2

Estou criando uma modelagem de cadastro da maneira mais abrangente possível. As entidades são Pessoa, Pessoa Física, Pessoa Jurídica, Fornecedor e Cliente

Abaixo a entidade pessoa. Eu adiciono a pessoa os dados de contato e endereço para facilitar as consultas futuras.

public class Pessoa {
    private String ativo;
        private String apelido;
        private Endereco endereco;
        private String dataAtualizacao;
        private String foneResidencial;
        private String nome;
        private String foneCelular;
        private String foneProfissional;
        private String sexo;
        private String dataNascimento;
        private String dataCadastro;
        private String email;
}

Pessoa Tisica tá tranquila:

public class PessoaFisica {
    private String estadoEmissor;
    private Pessoa pessoa;
    private String RG;
    private String orgaoEmissor;
    private String dataAtualizacao;
    private String paisNascimento;
    private String CPF;
    private Profissao profissao;
    private String localNascimento;
    private String estadoNascimento;
    private EstadoCivil estadoCivil;
}

Pessoa Jurídica também tá tranquilo:

public class PessoaJuridica extends EntidadeAbstrata implements Serializable {
    private String nomeFantasia;
    private Pessoa pessoa;
    private String Razao;
    private String CNPJ;
}

O que está complicando pra mim é entender Cliente e Fornecedor.

Primeiro, quais atributos os diferenciariam dentro da base?

E o que eu acho mais difícil é: como meu Cliente ou Fornecedor poderia ser PessoaFisica ou PessoaJuridica estando dentro da mesma tabela.

/********ATUALIZAÇÃO********/

Quando fiz a pergunta confesso que não tinha total certeza do que estava perguntado. Vou explicar melhor minha ideia de 'girico'.

Estou tentando criar um modelo de cadastro abrangente não no sentido de ter uma modelagem pronta e que seja totalmente aplicada a qualquer negocio, mas no sentido de ter sempre um ponto de partida para qualquer sistema que eu venha a desenvolver. Não nego que seja um desejo um tanto louco, masssss

Quando fiz a questão relacionada a Cliente e Fornecedor o fiz porque quanto se trata de Pessoa Fisica ou Juridica a coisa é mais clara, pelo menos pra mim.

Pessoa Fisica CPF, RG, Estado Civil etc Pessoa Juridica Razão, CNPJ, Inscrição Estadual etc

Quando perguntei sobre cliente/fornecedor achei que alguém com mais experiência identificaria atributos pra essas entidades mais facilmente.

Enfim, estou aberto a ideias e criticas. Bora ver no que dá

Valeu!

  • Não sei se entendi sua dúvida. Me esclareça melhor pra eu poder postar uma resposta. Qual a dificuldade de criar tabelas Cliente e Fornecedor? Nelas terão um campo que vincula à uma pessoa física ou jurídica exclusivamente, afinal uma pessoa só pode ser uma delas. Só achei meio estranho a inconsistência entre as duas pessoas, muito menos entendi o que é essa EntidadeAbstrata. – Maniero 14/04/16 às 21:39
  • @bigown Seria o caso de um foreign key mais uma coluna de descriminação? Ou existe alguma outra solução. – Krismorte 14/04/16 às 21:42
  • Pode ser, mas não sei o que quer dizer com descriminação. – Maniero 14/04/16 às 21:44
  • Uma coluna de Tipo exemplo: 'PF' ou 'PJ' – Krismorte 14/04/16 às 21:45
  • As informações que você passa estão muito truncadas, então qualquer afirmação que eu fizer pode estar certa ou errada. Deve ter uma coluna assim, mas depende. Tem outras coisas que precisam ser melhor definidas. Isto deve ir para um banco de dados o que exigirá uma chave primária. Indo ou não, seria interessante ter uma informação para dar unicidade ao dado. Como isto está sendo feito? Eu poderia ir mais longe e perguntar como estas classes serão usadas no sistema, pode ser que este modelo todo esteja errado, mas nem quero entrar nisso agora. – Maniero 14/04/16 às 21:50
4

