13

Estou estudando Hibernate e com ele vieram algumas dúvidas que já me vieram até antes mas não questionei a fundo.

public void salvar(Usuario usuario){
    Session sessao = null;
    Transaction transacao = null;

    try{
        sessao = HibernateUtil.getSessionFactory().openSession();
        transacao = sessao.beginTransaction();
        sessao.save(usuario);
        transacao.commit();
    }catch(HibernateException e){
        System.out.println("Não foi possível inserir o usuário. Erro: "+e.getMessage());
    }finally{
        try{
            sessao.close();
        }catch(Throwable e){
            System.out.println("Não foi possível fechar operação de atualização. Messagem: "+e.getMessage());
        }
    }

}

Do jeito que está me parece meio "sujo" digo, está superlotado de try-catch para todos os lugares, um código limpo é realmente assim?

Outra pergunta é, qual o emprego do uso de try com recurso? Eu devo usar sempre que possível o try w/ resources?

8

Uma situação peculiar

Esse exemplo que você deu é interessante porque uma HibernateException, que não é uma checked exception (isto é, exceção que deve ser tratada ou repassada para o nível acima) pode ser disparada por uma SQLException do JDBC, que é checked, que por sua vez pode ser disparada por uma IOException, que também é checked, e pode acontecer quando a conexão com o banco é perdida (após ter sido estabelecida, naturalmente). Porém o fato de HibernateException não ser checked desobriga o tratamento da exceção, o que pode ou não ser recomendável nessa situação, a conferir abaixo (e você verá que ela precisa ser tratada).

Quando a conexão cai algum dos métodos beginTransaction(), save() ou commit() irá lançar uma HibernateException, indicando que a conexão foi perdida e o recurso (socket aberto com o banco) precisa ser liberado. Ou, em outras palavras, sinalizando que sessao.close() precisa ser chamado. Porém sessao.close(), que por debaixo dos panos chama Socket.close(), além de liberar o socket (recurso do sistema) irá também disparar uma exceção ao tentar fechar a conexão que já foi perdida.

Obs.: De acordo com a documentação dos métodos Session.close() e Session.disconnect(), eles só precisam ser chamados em aplicações que passam uma conexão JDBC persistente (long-session ou long-conversation) ao Hibernate em vez de deixá-lo criar um pool delas sozinho. Se você usa um pool de conexões não chame sessao.close() e ignore o que eu falo sobre a segunda exceção.

Segunda exceção: capture e depois ignore

Essa segunda exceção não precisa receber nenhum tratamento especial porque é um acontecimento normal decorrente da perda de conexão de rede. Então basta capturar essa segunda exceção e não fazer nada de mais com ela, nem mesmo logar. O socket será liberado e deixará de ser um recurso ocupado no sistema, o que seria um potencial problema caso o número de conexões abertas seja (ou possa ficar) muito grande. O sistema operacional é limitado no número de sockets que pode manter ocupados, mesmo que desconectados.

O único problema dessa segunda exceção, além de não precisar logar nada, é que o catch (Throwable e) deveria ser mais específico: catch (HibernateException e).

Primeira exceção: passe para o nível acima

Já o catch para a primeira exceção pode ou não ser necessário. Em geral nessa situação o nível acima irá querer tratar alguma exceção de falha no banco, talvez exibindo uma caixa de diálogo para o usuário ou de alguma outra forma, então em vez de capturar a HibernateException e simplesmente logar você tem a opção de deixar essa exceção ir para o nível acima diretamente ou então capturá-la e lançar em seu lugar uma exceção de mais "alto nível", que não especifique que se trata de uma exceção do Hibernate. Você pode achar que HibernateException é uma coisa específica de uma certa solução de persistência que seu sistema deve ser livre para trocar por outras, e que assim deve trocá-la por uma DaoException (DAOs fazem sentido em Hibernate? Acho que não muito né heheheh), ou PersistenceException ou algo do tipo (estou dando um exemplo qualquer aqui de exceção, somente para frisar essa ideia):

// Resolvi tornar checked também, mas isso é opcional
public class PersistenceException extends Exception {
    public PersistenceException(Throwable e) {
        super(e);
    }
}

public void salvar(Usuario usuario) throws PersistenceException {
    Session sessao = null;

    try {
        sessao = HibernateUtil.getSessionFactory().openSession();
        Transaction transacao = sessao.beginTransaction();
        sessao.save(usuario);
        transacao.commit();
    } catch (HibernateException e) {
        throw new PersistenceException(e);
    } finally {
        try{
            if (sessao != null) {
                sessao.close();
            }
        } catch (HibernateException e) {
            // Não precisa fazer nada
        }
    }
}

Conclusão

Nesse caso, você pode observar que mesmo HibernateException não sendo checked e você não sendo obrigado a tratar as duas exceções que foram geradas, é melhor tratá-las de alguma forma para evitar que um recurso do sistema seja deixado ocupado.

