2

O código consiste em calcular o volume de uma superfície irregular onde estou usando uma matriz 2 x 2 de tamanho máximo 1000 x 1000, que representa um retângulo, portanto a área máxima do terreno é 1.000.000 m², e devo usar uma variável y livre, que representa a altura do terreno, como o terreno é irregular o y varia, em regiões de declives e aclives do terreno.

Quero calcular o volume total do terreno, onde devo utilizar um delta incremental aplicado às coordenadas X, Y e Z. A cada passo da aplicação do delta às coordenadas, deverá ser feito um cálculo/adição do volume de um pequeno cubo de volume delta³ ao volume total do terreno, não ultrapassando as dimensões do terreno ou o cálculo ficará errado, onde aqui também para a coordenada Y, devo calcular uma reta de interpolação entre duas alturas Y de modo a determinar o limite de cubos adicionados para o cálculo do volume, ou seja, um limite para a progressão do loop que fará a varredura sistemática da altura do terreno.

Quando um cubo transpor o limite da coordenada Y interpolada será a hora de terminar o loop que incrementa a coordenada Y.

Eu estou com dúvida em como fazer isso eu escrevi um código, abaixo segue a parte do loop, entretanto ocorre um erro e estou com dúvida de como consertar:

for(i=0; i<x; i++){ // x representa a largura do terreno
    for(j=0; j<z; j++){ // z representa a profundidade do terreno
        fscanf(y, "%.2f\t", altitude[i][j]); // Armazena os valores das coordenadas x e z na altura y ( DÚVIDA NESSA LINHA, SEMPRE QUE TENTO ARMAZENAR NA VARIÁVEL Y, OCORRE ERRO )
    }
} 

for(i=0; i<x; i++){
    for(j=0; j<z; j++){
        delta = aux - altitude[i][j];
        volume = volume +(altitude[i][j]*delta);
        aux=altitude[i][j];
    }
}

printf("\n O volume do terreno é: %f\n", volume);

fechada como não está clara o suficiente por Luiz Vieira, viana, Taisbevalle, Laerte, Maniero 6/01/17 às 12:31

Esclareça seu problema específico ou acrescente outros detalhes para destacar exatamente o que precisa. Do modo como está escrito aqui, é difícil saber exatamente o que você está perguntando. Consulte a página Como perguntar para obter ajuda no esclarecimento desta pergunta. Conheça as regras na central de ajuda e edite a pergunta para que fique adequada.

  • 2
    Qual o erro que a aparece quando você compila? – StillBuggin 6/12/15 às 2:15
  • Basicamente ocorre o erro nessa linha fscanf(y, "%.2f\t", altitude[ i ] [ j ]); o programa não compila, e também tenho dúvida se apenas esse loop que eu escrevi já é o bastante para resolver meu problema. – Alan Nascimento 6/12/15 às 2:24
  • É, realmente a sua pergunta não tá muito clara. Primeiramente, tá ok, o programa não compila... mas qual é a mensagem de erro do compilador? Em segundo lugar, o que vc quer fazer nessa linha do fscanf? Se vc só quer armazenar o valor do array na variável y, por que não fez simplesmente y = altitude[i][j]?. Sobre a questão do cálculo, você está considerando o terreno como sendo dividido em porções (as células do array) discretas, certo? Talvez se vc preparar um desenho ilustrativo de como a sua matriz representa o seu terreno isso ajude (até vc mesmo) no entendimento do problema. – Luiz Vieira 14/04/16 às 11:36
  • fscanf(f, "%f" , &( altitude[i][j] )) ? – JJoao 5/01/17 às 18:50
0

Não entendi bem o que você deseja fazer na linha com a instrução fscanf, mas caso esteja tentando gravar o resultado em um arquivo, o melhor seria usar a instrução fputs. Dá uma olhadinha aqui.

Mas se você apenas quer calcular o volume total do terreno, basta você somar todas as alturas que você armazenou no array. Algo assim:

// inicializa volume com 0 para acumular no loop
int volume = 0;
for(i=0; i<x; i++){
    for(j=0; j<z; j++){
      // adiciona o volume de cada área
      volume += altitude[i][j];
    }
}

No final deste loop, a variável volume terá o volume total do terreno.

  • Nessa linha eu quero armazenar o valor do array na variável y, que é a altura, pois a altura está variando e preciso levar em consideração ela para o cálculo do volume posteriormente. – Alan Nascimento 6/12/15 às 15:15
  • E também preciso levar em conta o delta incremental para o cálculo do volume, esse delta incremental é análogo a uma soma de Riemann onde para calcular o valor de uma integral você divide a curva em vários retângulos. – Alan Nascimento 6/12/15 às 15:26
  • Pelo que entendi, cada elemento do array terá a altura no ponto x,z. Se for isso, não existe a necessidade do delta, pois a soma das alturas de todos os pontos te dará o volume total. No cálculo, a divisão ao infinito é feito para calcular a área da curva (ou neste caso, o volume de uma superfície), mas a interpolação é limitada pela dimensão do array, onde cada elemento do array é uma área mínima a ser adicionada no somatório. Neste caso, como falei antes, basta somar todos os elementos do array para chegar ao volume total. – Ricardo Memoria 7/12/15 às 1:53
  • Por exemplo, se o seu terreno tiver uma dimensão de 10x10, e cada ponto tiver uma altura de 10 (estou simplificando), somando cada valor do array você chegaria a 1000, que é o volume do cubo de 10x10x10 de comprimento. – Ricardo Memoria 7/12/15 às 1:56

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.