Acredito que a forma de deixar o mais genérico possível é manter apenas Pessoa Física e Pessoa Jurídica, de forma que ambas são Pessoas, mas a melhor maneira de fazer isto é começar desenhando como você pode observar no Diagrama de Classes abaixo (Utilizando as suas classes como exemplo):

inserir a descrição da imagem aqui

Nesta imagem é possível perceber que uma Pessoa pode ser qualquer tipo de pessoa, sendo que cada tipo de pessoa pode ser definido no enum TipoPessoa, desta forma se no futuro surgir a necessidade de adicionar um novo tipo, basta adicionar o novo tipo neste enum.


COMO FICA NO CÓDIGO

Isto pode ser escrito em java com 3 classes e 1 enumerador.

  1. TipoPessoa

    public enum TipoPessoa {
            CLIENTE,
            FUNCIONARIO,
            FORNECEDOR, 
            CONTATO
    }
    
  2. Pessoa

    public class Pessoa {
        private TipoPessoa tipoPessoa;
        private String nome;
        private String apelido;
        private Endereco endereco;
        private Date dataAtualizacao;
        private Date dataCadastro;
        private String email;
        private String fone;
    }
    
  3. PessoaFisica

    public class PessoaFisica extends Pessoa{
        private String rg;
        private String orgaoEmissor;
        private String cpf;
        //demais atributos
    }
    
  4. PessoaJuridica

    public class PessoaJuridica  extends Pessoa{
        private String nomeFantasia;
        private String razaoSocial; //atualmente foi alterado para nomeEmpresarial
        private String cnpj;
        private PessoaFisica contato;
    }
    

COMO UTILIZAR

    public class Main {
        public static void main(String args[]){

            PessoaJuridica cliente = new PessoaJuridica();
            cliente.setTipoPessoa(TipoPessoa.CLIENTE);
            cliente.setNome("Exemplo Cliente");
            cliente.setCnpj("123123123123");

            PessoaJuridica fornecedor = new PessoaJuridica();
            fornecedor.setTipoPessoa(TipoPessoa.FORNECEDOR);
            fornecedor.setNome("Exemplo Fornecedor");
            fornecedor.setCnpj("123123123333312");

            PessoaFisica clientePessoaFisica = new PessoaFisica();
            clientePessoaFisica.setTipoPessoa(TipoPessoa.CLIENTE);
            clientePessoaFisica.setNome("Exemplo Cliente Pessoa Fisica");
            clientePessoaFisica.setCpf("12312312333");

            PessoaFisica funcionario = new PessoaFisica();
            funcionario.setTipoPessoa(TipoPessoa.FUNCIONARIO);
            funcionario.setNome("Exemplo Funcionario");

            List<Pessoa> pessoas = new LinkedList<Pessoa>();
            pessoas.add(cliente);
            pessoas.add(funcionario);
            pessoas.add(fornecedor);
            pessoas.add(clientePessoaFisica);

            for(Pessoa p: pessoas){
                System.out.println(p.getNome() + " - " + p.getTipoPessoa());
            }
        }
    }

SAIDA

    Exemplo Cliente - CLIENTE
    Exemplo Funcionario - FUNCIONARIO
    Exemplo Fornecedor - FORNECEDOR
    Exemplo Cliente Pessoa Fisica - CLIENTE
  • Alguns pontos para se analisar: PessoaJuridica tem Nome ou Razão Social? Pessoa Juridica tem Apelido? PessoaJuridica tem Endereço? – Gabriel Katakura 15/04/16 às 16:40
  • @GabrielKatakura Nesta modelagem com certeza possui problemas de concordância, utilizar as informações da própria pergunta e organizei algumas, mas nos pontos citados, PessoaJurídica deve ter Nome Fantasia e Razão Social. Pessoa jurídica pode ter apelido mas isto depende do problema, e Pessoa Jurídica tem Endereço. – Elyel Rubens da Rosa 15/04/16 às 16:48
  • Muito interessante. E simplifica bastante o modelo. – Krismorte 18/04/16 às 11:12
  • 1
    Onde está os dados de cliente, fornecedor, etc? Como eles e relacionam com estes dados? – Maniero 18/04/16 às 11:52
  • @Krismorte simplifica porque não faz o que você pede na pergunta. Não tem os dados específicos de cliente, fornecedor, etc. A entidade sequer pode ser cliente e fornecedor ao mesmo tempo, e se puder, mesmo que não tenha como colocar dados específicos. Este modelo é exatamente o que não se deve fazer. Você acaba tendo que cadastrar mais de uma vez a mesma entidade porque o modelo está errado. Não vou nem falar do fato de usar herança, porque não dá para dizer que está errado, mas tem suas desvantagens. – Maniero 18/04/16 às 11:57
2

