5

Se possível, com um exemplo de código, pois isso que falta na referência para realmente entender quando e como usar o shared_ptr.

5

Você o usa quando deseja criar um ponteiro para algum objeto e deixar o C++ gerenciar isso para você. O objeto será automaticamente destruído quando não houver mais referências para ele.

É preferível usar o unique_ptr sempre que possível. O shared_ptr usa um contador de referências para controlar se ele ainda precisa estar ativo. Além do custo de memória para armazenar o contador é necessário incrementar esse contador toda vez que cria uma nova referência e decrementar e verificar se chegou a zero quando uma referência para o objeto é abandonada. Isso pode não ser tão barato em alguns cenários. Fica pior se tiver que sincronizar o incremento/decremento em ambiente de concorrência. O unique_ptr não tem custo algum (nem memória, nem processamento, zero mesmo), mas só pode ter uma referência para o objeto, o que é o mais comum que ocorre.

Ambos não eliminam o custo gerenciamento da alocação em si no heap, apenas garantem que um objeto não seja liberado antes, nem depois do momento que ele realmente não ter mais serventia.

É uma forma de coletor de lixo, ainda que não tradicional como alguns conhecem e por isso tem outros compromissos, vantagens e desvantagens.

Documentação.

Tem um exemplo aqui.

  • Por mais de uma referência a um objeto, você se refere a situação de que quando, por exemplo, se passado como parâmetro o mesmo ter uma cópia que as alterações não são aplicadas na origem? (quando a passagem não é por referência) – DH. 16/02/16 às 17:47
  • Pelo contrário, o que você está dizendo são referências para objetos distintos. O shared_ptr serve para o mesmo objeto. O que uma referência alterar na objeto, as demais verão a alteração. – Maniero 16/02/16 às 17:49
  • Não sei exatamente o porquê, mas me fez lembrar de DCOM e seus famosos smart pointers com CComPtr (Deus me proteja... em nome do pai, do filho e do espírito santo, amém). – Luiz Vieira 16/02/16 às 18:34
  • 1
    @LuizVieira Você sabe que é diferente :) – Maniero 16/02/16 às 20:32
  • Sim, claro. Mas me lembrou daquela coisa bizarra da Microsoft (e me deu uns calafrios aqui rs). – Luiz Vieira 16/02/16 às 23:39

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.