, que armazena parte dos dados de outras tabelas como Clientes, Funcionarios, etc. Ou seja, campos que são em comum nessas tabelas como (Nome, Email, Telefone, etc..) ficam todos armazenadas na tabela principal Pessoas. Seguindo o conceito de herança da OOP. Na modelagem de classes que eu fiz, Pessoa é uma classe abstrata, ou seja, ela não pode existir sozinha, é apenas para servir de classe base para as classes concretas Cliente e Funcionario. Assim, quando um Cliente for inserido no banco parte dos dados deve ser gravado na tabela Pessoas e a outra parte na tabela de Clientes Como o LINQ vai lidar com isso? Pois se eu fosse gerar as classes a partir das tabelas, o LINQ criaria uma classe concreta para a tabela Pessoas mas na minha modelagem UML Pessoa é uma classe abstrata.

  • 1
    O Linq não cria o domínio. Quem realiza isso é o Entity Framework. Sua pergunta irá contemplar o Entity Framework? – Cigano Morrison Mendez 14/04/16 às 22:36
  • Acho que essa abordagem não cria a herança. O Entity Framework tem um dispositivo mais sofisticado para lidar com isso. Gostaria de saber como funciona? Ou quer uma resposta usando esta abordagem mesmo? – Cigano Morrison Mendez 15/04/16 às 17:59
  • Sim, sempre é bem vindo outras alternativas – Matheus Saraiva 15/04/16 às 20:33
  • Como a pergunta inicial é baseada em LINQ deixo aqui um artigo que responde parte da pergunta. – Matheus Saraiva 15/04/16 às 23:16
0

Basicamente, o mapeamento de herança em LINQ to SQL pode ser feito conforme este tutorial. É preciso definir uma coluna como discriminator na tabela pai. Esta tabela pai terá todos os campos da entidade pai e também das entidades derivadas, sendo os campos das entidades derivadas todos opcionais de serem preenchidos. O tratamento da validação do preenchimento destes campos é feito pela aplicação.

Herança e composição são clássicos da modelagem de dados, e a Microsoft desenvolveu um outro framework chamado Entity Framework que resolve muito bem estes casos. Exemplifico como fazer nas respostas abaixo:

  • Ainda sobre uma opção via LINQ, encontrei isso. Só que não entendi muito bem. Essas propriedades que o autor da resposta usa no exemplo já estão prontas no LINQ? – Matheus Saraiva 15/04/16 às 22:12
  • Ele usa exatamente como o Entity Framework funciona, usando um contexto de dados (que é uma implementação de uma Unit of Work) e chamando um DbSet que realiza as operações de seleção ou de persistência. Acho que vale muito a pena você ir atrás dos tutoriais de Entity Framework porque sua solução já está se direcionando para o uso dele. – Cigano Morrison Mendez 15/04/16 às 22:17
  • Esses decoradores [Table(Name = "AnyName")], [Column], [Column(IsPrimaryKey = true, IsDbGenerated = true, AutoSync = AutoSync.OnInsert)], etc. Fazem parte do LINQ ou foram criados pelo autor? – Matheus Saraiva 15/04/16 às 22:33
  • Estive lendo o tutorial que você postou sobre sobre como usar herança com LINQ. Porém, na minha modelagem, a classe base é abstrata. Isso será um problema para implementar a solução descrita no tutorial? – Matheus Saraiva 16/04/16 às 0:24
  • Sobre os decoradores, eles fazem parte do framework .NET. Não apenas do LINQ. Sobre a segunda, acredito que não. – Cigano Morrison Mendez 16/04/16 às 4:47

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.