Sobre o try with resources, Session não implementa a interface Closeable então nesse caso não dá para usar.

  • Entendi! Então realmente preciso fechar a sessão, não tinha ideia sobre Session não implementar Closeable. Muito obrigado. – marksao 16/01/16 às 2:32
8

Não. Você está coberto de razão. As pessoas capturam exceções muito mais do que devem. Ainda que Java exija ou pelo menos incentive que capture muitas exceções que não deveriam ser capturadas, pelo menos deveriam ser capturadas em outro momento. Falo isto em todo lugar aqui no site.

Acho pouco provável que o try mais interno seja necessário. Se acontecer de não conseguir fechar a conexão provavelmente está em uma condição tão catastrófica que isto é um erro de programação ou o ambiente está tão comprometido, que a melhor coisa a fazer é deixar a plicação quebrar. Até pode capturar a exceção em outro lugar para dar uma mensagem bonitinha e talvez logar o que aconteceu, mas deve ser um tratamento geral de toda a aplicação e não algo mais localizado e específico.

É quase certo que capturar Exception está errado, a não ser no main() ou algum lugar onde centraliza a execução da aplicação, onde seja o ponto de entrada e saída dela. Eu diria que capturar Throwable está sempre errado. Além de ser genérica demais (veja porque é ruim nas respostas do link acima), ela pega erros de programação ou que não podem ser feito nada. Estes erros não devem ser tratados, eles devem ser resolvidos.

O outro try pode ser útil. Claro que se for só para mostrar o erro no console e mais nada, não sei se é tão útil, pode até ser em algum caso. Mas acho que este não é motivo da pergunta.

Capturar um erro onde um recurso externo está te informando de uma falha costuma ser uma coisa boa. Só precisa ver se o local é o melhor possível. Não precisa necessariamente capturar o mais rápido possível. Sim, muitas vezes é o caso. Aí parece adequado.

Java 7 introduziu o try para recursos onde o finally passa ser desnecessário. Se o Hibernate usa este padrão, ele pode ser eliminado. Parece que não usa para este objeto. Mas fica a dica para eliminar em outros casos.

  • 1
    Mas neste caso o try para recursos não me daria um autocloseable ? Podendo passar para um catch mas sem necessidade de um finally? – marksao 15/01/16 às 14:37
  • 1
    @Kolnmrk você tem razão, dá para usar o catch com o try(). Corrigido. Hoje estou meio dorminhoco. Muita linguagem, cada uma com um jeito... – Maniero 15/01/16 às 14:44
  • 3
    @bigown Confira no código da minha resposta, acredito que no caso de sessao a inicialização como null não é redundante porque openSession() pode lançar exceção antes de dar tempo de retornar a instância de Session e isso precisa ser checado no sessao.close(). – Piovezan 15/01/16 às 18:54
  • 1
    @Piovezan acho que tens razão – Maniero 15/01/16 às 20:26
6

Fechar recursos propriamente nem sempre é tão simples quanto parece. Problemas mais sutis podem ocorrer.

Estive lendo esse dias o artigo How to Close JDBC Resources Properly – Every Time. Para conexões normais, isto é, usando Connection e Statement e não Hibernate ou JPA, o código mais adequado é o seguinte:

Connection connection = dataSource.getConnection();
try {
    Statement statement = connection.createStatement();
    try {
        ResultSet resultSet = statement.executeQuery("some query");
        try {
            //recuperar resultado aqui
        } finally {
            resultSet.close();
        }
    } finally {
        statement.close();
    }
} finally {
    connection.close();
}

No seu caso, especificamente, você poderia fazer assim:

try {
    Session sessao = HibernateUtil.getSessionFactory().openSession();
    try {
        Transaction transacao = sessao.beginTransaction();
        try {
            sessao.save(usuario);
            transacao.commit();
        } catch (Exception e) {
            transacao.rollback();
            throw e;
        }
    } finally {
        sessao.close();
    }
} catch(Throwable e) {
    trataErro(e);
}

A desvantagem do código é o nível de aninhamento, pode ser confuso. A vantagem é que você não precisa ficar tratando valores desnecessariamente. Todas os recursos são fechados dentro do escopo e, pelo menos para mim, mais fácil de entender.