Várias formas são possíveis de acordo com a necessidade que eu não sei. Poderia ser algo assim:

public class Cliente {
    private String CNPJ;
    private String CPF;
    private String Comprador; //só exemplos
    private DateTime UltimaVenda;
}

Os primeiros campos devem ser usados exclusivamente, assim é possível verificar qual está em uso analisando se o outro está nulo. Se achar que isto não é ideal, que precisa de algo mais concreto para validar e evitar mudanças acidentais, pode-se criar um campo que informa se a pessoa é física ou jurídica.

Obviamente que isto é uma simplificação da classe, seria interessante ter construtores e métodos que auxiliassem o bom uso dela. A não ser que seja puro DTO ou algo parecido, o que aí tem que seguir o que o banco de dados estabelecer.

Nem vou mostrar o fornecedor, é a mesma coisa. Não importa qual é o tipo de relação.

Faz sentido, mas não garanto que atingirá todos os objetivos necessários. Parece estar tudo certo. Talvez poderia ser melhor.

O vínculo com Pessoa ser por uma referência para o objeto, não me agrada tanto. Faz sentido, mas pode limitar alguns cenários. Em banco de dados ou outra forma de persistência, isto não funciona.

Eu gostei que não usou herança, acho que a composição ou o relacionamento é melhor neste caso. Outras pessoas teriam feito "OOP". Traria algumas vantagens, mas traria desvantagens também. Não existem modelo perfeito, tem que escolher com quais problemas quer lidar.

Algumas pessoas prefeririam vincular os objetos ao contrário. Ou seja, a Pessoa teria uma informação de vínculo com a PessoaFisica ou PessoaJuridica. E cada uma dessas duas teriam campos para vincular com o tipo de relação que se tem com a entidade sendo cadastrada ali no objeto, ou seja, teria um campo para vincular com Cliente, outra com Fornecedor, e outras conforme for surgindo a necessidade. Isto permitiria circular com a Pessoa pela aplicação e acessar todas informações de uma pessoa específica. Obviamente exigiria mudança nas classes sempre que adicionar um tipo de relação novo (na verdade é possível ter uma classe auxiliar para lidar com isto sem obrigar mudanças na classe já existente).

No modelo atual o oposto também é válido, ainda que mais raro, afinal indo de baixo pra cima uma mudança nos tipos de pessoa é que forçaria mudanças em Cliente, Fornecedor, etc. Um dia pode surgir uma PessoaEstrangeira, o que forçaria a adição de um campo na classe aí em cima.

É possível ter uma padronização da informação de vínculo e ter apenas um campo de vínculo (no exemplo eu usei CNPJ E CPF), resolvendo a questão citada no parágrafo anterior e no anterior a este quando fala da adição de tipos de relação. Mas se feito isto, passaria ser obrigatório ter um campo dizendo qual o tipo da pessoa.

Eu acho que para dar flexibilidade o ideal é ter vínculos dos dois lados, ou seja, se você tiver Pessoa, você acessa os dados da PessoaFisica e de Cliente (só para ficar em um exemplo) daquela pessoa. Se tiver um objeto Cliente, consegue os dados de PessoaFisica e Pessoa geral relacionado a ele.

Alguma perguntas que podem interessar:

E minha resposta aqui.

Se eu lembrar de outros detalhes, eu coloco depois.

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.