5

Pessoal como conseguir emular sobrecarga de métodos em javascript? Sei que alguns programadores conseguem, por exemplo, vou utilizar o gulp.

o gulp possui o método .task:

var gulp = require('gulp');

gulp.task('example-task', function(){
    console.log('running example-task')
})

gulp.task('example-task-2', ['example-task'], function(){
    console.log('running example-task')
})

mas se eu quiser rodar algumas tasks antes de outras, eu faco isso:

var gulp = require('gulp');

gulp.task('example-task', function(){
    console.log('running example-task')
})

gulp.task('example-task-2', ['example-task'], function(){
    console.log('running example-task')
})

quando eu quiser rodar a example-task-2, eu rodo antes a example-task, porque a example-task-2 é uma especie de task dependente de example-task.

Enfim, mas isso foi utilizado apenas pra exemplificar o que eu quero entender. Percebam a assinatura do método .task

O primeiro parametro é uma string, e o segundo pode ser um array ou uma função anônima. Como eu consigo isso? Como eu venho do JAVA, isso seria facil: escreveria dois métodos com o mesmo nome e mudaria apenas o parametro recebido, seria algo dessa forma:

public interface Gulp {
    public void task(String taskName, AnonymousFunction run);
    public void task(String taskName, List<Task> depencencies, AnonymousFunction run);
}

e no js, como seria?

3

É commum em APIs flexiveis as funções aceitarem numero e tipo diferentes de parâmetros. Para separar as àguas e saber quem é quem em runtime pode inspecionar-se o arguments que é uma palavra reservada. No fundo uma variável tipo array disponivel dentro do escopo de qualquer função.

Poderia ser also assim:

function foo(){
    var fn, str, arr;
    if (typeof arguments[2] != 'undefined'){
        fn = arguments[2];
        arr = arguments[1]
    } else {
        fn = arguments[1];
    }
    // aqui podes fazer algo com fn, str e arr. Sendo que caso "!arr == true" então ela não foi passada à função
}

Neste exemplo verifico se foram passados 3 argumentos á função. Também daria para fazer de outra maneira iterando o arguments, mas ficas com uma ideia julgo.

  • caramba, o negocio é nada trivial então.. pq alem de numero diferente de parametros, as vezes precisamos filtrar via tipos. – user155542 15/01/16 às 21:27
  • @user155542 pois. É questão de não criar demasiadas possibilidades para não ficar complexo de gerir o código. – Sergio 15/01/16 às 21:28
1

No javascript você consegue chamar as funções mesmo não passando todos métodos, exemplo:

function foo(param1, param2) {
    console.log(param1);
    console.log(param2);
}

Se você chamar

foo(); // mostra undefined e undefined 
foo(1); // mostra 1 e undefined
foo(1, 2); // mostra 1 e 2

Porém, você consegue fazer algo similar ao Object...

function foo() {
    for (var i = 0; i < arguments.length; i++) {
        console.log(arguments[i]);
    }
 }

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.