30

Por que criar parâmetros para cada campo que será atualizado ajuda a evitar SQL Injection? Exemplo:

SqlCommand comm = new SqlCommand("UPDATE Contatos Set Telefone = @Telefone, " +
                             "Cidade = @Cidade, " +
                             "Email = @Email, " +
                             "Endereco = @Endereco " +
                             "WHERE Nome = @Nome", conn);
comm.Parameters.AddWithValue("@Telefone", txtTelefone.Text);
comm.Parameters.AddWithValue("@Cidade", txtCidade.Text);
comm.Parameters.AddWithValue("@Email", txtEmail.Text);
comm.Parameters.AddWithValue("@Endereco", txtEndereco.Text); 
comm.Parameters.AddWithValue("@Nome", txtNome.Text);
29

Como acontece um SQL Injection?

Vamos alterar seu exemplo um pouco:

SqlCommand comm = new SqlCommand("UPDATE Contatos Set Telefone = " + txtTelefone.Text +  " " +
                         "WHERE Nome = @Nome", conn);

Suponha agora que eu digite em txtTelefone o seguinte comando:

0 where 1=0; drop database MeuSistema;

Dependendo da permissão do usuário, você concorda que o banco de dados inteiro pode ser apagado?

Isto é SQL Injection. Normalmente ele não é usado para apagar bancos de dados, e sim para incluir informações falsas para sequestrar o sistema ou alterar seu comportamento.

Isto é bastante comum em frameworks fracos e de código aberto. Existem fontes de informação na Internet especializada em ataques a determinados frameworks. Em código fechado também pode acontecer.

Por que criar parâmetros para cada campo que será atualizado ajuda a evitar SQL Injection?

Porque os parâmetros são avaliados antes de serem inseridos. Neste exemplo com AddWithValue() a checagem não é muito eficiente porque não há verificação do tipo de dados do parâmetro. Aqui fala mais a respeito.

Para estes casos, prefira o método Add():

comm.Parameters.Add("@Telefone", SqlDbType.Int);
  • 1
    Eu estava preparando uma bela resposta, mas você a fez primeiro. Claro que poderia existir um exemplo espetaculoso e mais claro, mas a resposta atende bem às "duas perguntas em uma". – durtto 27/11/15 às 15:44
  • 2
    "Isto é bastante comum em frameworks fracos e de código aberto": puxa, esta frase ficou bem forte Cigano :-) Principalmente quando quando você diz sobre código aberto. A impressão que passa é que este tipo de falha de segurança não acontece em código fechado. Se não acontecesse, então a própria Microsoft não teria o Patch Tuesday (en.wikipedia.org/wiki/Patch_Tuesday). – cantoni 27/11/15 às 15:44
  • 2
    Verdade cigano, você concordaria em retratar esse trecho? – durtto 27/11/15 às 15:46
  • 1
    @cantoni Um exemplo de framework fraco é o antigo PHPNuke (que originou o Joomla algum tempo depois). Na época, o conceito de SQL Sanitizing era algo novo. Vendi um site escrito nisso e tive que estudar bastante porque o site foi invadido alguns meses depois. – Leonel Sanches da Silva 27/11/15 às 15:47
  • 4
    @CiganoMorrisonMendez, os comentários são pra gente discutir mesmo, certo? Se eu discordei é porque eu entendi de uma forma que talvez seja diferente da que você desejou passar. Obviamente, você não é responsável por isso. Mas como você foi o autor da reposta e ela é pública acaba que você pode encontrar gente que pensa diferente. Totalmente natural desde que, obviamente, não ultrapasse os limites da educação e do bom senso. – cantoni 27/11/15 às 16:09
18
+100

Estes métodos sabem limpar o conteúdo. Eles retiram qualquer texto potencialmente perigoso. Como ali se espera algo bem limitado, ou seja, apenas números ou um texto como string (entre aspas), qualquer coisa que fuja disto é considerado lixo e é descartado. Então elementos que façam parte da sintaxe do SQL não podem ser injetados na consulta alterando seu teor.

O problema da injeção ocorre por construção do texto da consulta de forma livre, aceitando qualquer coisa como algo válido. A proteção ocorre justamente por deixar que apenas algumas partes muito específicas sejam usadas de forma flexível e que venham de fonte externa.

O problema pode ocorrer em qualquer linguagem de programação normal e o erro é sempre do programador, seja porque ele não sabe como evitar o problema manualmente ou por não usar as ferramentas prontas que a biblioteca ou linguagem oferecem para inserir os dados parametrizados e só eles, sem deixar que outros dados entrem especialmente algum que pode ser confundido com um SQL válido que pode ser executado.

