4

Estou desenvolvendo um projeto Java EE onde teremos um banco de dados para cada cliente, atualmente utilizo servidor Wildly.

Digamos que temos um servidor com 30 clientes, seria um servidor com 30 bancos de dados diferentes.

Gostaria que fosse possível atualizar a aplicação conforme a demanda, ou seja, tenho uma aplicação deployed na versão web1.0.ear, e encontrei um problema onde será necessário incluir um novo campo em uma tabela do banco de dados, ou seja, precisamos pegar a entidade referente a tabela e incluir este campo. Sendo assim, deve-se realizar novamente o deploy da nova versão (web1.1.ear) só que para isso, precisaria parar o servidor e substituir a aplicação e no caso de 30 clientes com 30 banco de dados diferentes, essa atualização poderia demorar um pouco, (Digamos que tenha que atualizar todas as consultas do sistema e também grande quantidade de tabelas, script de inserção de informações e etc).

O que eu gostaria de fazer é: Todos os usuários que ainda estão conectados na versão web1.0.ear possam continuar utilizando-a normalmente e quando estes desconectarem, automaticamente o mesmo seja direcionado para a aplicação web1.1.ear na sua próxima conexão.

OBS.: Quando todos os usuários da versão web1.0.ear estiverem desconectados, então essa versão automaticamente realize o undeploy, existindo apenas a nova versão web1.1.ear.

  • jenkins não te resolveria ? – Otto 19/01/16 às 13:16
4

Alta disponibilidade

Atualizar a versão de uma aplicação web sem interrupção para os usuários é um grande desafio. Ter uma alta disponibilidade significa aumentar custos e o trabalho.

Pense, por exemplo nos seguintes cenários:

  • E se houver mudanças incompatíveis do banco de dados? Duas versões não podem co-existir.
  • E se as estruturas de dados ou objetos armazenados na sessão do usuário forem incompatíveis entre as versões?
  • E se a nova versão apresentar um problema pior e você precisar fazer um rollback?
  • E se houver um processo crítico executando em segundo plano na versão antiga?
  • E se a aplicação travar ou ocorrer um OOME (OutOfMemoryError) mesmo quando não há atualização?

Tudo isso e muito mais deve ser levado em conta se você quer ter alta disponibilidade. Então, primeiro você precisa ver o quanto de disponibilidade você realmente almeja.

Alternativa simples

Uma alternativa simples poderia ser uma política determinando uma janela de atualização noturna (que pode ser automatizada) ou algo do tipo.

Digo isso porque muitas vezes o custo de manter alta disponibilidade contínua simplesmente não vale a pena.

As pessoas acham que é algo simples, mas não é se considerar as múltiplas facetas. Cada funcionalidade da aplicação precisa ser projetada de forma a permitir funcionamento ininterrupto.

Outra política alternativa é que somente correções muito urgentes possam ser atualizadas durante o dia, sem entretanto afetar o banco de dados. As atualizações normais do sistema entrariam na janela de manutenção.

Lembre-se de que mesmo os gigantes como Facebook, Google e Amazon possuem janelas de manutenção e não é raro você ter alguma falha devido à migração. Então mais do que servidor os clientes de forma ininterrupta, você pode almejar simplesmente por ter uma janela curta de manutenção em horários que não prejudiquem os usuários (necessitando assim de estatísticas de uso do sistema).

Como resolver os problemas

Atualização do banco de dados

Como a outra resposta já mencionou, você pode usar uma ferramenta de versionamento e migração de banco de dados, tal como Liquibase ou Flyway. Essas ferramentas permitem você especificar gradualmente cada mudança no banco de dados via código, SQL ou XML (cada ferramenta tem diferentes formas). Então o sistema é capaz de se atualizar automaticamente.

Enteetanto, você precisa projetar as consultas e funcionalidades de forma a não ter duas versões consecutivas que sejam incompatíveis. Fazer isso não é simples e exige que você pense caso a caso, adicionando um grande overhead no desenvolvimento.

Uma forma de mitigar isso é fazer com que cada nova versão consiga funcionar com a versão anterior do banco de dados e somente aplicar as mudanças depois que a versão anterior for completamente desativada.

Sessão (Session)

Objetos colocados na sessão podem apresentar problemas porque a classe daqueles objetos podem mudar de uma versão para outra ou mesmo valores que a nova versão espera encontrar num determinado atributo podem ser algo diferente que a versão anterior colocou.

Outro problem com sessão é que isso atrapalha em muito que você possa colocar o sistema em cluster ou mesmo que cada nó do cluster seja tenantless, isto é, seja independente do cliente.

