3

No manual do PostgreSQL tem o seguinte trecho :

PostgreSQL provides the index methods B-tree, hash, GiST, and GIN.
PostgreSQL fornece os métodos de índice B-tree, hash, GiST e GIN.

Mas afinal o que são estes métodos? e qual suas diferenças?

7

B-Tree

O B-tree, ou alguma variação dele, é o mais comum em todos os sistemas de banco de dados. Ele é muito eficiente para quase todos os casos comuns de uso. É uma árvore binária balanceada que permite todos os tipos de acesso (leitura, inserção remoção, em qualquer lugar) em tempo O(logN), que é muito rápido sempre, com volume muito grande, ou muito pequeno de dados, mas importa mesmo quando é grande. É razoavelmente eficiente em espaço e mantém os dados ordenados, permitindo a leitura sequencial e de faixas eficientemente.

Hash

Nos casos onde não precisa da ordem, da busca sequencial e as chaves são únicas (em que o programador garante isto, o índice não consegue), evitam colisão e possui grande volume de dados, o índice pode ser mais eficiente se usar uma função de cálculo de hash. Elas têm tempo O(1). Mas isso não quer dizer claramente mais rapidez. O tempo de cálculo da função pode ser maior que algumas iterações em uma árvore binária (e costumam haver poucas). Não costuma funcionar bem em disco.

A estrutura de hash ainda pode ter algumas dificuldades quando há colisões e buscas lineares (O(N)) são necessárias (ainda que raras, a não ser que as chaves não sejam únicas). Mas pode-se "reclamar" de perda de tempo extra no B-tree quando necessita um rebalanceamento. Mas isto ocorre em circunstâncias mais específicas. Em todos os casos, depende do algoritmo usado e o padrão de dados.

Existem casos, mas é raro ter ganho expressivo por sua utilização. Pode haver ganhos em certos tipos de JOIN muito complexos.

Só testando para ter certeza se vale a pena.

Ele não é crash-safe, nem é replicado, o que inviabiliza mais casos.

GIN

O GIN (Generalized Inverted Index) permite que uma chave possua vários valores, ou seja, que aponte para várias linhas na tabela de dados. Isto é importante quando a mesma chave pode estar presente em vários itens de dados. Em alguns casos ter um índice assim (B-tree permite isto também) pode ser mais eficiente em espaço e tempo de acesso. Não espere ganhos miraculosos.

Um bom uso é para busca de textos livres (indicar onde determinas palavras estão presentes.

Outro uso é quando um tipo de dados específico, criado pelo usuário (programador) no banco tem uma característica de multiplicidade.

De uma certa forma podemos considerar um índice mais baixo nível. Algo quase interno.

GiST

O GiST (Generalized Search Tree) é uma forma mais abstrata, mais interna, onde podem ser implementadas várias metodologias de acesso. Ela é uma árvore binária balanceada, mas não possui muitas regras. Estas devem ser especificadas em um nível mais alto, provavelmente para algum tipo específico criado pelo usuário.

Conclusão

Em resumo, se não tiver um motivo muito forte, fique com o índice tradicional.

  • O que seria crash-safe? – gato 26/11/17 às 16:11
  • Se parar no meio não dá problema. – Maniero 26/11/17 às 16:17

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.