1

As configurações que costumo usar com o spring são baseadas em classe Java, como nesse exemplo https://github.com/matheussilvasantos/autocomplete.

Caso este projeto utilizasse o spring boot, quais configurações ainda seriam necessárias para configurar nas classes?

Olhei um exemplo em que para configurar um interceptor com o spring boot, criavam uma classe para configurar, então tem um limite para o spring boot, até onde é possível configurar com o application.properties?

6

Configurando com Spring Boot

Caso este projeto utilizasse o spring boot, quais configurações ainda seriam necessárias para configurar nas classes?

Na verdade, você poderia remover parte das configurações, pois a ideia do Spring Boot é justamente juntar os componentes mais usados do Spring usando algumas convenções e evitar que você precise fazer isso manualmente.

Tanto que o Spring Boot na verdade tem "sabores" prontos para os tipos mais comuns de aplicação. Veja a lista aqui.

Num exemplo simples de projeto web, você pode conferir que a única configuração necessário foi:

@SpringBootApplication
public class Application {
    public static void main(String[] args) {
        SpringApplication.run(Application.class, args);
    }
}

Application.properties

Olhei um exemplo em que para configurar um interceptor com o spring boot, criavam uma classe para configurar, então tem um limite para o spring boot, até onde é possível configurar com o application.properties?

O application.properties não é um substituto para configuração da aplicação. Ele é apenas um facilitador para as variações de configuração mais comuns. Isso ajuda bastante na maioria dos casos, mas numa aplicação não trivial é quase inevitável você não ter que usar configurações via anotações ou mesmo via XML, dependendo do seu intuito.

Veja aqui a lista de configurações mais comuns.

A forma recomendada para configuração é usando anotações. Por exemplo, para declarar um novo bean, basta declarar um método numa classe de configuração qualquer cujo retorno é a instância e anotar o método com @Bean.

Não tem nada de errado nem efeitos colaterais indesejados em fazer esse tipo de configuração, portanto não gaste tempo tentando fugir disso, a não ser que seja para usar alguma funcionalidade padrão facilmente ativada pelo application.properties.

Exemplos e migração

Eu tenho vários exemplos de projetos usando Spring Boot no meu Github.

Acredito que a forma mais fácil de você usar SpringBoot no seu projeto seja primeiramente mudar a configuração (pom.xml) de acordo com os exemplos, depois a configuração da aplicação (anotações e métodos das classes de configuração).

Provavelmente não precisará de qualquer mudança no sistema em si, a não ser talvez mover algum de lugar para se adequar ao padrão do Spring Boot. Então, é só uma questão de transpor a forma de configurar e com o tempo você vai descobrindo o que o Spring Boot oferece com maior facilidade.

Porém, Spring Boot não é muito mais que o Spring com convenções, então uma boa aplicação pode não ter ganho algum em migrar.

  • saberia me dizer se consigo configurar um interceptor(HandlerInterceptorAdapter) como no Spring MVC no Spring Boot? – Matheus 3/11/16 às 16:48
  • @Matheus A princício, sim, mas tem mais de um jeito. Por favor, evite comentários fora do assunto, faça uma nova pergunta. – utluiz 4/11/16 às 1:08

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.