3
#include <iostream> 
#include <limits> 

using std::cout;
using std::cin;
using std::endl;
int getVar(int num);
int getInt(int num);

int main(){

    int n;
    cout<<"Insira um inteiro. \n\n";
    getInt(n);


    return 0 ;
}
int getInt(int n){

    cin>>n;
    return getVar(n);
}

int getVar(int num){

    if(!(cin>> num &&  !num % 2 == 0)){

        cout<< num <<" Entrada nao corresponde ao tipo de variavel solicitado.\n\n";
        cin.clear();
        cin.ignore(std::numeric_limits<std::streamsize>::max(), '\n');
        getInt(num);
    }
    else{
        cin.clear();
        cout<<"\n"<< num <<" Entrada recebida com sucesso!!! \n";
        return num;
    }
}

Quando digito um número que é aceito pela função, no caso um inteiro, tenho que digitá-lo duas vezes para que ele seja captado, eu gostaria que ele captasse a entrada direto na primeira tentativa.

  • A condição provavelmente está errada. Ela não faz sentido. Qual é o critério para que um numero deve ser aceito ou rejeitado? Explique o que o programa deve fazer. Existe alguma razão para ter duas funções auxiliares e não estar tudo no main()? O código está cheio de coisas desnecessárias. – Maniero 9/01/16 às 21:30
  • bom a ideia é justamente limitar o fluxo de entrada a variaveis do tipo int – Diego 9/01/16 às 21:43
  • 1
    O cin vai garantir que é um int. A única coisa que dá para fazer é determinar se o que foi digitado é válido ou não. Mas aí você precisa explicar o que é considerado válido ou não. – Maniero 9/01/16 às 21:47
  • if(!(cin>> num && !num % 2 == 0)) essa condição que esta fazendo o isolamento porem quando entro com um inteiro ele da erro – Diego 9/01/16 às 21:51
  • 1
    Mas este é o problema, esta condição não faz o que vocês está querendo. P módulo determina se o número é par. O pedido para digitar o número de novo, não faz sentido. Se você não conseguir colocar o problema de uma forma que faça sentido, explicar o que deseja, porque o código está assim, não tem como ajudar. – Maniero 9/01/16 às 21:59
3

Primeiro, se vai pegar um número que pode ser escrito com ponto flutuante, o tipo da variável deve ser float e não int. É esquisito fazer isto, porque se quer números inteiros, peça inteiros, aí não precisa fazer nada. Mas deve ser algum exercício maluco sem sentido. Pode usar outra forma, mas é mais complexo.

Para saber se um número que pode ter parte decimal é apenas inteiro, basta comparar ele com sua parte inteira, fazendo um cast simples como foi feito na condição. Assim está comparando o número com decimal e o número convertido para inteiro. Se eles forem iguais é porque a conversão não perdeu nada, então já era inteiro.

Tirei todas as declarações desnecessárias e as funções que não estavam trazendo nada útil ao código, pelo contrário, estava causado problemas.

#include <iostream>
#include <limits>
using namespace std;

int main() {
    float n;
    cout << "Insira um inteiro." << endl;
    while (true) {
        cin >> n;
        if (!cin.fail() && n == (int)n) {
            break;
        }
        cout << n << " - Entrada nao corresponde ao tipo de variavel solicitado." << endl;
        cin.clear();
        cin.ignore(numeric_limits<streamsize>::max(), '\n');
    }   
    cout << endl << n << " - Entrada recebida com sucesso!!!" << endl;
    return 0;
}

Veja funcionando no ideone.

A verificação se cin.fail() foi usada para evitar que a digitação de caracteres não numéricos.

É possível simplificar um pouco mais o código se aceitar um pequena mudança de comportamento. Não poderia dar a mensagem de erro, teria que apenas pedir o número de novo.

  • Deixa eu ver se eu intendi você determina enquanto verdadeiro capture o valor de n se n > 0 e n é = n inteiro mas então dessa forma ele nao arredonda o numero float para int – Diego 9/01/16 às 22:23
  • Basicamente é isto. A verificação é dispensável para ver se um número foi digitado, conforme eu expliquei acima, coloquei para verificar se letras foram digitas, mas essa verificação é falha, não sei nem se deveria fazer isto. É que se é para verificar se o dado está certo, fica estranho aceitar letras como se fosse algo válido. De qualquer forma, vou repetir que não faz sentido fazer isto. Tem como simplificar ainda mais este código mas mudaria ligeiramente o comportamento. – Maniero 9/01/16 às 22:26
  • e se a entrada for 0 seria um inteiro mas seria classificada como nao – Diego 9/01/16 às 22:28
  • É, então, esta é a falha. Se quiser tire esta parte. Mas aí e se a entrada for letra? – Maniero 9/01/16 às 22:29
  • 1
    Mas se é para "capturar" int, use uma variável int como estava fazendo, e não precisa verificar se tem ponto flutuante ou não, principalmente não precisa fazer divisão por 2 para ver se dá resto, não precisa ler o número de novo para fazer a verificação. Não faça o que a linguagem já faz por você. Você está jogando códigos aleatórios. Se não entender o que está fazendo, não conseguirá produzir nada que seja útil e que seja certo que funciona. A solução está na resposta. – Maniero 9/01/16 às 22:46

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.