Entretanto, um erro comum em aplicações grandes é ficar usando código boileroplate em todo lugar. Depois algum programador novo esquece de algum finally e sua aplicação começa a ter vazamento de memória.

Uma forma de resolver isso usando acesso direto ao banco de dados é através de uma biblioteca como JdbcTemplate do Spring.

Para JPA ou Hibernate você pode configurar usar um framework de Inversão de Controle e Injeção de Dependências como o Spring para injetar a sua Session e gerenciar automaticamente o seu fechamento dentro do escopo de uma requisição (pensando num sistema web).

Ou, caso não possa ou não queira usar frameworks, você mesmo pode encapsular essa lógica. Exemplo usando Java 8 e lambdas:

public void salvar(Usuario usuario) {
    execute(session -> session.save(usuario));
}

public void execute(Consumer<Session> consumer) {
    try {
        Session sessao = HibernateUtil.getSessionFactory().openSession();
        try {
            Transaction transacao = sessao.beginTransaction();
            try {
                consumer.accept(sessao);
                transacao.commit();
            } catch (Exception e) {
                transacao.rollback();
                throw e;
            }
        } finally {
            sessao.close();
        }
    } catch (Throwable e) {
        trataErro(e);
    }
}

Pronto, agora você nunca mais precisa repetir esse código.

E depois, se você sentir necessidade de adicionar mais um try/catch para fazer um rollback em caso de erro, só precisa mexer em um lugar.

Exemplo:

public void execute(Consumer<Session> consumer) {
    try {
        Session sessao = HibernateUtil.getSessionFactory().openSession();
        try {
            Transaction transacao = sessao.beginTransaction();
            try {
                consumer.accept(sessao);
                transacao.commit();
            } catch (Throwable e) {
                transacao.rollback(); 
                throw e;
            }
        } finally {
            sessao.close();
        }
    } catch (Throwable e) {
        trataErro(e);
    }
}
  • 2
    Não me ocorreu que ResultSets, Statements e Transactions podem ser fechados. Essa é certamente uma informação importante. Agora, eu discordo da inicialização direta da variável que mantém a conexão ou a sessão. Obter a conexão é uma operação de I/O e como tal pode gerar uma exceção, que precisaria ser capturada e tratada. – Piovezan 16/01/16 às 2:36
  • 1
    @Piovezan Na verdade isso foi um erro meu, transações não são fechadas, mas devem ter o commit ou rollback. Assim que chegar em casa eu arrumo isso. – utluiz 16/01/16 às 2:38
  • Quando olhei o artigo achei que havia visto a transação ser fechada :) – Piovezan 16/01/16 às 2:41
  • 2
    Pensando melhor, a inicialização direta não está errada se a intenção for repassar a exceção para o nível acima. Mas tem a restrição que comentei, você vai estar passando um detalhe de implementação (exceção de um framework específico) para a camada de cima, o que pode não ser desejável. – Piovezan 16/01/16 às 2:48
  • 3
    @Piovezan Eu também não gosto da inicialização direta, tanto que no meu exemplo final eu fiz um tratamento para evitar isso. Acho que o foco do artigo foi em tratar o close e não erros. Do meu ponto de vista a aplicação deve logar devidamente o erro e encapsular a exceção original numa resposta amigável. – utluiz 16/01/16 às 6:20
3

Sempre que voce quiser fazer o tratamento de um possível erro, voce vai ter que usar o try/catch. Se o erro que voce recebe do Hibernate, é suficiente pra você nas camadas acima, simplesmente não trate a exceção.

Dependendo das suas escolhas para a camada de apresentação, existem outras maneiras de tratar os erros de forma automatizada, como o Spring MVC (No caso de aplicações web) como explica este artigo

Quanto ao finally, acredito que as versões novas do hibernate tratam o fechamento de sessão, sem que voce tenha que se preocupar com isso.

Mas denovo, se voce tem interesse específico de tratar a possibilidade de não fechamento imediato da sessão, entao SIM, voce vai ter que fazer esse código "sujo" pra resolver seu problema.

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.