Enfim, em todos os casos que eu conheço de sistemas que precisa escalar e ter alta disponibilidade, a sessão é abolida sempre que possível.

Alternativas para armazenar dados do usuário são caches distribuídos como memcached e ehcache. Entretanto, é preferível que o sistema seja stateless tanto quanto possível, o que significa que ele *não deve armazenar dados do usuário em memória.

Transação de versões e proteção contra travamentos

A única forma confiável de você fazer a transição entre duas versões e de continuar a servir os usuários sem interrupção no caso de um travamento é ter mais de um servidor por cliente.

Para alcançar isso, a melhor forma é fazer com que o sistema seja multi-tenant, isto é, que cada instância do sistema seja capaz de atender requisições de qualquer cliente.

Dessa forma, você deve montar um cluster com no mínimo dois servidores atendendo seus clientes.

No momento da atualização, geralmente quando há pouco acesso, você deve mover todos os clientes para um dos nós, isolando o outro. Então você atualiza o nó isolado e aplica testes de sanidade, por exemplo, com Web Driver. Após a nova versão estar correta, então você move todos os clientes para o novo nó e executa a atualização no outro nó após algum tempo.

Lembrando que, se houver mudanças incompatíveis no banco de dados, a nova versão do sistema deve conseguir funcionar com o banco antigo até que os dois nós sejam atualizados.

No final, você tem os dois nós atualizados. Se um deles, por exemplo começar a usar muita memória por causa de algum defeito da aplicação (vazamento de memória, carregar muitos dados do banco ao invés de paginar, etc.) então você pode ter uma ferramenta de monitoramento que automaticamente reiniciar o nó, enquanto os clientes são atendidos pelo outro nó que não apresentaram o problema de memória naquele momento.

Considerações

Tudo o que escrevi ainda é superficial considerando todos os desafios de atualizar um sistema com alta disponibilidade.

Outros aspetos seriam:

  • Versionamento de assets: scripts, imagens e estilos atualizados precisam ser invalidados a cada nova versão.
  • Cache: se for necessário uso de caches, como eles devem ser corretamente usados em um cluster?
  • Se o sistema falhar, um proxy pode apresentar uma página amigável ao usuário ao invés de um "error 500". Além disso, ferramentas precisam notificar os responsáveis automaticamente.
  • Se o usuário estiver finalizando um texto ou ação complexa numa tela grande, como você pode garantir que ele não vai perder tudo o que fez se ocorrer algum erro justamente no momento em que ele submeter os dados?

E por aí vai...

  • Após diversas analises que fiz, optei por utilizar de maneira simples o controle através do liquibase. Fiz a integração do mesmo com CDI o que pude no ondeploy da aplicação atualizar todos os bancos de dados existentes. Desta forma em caso de falha, ocorre o rollback e todos os bancos voltam normalmente para seu estado original. Certamente essa atualização será feita em um momento que não atinja os usuários conectados, disponibilizando então a tela de "Manutenção". – MauricioGuedes 1/07/16 às 17:47
2

Eu vejo dois problemas diferentes aqui no seu caso:

  1. Gerenciar múltiplas versões do seu APP
  2. Atualizar automaticamente o banco de dados da aplicação no momento do deploy.

Para o primeiro caso, eu não sei bem como o Wildly funciona, mas o Tomcat possui uma funcionalidade de versionamento que resolve bem esse seu caso. Quando voce gerar o .war, insira "##nr_versao" na frente do nome. Exemplo: app.war ficaria app##1.war

Nesse caso o tomcat vai criar uma versao da app no mesmo contexto, e os usuários novos que forem entrando, seriam redirecionados para o novo contexto. Com o tempo, todos os seus usuários acabariam sendo sempre redirecionados para a nova versão, tornando assim possível remover o contexto antigo. Mais detalhes e informações a respeito de como fazer isso, você encontra aqui

Quanto ao caso de atualizar o banco de dados, existe uma biblioteca sensacional chamada Liquibase, que resolve muito bem esse seu caso de atualizar múltiplas bases. No caso, o liquibase gerenciaria as alterações de banco de forma incremental, registrando em log todas as alterações realizadas.

Então, pra concluir, com essas duas abordagens, acredito que voce adicionaria uma nova adição de coluna no liquibase, criaria um app##2.war e faria o deploy. Os usuários que estão conectados, continuariam usando a aplicação na versão anterior, e os novos acessariam a nova versão com o campo adicionado na tabela via liquibase.

Sua resposta

Ao clicar em “Publique sua resposta”, você concorda com os termos de serviço, política de privacidade e política de Cookies

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.