14

Nos frameworks Laravel 4 ou 5 e Symfony, percebo que existe duas classe que são essenciais para o funcionamento de todo o sistema: ServiceContainer e ServiceProvider.

Parece se tratar de uma forma de você armazenar em um container instâncias de classes com suas dependências já resolvidas, ou então uma Closure, que carrega as definições dessas dependências (acho que esses são os "serviços"). Assim, ao chamar um determinado serviço (que está no container), estamos chamando de maneira mais simplificada a instância da classe desejada.

Vou dar um exemplo do que estou querendo dizer, porém esse exemplo não há ServiceProvider (provedor de serviço), mas apenas a utilização do service container:

Service Container

 class UrlGenerator
 {
      public function __construct(Request $request)
      {}
 }

 class Request{
       public function __construct(Header $header){}
 }

 class Header{}

Aí vem a definição das instâncias no container.

 $app->bind('header', function () { 

    return new Header;
 });

 $app->bind('request', function ($app)
 {
      return new Request($app->getService('header'));
 });

 $app->bind('url', function ($app)
 {
      return new UrlGenerator($app->getService('request'));
 });

Assim, se precisassemos de utilizar a classe UrlGenerator, ao invés de sempre ter que passar como parâmetro da mesma uma instância de Request, poderíamos fazer isso:

 $app->getService('url')->getRoot();

Service Provider

Já no outro caso, temos o ServiceProvider, que poderia fazer o seguinte:

class UrlGeneratorProvider extends ServiceProvider
{
     public function register()
     {
           $this->app->bind('url', function ($app) { /** **/});
     }
}

Aí no caso, seria chamado pelo ServiceContainer

$app->setService(new UrlGeneratorProvider);

Nesse caso, entendo que o UrlGeneratorProvider, passa a definição necessárias para criar o serviço, simplesmente através do método register.

Achei interessante esse padrão e gostaria de saber qual é o nome deles. Pois em alguns frameworks as classes responsáveis por conter todos os serviços são chamadas de Application, Container ou ServiceContainer. Já no caso dos "provedores de serviço" os nomes são sempre esses, na maioria das vezes.

9

Desenvolvi, no final do ano passado (2015), o meu TCC sobre uma comparação entre os Frameworks Codeigniter e Laravel 5, e sobre a utilização de padrões de projeto em seus desenvolvimentos. Por isso, estudei bastante sobre os Design Patterns utilizados no Laravel. E uma das coisas que mais gostei no Laravel é justamente essa parte do ServiceProvider.

Você explicou direitinho o funcionamento do ServiceProvider e do ServiceContainer. Esses mecanismos estão de acordo com o padrão de INVERSÃO DE CONTROLE ou (IoC). Este padrão é utilizado para diminuir o acoplamento das classes.

Veja abaixo uma classe simples que grava uma venda de um produto e logo em seguida deve gravar um log.

public class VendaDeProduto { 
    public function vendeProduto($produto) { 
        //Todo o código para a venda do produto... 
        $log = new Log("Arquivo.txt"); 
        $log->grava($produto); 
    } 
}

Observe que a classes VendaDeProduto tem a responsabilidade de instanciar a classes de Log. Mas o que acontece quando se eu precisar alterar o nome do arquivo de log para "ArquivoLog.txt"?

Será necessário editar todas as classes que instanciam a classe Log e realizar está alteração. Por este motivo é necessário retirar da classe VendaDeProduto o controle dessa instanciação.

Existem algumas formas de realizar a Inversão de Controle, uma delas é utilizando a Injeção de Dependência. Veja o código abaixo:

public class VendaDeProduto { 
    private $log; 
    public function vendaDeProduto(Log $logVenda) { 
        $this->log = $logVenda; 
    } 
    public function vendeProduto($produto) { 
        //Todo o código para a venda do produto... 
        $log->grava($produto); 
    } 
}

A classe VendaDeProduto precisa da classe Log para criar um Log mas neste código a classe VendaDeProduto recebeu uma instância da classe Log! Ou seja, agora ela não se preocupa mais com a criação da classe Log e simplesmente a usa.

Agora está a melhor coisa do Laravél (na minha opnial), o ServiceProvider. Veja abaixo uma das várias formas de implementar o serviço Log:

class LogProvider extends ServiceProvider
{
     public function register()
     {
           $this->app->bind('Log', function ($app) { 
                return new LogFile("ArquivoLog.txt");
           });
     }
}

Observe que na verdade quando utilizamos o serviço Log, estamos na verdade utilizando uma instancia da classe LogFile. Se por um acaso, eu quiser parar de gravar o log em arquivo texto e comece a gravar em um banco de dados, eu posso simplesmente alterar a implementação do meu serviço, passando a instanciar a classe LogEmBanco.

$this->app->bind('Log', function ($app) { 
    return new LogEmBanco("MySQL");
});

E como uma mágica, todos os meus logs começam a ser gravados no banco MySQL, sem alterar nenhuma outra classe.

Resumindo sua pergunta, pesquise sobre INVERSÃO DE CONTROLE e INJEÇÃO DE DEPENDÊNCIA.

De uma lida neste link, aqui tem tudo que eu escrevi e um pouco mais.

http://www.devmedia.com.br/inversao-de-controle-x-injecao-de-dependencia/18763

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.