Aí vem o famoso XKCD

XKCD SQL Injection

É muito comum o programador concatenar strings para criar a consulta que será enviada para o banco de dados de forma ingênua, então ele faz algo assim:

query = "SELECT * FROM Students WHERE (nome = '" + GetByName + "' AND status = 'ativo')";

Sendo que esta variável nome é um texto que veio de uma fonte externa, por exemplo veio de um POST ou GET do HTTP em um site um aplicação web. Nada disso foi sanitizada e a concatenação ocorre assim. Algo assim é válido:

http://site.com/Student?GetByName=Joao

Assim também:

http://site.com/Student?GetByName=Robert');%20DROP%20TABLE%20STUDENTS;%20--

Aí o sujeito mal intencionado ou com um nome um pouco fora do comum pode causar danos no seu banco de dados. Supondo o exemplo do quadrinho essa string seria Robert'); DROP TABLE STUDENTS; --, concatenado fica assim:

SELECT * FROM Students WHERE (nome = 'Robert'); DROP TABLE STUDENTS; -- ' AND status = 'ativo')

Este é um comando perfeitamente válido que fará:

  • selecionar todas as colunas da tabela Students aplicando um filtro onde a coluna nome tenha o texto Robert
  • logo em seguida encerra este SELECT com o ; e inicia outro comando onde a tabela Students é apagada completamente
  • Finalmente ocorre um comentário que pode ter um texto qualquer que não dará erro, é tudo ignorado pelo banco de dados.

Se quiser uma leitura mais fácil:

SELECT * FROM Students WHERE (nome = 'Robert');
DROP TABLE STUDENTS;
-- ' AND status = 'ativo')

Note que usei uma sintaxe agnóstica de linguagem na string lá em cima, quase todas teriam o comando assim (não há injeção de SQL sem um código em uma linguagem de programação em algum nível).

Obviamente que qualquer código SQL pode ser injetado e não só para apagar uma tabela que é uma molecagem de pouca utilidade. Existem milhões de sistemas por aí (principalmente web) que estão sendo usados indevidamente causando problemas e pequenos prejuízos sem a pessoa perceber por anos. Em geral quem faz isso toma o cuidado de não despertar muita atenção para fazer por muito tempo e obter maiores benefícios. Na soma os prejuízos são enormes. Há casos que voê nem precisa mudar nada, só de ter acesso a uma informação sem o direito já pode causar muito estrago. Exemplo:

"SELECT * FROM Correntistas WHERE numConta = '" + numConta + "';"

Aí manda assim:

http://site.com/Correntistas?numConta=1%20OR%20TRUE

O exemplo é ingênuo mas mostra que dá para fazer qualquer coisa, é só entender como é a query do outro lado e quase todas variam muito pouco, todo hackerlamer sabe fazer com o pé nas costas. É das coisas mais fáceis de violar que existe e das mais negligenciadas.

Como pode dar trabalho e você não observar todos detalhes que são necessários para garantir que não tenha a injeção é melhor usar uma função pronta da biblioteca da linguagem ou do componente de acesso ao banco de dados. Cada um terá seu jeito de fazer isto e o exemplo usado na pergunta é a forma correta de fazer em C#.

Outra fonte da piada do coitado do Bobby Tables é o site dele mostrando o problema e solução em várias linguagens.

Por causa disso já vi gente com nome Null ter problemas, nem era injection proposital.

Ele é mais comum do que parece. Ocorre mais entre amadores, mas vira e mexe algum grande software feito por especialistas cai nessa. Note que hoje a solução é simples, a pessoa só precisa lembrar de usar. As que podem parecer mais elaboradas, as manuais tendem a fracassar, use o básico, o pronto, desde que possa confiar na ferramenta que usa (algumas bem conhecidas não são confiáveis). Então entenda tudo sobre o assunto pra ficar mais seguro.

Aqui tem mais sobre:

7

Como acontece um SQL Injection?

O usuário mal intencionado coloca códigos SQL no valor da variável e esses códigos são executados pelo banco.


Exemplo:

Dado o código:

SqlCommand comm = new SqlCommand("UPDATE Contatos Set Telefone = '" + telefone + "'" + 
                                 " WHERE Id = " + Id, conn);


Se o usuário colocar o valor 9999-9999 a query será:

UPDATE Contatos Set Telefone = '9999-9999' WHERE Id = 1


Legal, mas e se em vez do número de telefone ele colocasse essa linha abaixo?

' where 1=0; delete from Contatos; --

O resultado da query será:

UPDATE Contatos Set Telefone = '' where 1=0; delete from Contatos; --' WHERE Id = 1

Sendo assim, seria executado um update que não atualizaria nada, seguido de um delete inserido pelo usuário, e o comentário para ignorar o resto do comando.


Por que criar parâmetros para cada campo que será atualizado ajuda a evitar SQL Injection?

Como respondido nessa pergunta: https://stackoverflow.com/questions/4892166/how-does-sqlparameter-prevent-sql-injection

Porque quando você executa um SQLCommand usando SQLParameters, os parametros não são inseridos diretamente no comando. Ao invés disso, uma stored procedure nativa chamada sp_executesql é chamada e recebe a string do comando e um array de parâmetros. Com isso os parâmetros são isolados e tratados como dados ao invés de serem embutidos na query, consequentemente nenhum comando contido nos parâmetros podem ser "executados".

Sua resposta

By clicking “Publique sua resposta”, you agree to our terms of service, privacy policy and cookie policy

Esta não é a resposta que você está procurando? Pesquise outras perguntas com a tag ou faça sua própria pergunta.